Portugal Não Pode Esperar

27/11/2016

Creio que Portugal não pode, de facto, esperar. A acção e políticas do Governo liderado por António Costa são demasiado graves. E o rumo que a chamada “geringonça” leva é extremamente preocupante. Ao leme estão os partidos da extrema esquerda (BE e PCP), que navegam à sua vontade enquanto o “comandante” está mais preocupado com a sua própria imagem. Portugal recua para o séx. XX, de que fala o El País.

A alternativa está, sem dúvida, no PSD. Mas num PSD que se quer mais inconformado. Num PSD que se quer fortalecido. Num PSD que se quer mais fresco. Num PSD onde a discussão política é, sempre, acesa. Num PSD onde cabem todos os pontos de vista. De Pedro Santana Lopes, de Rui Rio, de Paulo Rangel e de muitos outros, mais ou menos notáveis. Num PSD livre de lastro (como Marco António Costa ou Fernando Ruas).

É por isso que vejo com bons olhos movimentos como o que foi fundado e anunciado recentemente, o “Movimento Portugal Não Pode Esperar“. Fundado por um grupo de militantes entre os quais estão alguns que muito estimo, e de quem me senti politicamente próximo por várias vezes. O Pedro Rodrigues, o Miguel Corte-Real ou o Hugo Neto, que conheço, são bons exemplos disso. Desejo-lhe um bom trabalho e muita força.

Força, principalmente contra o status quo e todos aqueles que se sentem incomodados – principalmente os da “cúpula de Lesboa” e da comunicação “dita” social – que tentam desde logo “carimbar” movimentos legítimos, numa tentativa de os descredibilizar (ex: oposição a Passos Coelho… apoio a Rui Moreira).


Trumpistas portugueses

19/11/2016


Paulo Ferreira, jornalista da RTP, partilhou esta imagem no Twitter com a legenda: “Trump explicado às criancinhas? Não precisamos de ir mais longe. Está tudo aqui, nesta surreal caixa de comentários“.

Na mouche. É esta a execrável sociedade em que vivemos. É este o país que está condenado. Inundado de gente desta, pobre de espírito e sem qualquer tipo de valores ou princípios.

Já estivemos muito mais longe de um Trump. A diferença é que, a chegar, em Portugal esse Trump vai ser de esquerda. E vai ser eleito por esta cambada de imbecis.


Escola Sócrates

26/10/2016


Ora vamos lá recapitular. 

  • O homem faz 4 cadeiras em 4 anos.
  • Apresenta-se como Licenciado. 
  • Quando confrontado diz que questionou a Universidade de Coimbra sobre a sua situação.

Porque com toda a certeza, no meio de tantos anos de estudo e tantas cadeiras feitas, não se lembra se acabou o curso ou não. 

Sócrates fez escola, e veio para ficar.


Hoje é dia de festa

05/10/2016

5 Outubro 1143, assina-se o Tratado de Zamora que assinala a independência de Portugal.

Portugal faz hoje 873 anos. Este devia ser um dia de verdadeira celebração. Infelizmente ninguém quer saber. 

A maioria prefere celebrar o 25 Abril 1974 que trouxe uma falsa democracia e uma falsa liberdade, e que redundou num país falido e sem futuro.


Santo Guterres

24/09/2016

Guterres é “um socialista que administrou mal uma instituição”

Confesso que me tem feito algumas cócegas tanto consenso (em Portugal e fora dele) à volta de Guterres. 

Ele, que se tornou uma espécie de santo por aparecer em campos de refugiados ao lado da Angelina Jolie e afins. 

A memória em Portugal é curta, já sabemos. Mas foi ele que introduziu no país muitos políticos e muitas políticas que ainda hoje são responsáveis pelo muito de mau que há no país.

É que às vezes, ao ver e ler a cominicação “dita” social e a opinião publicada, parece que Cavaco é culpado, Durão é culpado, Passos Coelho é culpado. Até Santana é culpado. Mas passa-se à frente Guterres.

No outro nem ouso falar porque ele é tipo deus. Intocável.


Acabe-se com os Comandos e o Futebol

10/09/2016

Morreu um comando em serviço. Acabe-se com os Comandos.

Morreu um bombeiro em serviço. Acabe-se com os Bombeiros.

Morreu um polícia em serviço. Acabe-se com as Polícias.

Morreu um piloto em serviço. Acabe-se com a Força Aérea.

Só me admira como não se acabou com o Futebol quando o Pavão morreu em campo, ou o Féher


Quanto tempo até chegarem as hienas?

11/07/2016

A Selecção Nacional de Futebol, literalmente liderada por Fernando Santos e Cristiano Ronaldo, tornou-se Campeã da Europa. Esta conquista deve-se a um grupo de atletas e a uma equipa técnica que – mais uma vez – remou contra a corrente. Tendo mesmo muitos dos seus compatriotas (eu incluído, a certa altura)  não só em absoluta descrença, mas também a criticar forte e, muitas vezes, injustamente.

Agora, depois de concretizado o facto, quanto tempo até que cheguem as hienas que quase sempre tentam colher louros e crédito pelo trabalho dos outros?

Os políticos são pródigos nisso e no aproveitamento destes eventos para espalhar a sua demagogia e populismo bacoco. O Primeiro-Ministro, António Costa, como que abriu as hostilidades com o comentário “Está feito o acerto de contas com a França“. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, seguiu-se-lhe dizendo que ia condecorar os jogadores – nem sequer interessava saber qual era a condecoração. Mas mais virá do parlamento de da boca de muitos políticos profissionais.

Mais interessante será verificar quanto tempo, por exemplo, tipos como Bruno de Carvalho ou Jorge Jesus demorarão a dizer que fomos Campeões à custa do trabalho deles no Sporting CP (aludindo ao número elevado de jogadores do clube nesta selecção). Ou quanto tempo um tipo como Paulo Bento demorará a aparecer dizendo que todo este caminho de glória se iniciou com o trabalho dele, e o legado deixado (depois da vergonha do Mundia 2014). A procissão ainda vai no adro, e os festejos mal começaram.

 


%d bloggers like this: