Lindo futuro, o nosso

Depois do que disse Medina Carreira sobre o programa Novas Oportunidades – lançado pelo governo para disfarçar os números escandalosos do desemprego – e aproveitando a sugestão da Helena Matos, fui ver os conteúdos desse maravilhoso programa socrático que dá equivalência a 9º e 12º anos.

Dei uma vista de olhos aos programas dos módulos de Matemática para a VidaTecnologias informação comunicaçãoCidadania e empregabilidadeLinguagem e comunicação. Concluí o seguinte…

Andei eu a marrar na Matemática… fracções, integrais, derivadas, etc… e agora nas Novas Oportunidades aprende-se (entre outros assuntos) a Ler e interpretar tabelas, por exemplo: de relação peso/idade, de peso/tamanho de pronto-a-vestir.

Andei eu, num curso de Engª Electrotécnica (para ser consultor em TI)… electrónica, telecomunicações, sistemas de informação… e nas Novas Oportunidades aprende-se (entre outros assuntos) Introduz/altera contactos telefónicos na agenda de um telemóvel

Andei eu a estudar português e a ler tanto para me educar e cultivar…. e nas Novas Oportunidades aprende-se (entre outros assuntos) a Fazer corresponder mudanças de assunto a mudanças de parágrafo

Andaram os meus pais a educar-me para eu saber viver em sociedade… e nas Novas Oportunidades aprende-se (entre outros assuntos) a Ouvir os outros participantes num grupo

Estou portanto completamente elucidado quanto ao valor dos cursos das Novas Oportunidades. Não há dúvida nenhuma que era uma boa oportunidade para dar mais competências a pessoas que estavam desempregadas. Aproveitar para lhes dar uma ocupação, e ao mesmo tempo ajudá-las a crescer e encontrar facilmente mais e melhores empregos. Mas tudo não passa de, como diz Medina Carreira, “uma trafulhice de A a Z… uma aldrabice”.

4 Responses to Lindo futuro, o nosso

  1. Carlos Almeida Santos diz:

    Eu não sou totalmente contra o programa Novas Oportunidades, sou sim de certeza contra a utilização que o Governo e muito boa gente ligada ao ensino e à formação profissional lhe querem dar.

    Posso mesmo dizer que na empresa que dirijo já o aproveitamos com sucesso. Não para desempregados mas para os nossos trabalhadores, com o intuito de motivar a progressão e a promoção de competências, pessoais e interpessoais, melhorar a auto-estima e com isso aumentar a produtividade.

    Promovemos Cursos de Validação e Certificação de Competências até ao 9º ano de escolaridade. Senti que os trabalhadores ficaram com uma visão diferente da sua vida pessoal e profissional. Foi uma vitória para eles e para a empresa. Não porque tenham adquirido competências técnicas específicas, mas tão só por terem visto alargada a sua perspectiva perante a vida e a correlação com a necessidade de virem a apostar na sua permanente formação.

    Agora, vir dizer que os programas atribuem grau académico ou qualificação profissional é pura mistificação, é pura tentativa de deitar areia para os olhos de uma população que tem na sua grande maioria um grau de analfabetismo funcional assustador…

    Como sempre, medidas com bons fundamentos e louváveis são depois utilizadas apenas para mais propaganda à custa do português mediano…

    • Luis Melo diz:

      Caro CAS,

      Ninguém com bom senso será contra programas como o Novas Oportunidades, simplesmente não se pode aceitar que o governo queira enganar descaradamente o povo.

      Enganar, tanto os que andam lá – que julgam aprender alguma coisa que lhes dê equivalência ao 9º ou 12º ano – como aos que não andam – e podem pensar que realmente se ensina.

      Como dizes e bem “a população tem na sua grande maioria um grau de analfabetismo funcional assustador” e por isso é sempre bom dar-lhes educação, ensiná-los a viver em sociedade, incutir-lhes valores, dizer-lhes como se cultivar. Mas isto não tem nada que ver com certificações de equivalência a 9º ou 12º anos.

      Mas eu entendo. Os “sócrates” compram licenciaturas quando só têm bacharelatos, e agora querem oferecer o 9º e 12º anos a quem só tem a 4ª classe ou 6º ano.

      É este país de Doutores e Engenheiros que temos. Mais valia fazermos como no Brasil: quem andar de gravata é doutor. Ponto.

  2. […] propósito deste assunto, sugiro a leitura deste meu post (escrito em Dezembro 2009) e deste artigo do Vasco […]

  3. […] à baila o assunto das Novas Oportunidades para transcrever parte de dois posts que publiquei em 9 Dez 2009 e 13 Dez […]

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: