Os milhões benfiquistas (II)

28/01/2010

No final do ano passado, neste post falando dos “milhões” Benfiquistas para novas contratações, dizia eu que me parecia “muito duvidosa a forma como este dinheiro todo é conseguido“. Pelos vistos, não fui só eu que tive dúvidas. Também a Inspecção Geral de Finanças e a Polícia Judiciária as têm. Senão vejamos

Acordo com a Câmara de Lisboa valeu ao Benfica 65 milhões de euros: «A investigação conclui que, ao aprovarem o referido contrato-programa, a Câmara e a Assembleia Municipal de Lisboa “instrumentalizaram a EPUL”, fazendo-a assumir encargos directos de 18 milhões de euros na prossecução de fins estranhos ao seu objecto social. Mas, além dos 18 milhões, o Benfica encaixou mais 47, pois o contrato-programa ainda lhe permitiu vender um terreno à EPUL e receber outro da Câmara de Lisboa»

Anúncios

Junta comete crime ambiental na Fig. da Foz

27/01/2010

Dois crimes ambientais foram cometidos na freguesia de Maiorca, concelho da Figueira da Foz. E por mais improvável que pareça (ou não) estes crimes tiveram a mão da nova Junta de Freguesia, eleita há pouco mais de 3 meses, e presidida por Filipe Dias. A poda que a Junta mandou fazer aos plátanos da “feira velha” transformou-se – por manifesta incompetência e ignorância – num massacre. Cortaram os fortes ramos com motoserras, e deixaram as árvores em estado lastimável (como disse o autor do blog figueiranafoz, citando alguns moradores).

Não contentes, por terem destruído os plátanos que estavam na “feira velha”, e eram até hoje o pórtico na entrada da freguesia, os membros da actual Junta deram ordem para devastar o eucaliptal junto do Parque do Lago (que nem sequer pertence à Junta, mas à Câmara Municipal). Tal como diz o Diário de Coimbra: Aquele eucaliptal dava acesso a um espaço privilegiado… e que contempla designadamente um moinho, a piscina, o largo da feira […] onde “muita gente no Verão fazia piqueniques, aproveitando a sombra“, dizia um maiorquense. Outro habitante disse que “a outra junta gastou tanto tempo e dinheiro a tratar disto, para agora virem estes e deitarem tudo abaixo“.

Filipe Dias, já consciente da borrada que fez, tenta explicar dizendo que “os eucaliptos já não dão mais“. Desculpa esfarrapada e fácilmente rebatida por Francisco Caetano que em comentário à notícia dizia: “devido ao seu porte, localização e idade, assumem características de povoamentos em espaço de protecção e lazer cujo valor patrimonial e paisagístico vais sempre aumentando.”

Outro comentador e Figueirense indignado sabe do que fala. António Patrão (Engº Florestal) da Autoridade Florestal Nacional dizia: “É pena que em Portugal a democracia ainda consiga elejer a imbecilidade… Há crimes irreparáveis?“. Era precisamente com este tipo de especialistas que a Junta se devia ter aconselhado antes de fazer tal barbaridade. Algo que o anterior Presidente da Junta, José Ligeiro, conscientemente fez: há uns anos atrás, pediu ao especialista Francisco Coimbra (considerado como uma referência em termos de árvores florestais e ornamentais), que aconselhasse “e ele veio dar explicações como se devia cortar. A opinião era que nem se devia mexer, mas a cortar, nunca se deve cortar os troncos, para preservar“.

Fernando Campos, no seu blogue, diz que “Os animais que perpetraram esta selvajaria têm nome e, pelos vistos, impunidade: Filipe Dias, o jovem presidente da Junta de Freguesia de Maiorca“. Eu concordo e acrescento que isto não se tratou só de ignorância e incompetência. Tratou-se de um acto arrogante e provocador á população. Uma tentativa de “mostrar quem manda” á sociedade civil maiorquense. Mas saiu o tiro pela culatra. Cometeram um erro irreparável. Exige-se um pedido de desculpas publico á população. E os maiorquenses não podem ficar calados. Têm de o exigir.


Deputados: a inversão das coisas

25/01/2010

Entendo que os deputados presentes na Assembleia da República devem defender acima de tudo o interesse nacional (ou seja, de todos os portugueses) e logo a seguir o interesse do círculo eleitoral pelo qual foram eleitos. Só assim estão verdadeiramente a representar quem os elegeu na assembleia representativa de todos os portugueses. Só assim estão verdadeiramente a representar quem os elegeu no orgão legislativo do país.

Ora, nos últimos tempos, alguns partidos e deputados têm invertido esta definição. Têm feito da AR um instrumento para se servirem, e não para servirem os portugueses. Os portugueses que, para eles apenas contam para colocar a cruzinha no boletim de voto.

Miguel Vale de Almeida (eleito pelo PS) usou a sua condição de deputado para fazer aprovar uma lei que lhe dava jeito, e aos “amigos” dele. A lei do casamento homossexual. Inês de Medeiros (eleita pelo PS) usou a sua condição de deputada para fazer aprovar uma lei que lhe dava jeito, e aos “amigos” dela. O novo regime de SS adaptável aos profissionais das artes e espectáculos.

Não tenho nada contra os homossexuais, nem nada contra os artistas. Aliás, penso que estes últimos precisavam mesmo de alterações na sua condição. Defendo que devem haver na AR iniciativas de deputados para todo e qualquer grupo de pessoas. Mas…

… Haja prioridades! Esteja o interesse nacional acima de tudo! Esteja o interesse colectivo em primeiro lugar! Esperarei por outras iniciativas destes dois deputados (se é que depois de concretizados os seus desejos não se irão embora, dando lugar a outros) e depois direi mais qualquer coisa.


Brincar com coisas sérias

21/01/2010

Hoje, os clubes de futebol são empresas que movimentam milhões de euros. Estão cotados em bolsas e têm obrigações iguais às de qualquer outra empresa. No entanto continuam a ser geridos a brincar, como se de uma associação ou clube recreativo se tratasse. Sem profissionalismo e exigência. Esquecendo que são empregadores e deles dependem centenas de pessoas.

Colocam-se em lugares de gestão e de decisão, pessoas que não têm qualquer formação (e aqui não falo só em formação académica, falo também de formação pessoal). Como se o seu nome ou o seu curriculum de troféus (que ganharam como jogadores ou treinadores) lhes desse capacidade para gerir seja o que for.

A maioria deles nem sequer sabe gerir o próprio dinheiro. Daí vermos muitos ex-jogadores sem “chêta”. Enquanto jogavam e ele “pingava” era gastar à “tripa forra” e depois… enfim. Uns têm cafés e restaurantes, os outros dependem dos clubes, que lhes dão cargos de treinadores de iniciados.

O exemplo de Sá Pinto é flagrante. Mais ainda quando se sabe do que se tinha passado há uns anos atrás com Artur Jorge. Diga-se que Liedson também não é, nem nunca foi, um santo. O que sería se numa empresa cotada em bolsa (pensarei num BES, PT, GALP, Soares da Costa, sei lá…) um director andasse ao soco com um funcionário?


Estes espanhóis são uns meninos

18/01/2010

A Universidade de Sevilha reconheceu o direito dos alunos a copiar nos exames […] os professores já não poderão chumbar, expulsar ou suspender os alunos que forem apanhados a copiar.

São uns meninos estes espanhóis… em Portugal temos um primeiro-ministro que fez exames sem sequer ir à Universidade (enviou exame pelo correio ao professor) e ainda fez o último exame, para terminar o curso, num domingo…


ERC – Entidade (que não) Regula (um) Caroço

12/01/2010

Aprecio muito o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa e penso que pode ser uma mais valia para o país e para o PSD. Concordo com algumas coisas que ele diz, mas também discordo profundamente de outras. Há cerca de 2 anos que deixei de seguir “religiosamente” a sua “missa” ao Domingo, porque ultrapassou o mero programa de comentário político.

A RTP vai acabar com o programaAs Escolhas de Marcelo“, em consequência do fim do programa “Notas Soltas” de António Vitorino. Se já foi uma aberração a obrigação da RTP criar o segundo, para compensar o primeiro, maior vergonha foi o encurtar do primeiro para igualar o segundo. E agora o escândalo atinge proporções irreais com o fim de um por causa do outro. Tudo isto segundo uma ordem da ERC, que todos sabemos andar a mando do Governo de José Sócrates.

Nem quero aqui entrar por um caminho que me levaria a dizer que, com base no que já se tinha passado antes (as tais bojardas da ERC a mando do Governo), António Vitorino teria feito de propósito para saír (talvez também ele a mando), e deixar MRS sem espaço para se exprimir. Logo agora que estamos a chegar a uma altura complicada para o PS e Governo, e também será agora que o PSD se irá definir e começar a reganhar fôlego. Logo agora que nos aproximamos das presidênciais, e que todos sabem que MRS tem ambição de se candidatar.

Todos estes episódios de compensação são ridículos. Senão, porque não obriga a ERC a fazer um programa desportivo com representantes de Braga, Nacional ou Guimarães, para compensar as dezenas de Portistas, Benfiquistas e Sportinguistas em programas da RTP? Ou porque não obriga a ERC a fazer um programa musical com artistas punk e heavy metal, para compensar todos os outros populares e pop que aparecem nos vários programas da RTP? Porque não obriga a ERC à passagem de filmes portugueses, para compensar a porcaria de filmes americanos (que ainda por cima são sempre os mesmos, basta lembrar “Sozinho em Casa” no Natal ou “Ben-hur” na Páscoa) na RTP?


Sovolei Vídeos

04/01/2010

O site de voleibol – único em Portugal exclusivo desta modalidade, a 2ª mais praticada no país a seguir ao futebol – para o qual colaboro, o Sovolei, começa 2010 em grande e dá hoje mais um importante passo.

Depois de cumpridos objectivos como a ultrapassagem de 1000 visitas diárias (30.000 visitas/mês) ou a organização de eventos (como o 3º Torneio Município Trofa), o Sovolei sobe mais um degrau e abre oficialmente o Sovolei Vídeos através do Youtube.

Este canal deverá servir para a divulgação de vídeos realizados pela equipa do Sovolei, pelos seus leitores, ou por qualquer adepto do voleibol. Para que possam ser publicados, os vídeos deverão ser enviados para videos@sovolei.com


%d bloggers like this: