Bluetooth, Rei da Dinamarca

24/02/2010

Bluetooth foi o cognome de Harald Gormsson, rei da Dinamarca entre o ano de 958 e 970. Este rei ficou conhecido por ter conquistado e unificado todos os países nórdicos. Daí vem o nome da tecnologia hoje utilizada para unificar, num só protocolo de comunicação, vários dispositivos (telefones, computadores, auriculares, etc.)

O auricular bluetooth veio permitir aos condutores poderem falar ao telefone sem que isso interferisse na condução do automóvel, reduzindo assim o risco de acidente. Esta tecnologia pode assim, além de facilitar a comunicação, salvar algumas vidas.

Desde há muitos anos que fico revoltado quando vejo pessoas a falar ao telefone sem auricular ao mesmo tempo que conduz. É uma irresponsabilidade e um perigo, para não dizer que é proibido (e as multas são caras). Fico principalmente indignado com uma certa “classe”… a “classe” de pessoas que anda em automóveis topo de gama.

Hão-de reparar, tal como eu, que 90% das pessoas que andam em automóveis que custam acima de 50.000 €, além de estarem permanentemente ao telefone enquanto conduzem, nunca têm auricular. Eu pergunto, têm dezenas de milhares de € para comprar automóveis, e não têm 20 € para um auricular?

Que raio de gente pseudo-rica, mal educada, irresponsável, pretensiosa, arrogante e estúpida. Pobres de espírito.


Ninguém escolhe família. Mas os amigos…

19/02/2010

Mais escutas vieram a público. José Sócrates não é ouvido em nenhuma delas. Quero acreditar que nas 11 que o envolviam, e que foram entregues ao Presidente do STJ, não houvesse nada de criminoso. Mas se assim era, porque demorou tanto a avaliação das mesmas? Não se compreende. E por ter havido eleições legislativas pelo meio, é legítimo que todos desconfiem que o atraso foi propositado.

Partindo do princípio que José Sócrates nada tem que ver com estes planos (que envolvem TVI, RTP, PT, MEO, TagusPark, Refer, Luís Figo, DN, JN, Lusa, etc.) fico sem perceber qual os motivos e os objectivos que levaram Rui Pedro Soares, Paulo Penedos, Armando Vara, João Carlos Silva, José Thomati, etc a fazer tais diligências, a engendrar tais planos, a corromper e influenciar à custa de dinheiros que não eram seus.

Segundo consigo perceber pelas declarações do PM e da sua guarda pretoriana, o problema não é José Sócrates ser um homem sem carácter, sem principios e sem valores. O problema não é sequer José Sócrates ser um mau governante ou um político corrupto. O problema é que José Sócrates está com azar nos familiares (estes ninguém pode escolher) e amigos (estes todos podem escolher) que tem.

1 – A propósito do caso Freeport, Sócrates é inocente e tem o azar de um primo abusador ter utilizado o seu nome e cargo para obter contrapartidas financeiras.

2 – A propósito do caso Face Oculta, Sócrates é inocente e tem o azar de uns amigos abusadores terem utilizado o seu nome e cargo para obter… apoios para a candidatura do mesmo Sócrates às legislativas 2009.

Caramba… agora fiquei confundido. Então os amigos de Sócrates arriscam a própria pele – corrompendo e influenciando com dinheiros públicos ou de accionistas de empresas privadas – e têm como objectivo beneficiar Sócrates (que de nada sabe) em vez de se servirem a eles mesmos? Que raio de gente esta… nem para eles são bons… ou então, a versão de Sócrates está mal contada, o PM está mesmo envolvido como cabecilha, e o procurador do MP mais o Juíz de Instrução de Aveiro têm toda a razão.


A seguir vem o “Lelo Marmelo”

17/02/2010

Fernando Nobre vai apresentar a sua candidatura à Presidência da República. Faz ele muito bem. Atrás dele virá com a mesma intenção Manuel João Vieira.

Ou então, a intenção deste anúncio de Fernando Nobre é desviar as atenções das borradas que o Governo tem feito. Ou então, a intenção desta candidatura é mesmo derrotar Manuel Alegre.


O lado positivo das eleições no PSD

17/02/2010

Avizinham-se tempos em que vários militantes do PSD vão dar motivos para que a comunicação “dita” social e a opinião pública possam fazer trovas burlescas e satíricas do partido. Digo isto porque estou convencido que o combate pela liderança do PSD será feito pela negativa.

Maquiavel dizia em O Príncipe que havia duas formas de fazer campanha política. Uma delas era dizer bem de si, e a outra era dizer mal do adversário. Temos hoje implantada em Portugal uma única forma de fazer campanha política, e que vai de encontro à 2ª opção ditada por Maquiavel.

Os responsáveis por este estilo de fazer campanha são os políticos que temos tido nos últimos 15 anos. Como estes foram políticos incompetentes, nada mais lhes restava em campanha do que dizer mal do adversário, já que nada tinham para dizer bem de si próprios. Guterres iniciou este estilo e Sócrates aprofundou-o e tornou-se mestre.

A campanha interna no PSD começou há umas semanas, e para já o que tenho visto não me agrada. Têm sido quase nenhuns os militantes que tenho ouvido a dizer bem do seu candidato, ou do programa deste. A maioria apenas tem “blasfemado” os adversários.

Acho que devem ser apontados os aspectos negativos dos candidatos – afinal de contas precisamos de ver o que há de positivo, e também o que há de negativo em cada um, para que possamos fazer uma análise equilibrada – mas tudo tem limites. E para sermos honestos devemos falar verdade.

Vou ser diferente daqueles que tenho ouvido/lido e aponto a seguir alguns pontos positivos de 3 dos 4 candidatos a líder do PSD:

José Pedro Aguiar Branco
1 – É deputado na Assembleia da República
2 – Tem experiência de combate com Sócrates c/ líder parlamentar
3 – É um homem íntegro, responsável, exigente, leal e respeitador
4 – Não é conotado com nenhuma das facções do partido
5 – Demonstrou ter sentido de Estado na gestão de dossiês
6 – Tem experiência governativa como Ministro

Paulo Rangel
1 – É reconhecidamente um homem inteligente, determinado e lutador
2 – Tem experiência de combate com Sócrates c/ líder parlamentar
3 – Já venceu, pelo PSD, umas eleições disputadas a nível nacional
4 – Pouco ligado à “máquina” partidária (pouco tempo de militante)
5 – A sua figura e retórica são convidativas e persuasivas
6 – Tem experiência governativa como secretário de Estado

Pedro Passos Coelho
1 – Conhece a história e a dimensão cívica do PSD
2 – Não está ligado a governos PSD do passado
3 – Teve a oportunidade de ver de perto como trabalhava Cavaco Silva
4 – Tem background de gestão de recursos e pessoas
5 – Tem boas ideias sobre economia em geral
6 – Conhece diversas áreas do mercado empresarial


Interesses (pess)o(nacion)ais

13/02/2010

Não vale a pena fazer mais considerações às actuações do primeiro-ministro, dos governantes, dos altos representantes da justiça, dos administradores das grandes empresas, dos banqueiros, dos reguladores, das autoridades. Está tudo visto… há muito tempo. Como dizia Lobo Xavier na “Quadaratura do Círculo“, não é preciso ler escutas para saber o que se passa.

O que interessa agora, chegados a este ponto, é que Portugal não pode continuar assim. Liderado por este bando de homens gananciosos, arrogantes, corruptos, incompetentes, incapazes e sem carácter. Passamos por uma grave crise económica, financeira, social e de valores. E este Governo tem de ser demitido para termos algumas hipóteses de recuperar.

Qualquer coisa é melhor do que isto. Mas pelos vistos, mais uma vez, os responsáveis – aqueles que elegemos para tomarem conta do nosso futuro e para nos representarem nos orgãos da democracia – colocam os seus interesses pessoais e corporativos à frente dos interesses nacionais.

1 – O PR Cavaco Silva não demite o governo porque pensa nas eleições de Janeiro 2011. Não tenho a mais pequena dúvida que, se as eleições presidenciais tivessem sido em Janeiro 2010, este Governo já estava no olho da rua.

2 – O PSD não apresenta uma moção de censura porque tem medo de ser acusado de provocar uma crise política – a somar à crise social, económica e financeira – e de assim se ver fragilizado numas futuras eleições.

3 – O CDS também não o faz porque não quer passar a imagem de desestabilizador. Tem-se esforçado por manter a atitude politicamente correcta que lhe deu os 12%. Aposta na mesma táctica para subir no próximo acto eleitoral

4 – O PCP e o BE, por muito que digam mal de Sócrates, preferem ter lá o PS do que abrir a porta para um governo PSD ou uma coligação PSD-CDS. Ainda têm o trauma da direita e esquerda. Algo que nos dias de hoje, para mim, já não existe.

Ou seja, todos zelam pelos seus próprios interesses. Mas esquecem-se do superior interesse de Portugal. Esquecem-se que adiar a queda deste governo para 2011 é dar a Portugal e aos portugueses mais 2 anos de atraso. Tempo esse que poderá ser definitivamente fatal.


Junta comete crime ambiental na Fig. da Foz (III)

12/02/2010

Ainda há muito quem diga que o actual executivo da Junta de Freguesia de Maiorca – na Figueira da Foz – não cometeu nenhum atentado ambiental. Será que esses não percebem o que deve uma junta fazer? Deve zelar pelo bem estar da população e deve trabalhar pelo desenvolvimento da terra. Deve andar para a frente, como se costuma dizer. Vejam então as fotografias do parque de merendas junto à fonte, onde se “assassinaram” plátanos lindíssimos que davam a vitalidade aquele local. Digam se Maiorca (e a sua população) andou para a frente… ou para trás.

O belo cenário no passado

A alegria de há uns tempos atrás

A triste imagem actual

O desolador cenário de hoje


Junta comete crime ambiental na Fig. da Foz (II)

09/02/2010

As “obras” do novo executivo da Junta de Freguesia de Maiorca:

Corte ilegal de Carvalhos junto ao Campo de Futebol

Devastação do Eucaliptal junto ao Parque do Lago

Destruição dos plátanos da Feira Velha

Poda “assassina” dos Plátanos junto ao Parque da Fonte

(Caricatura da autoria de Fernando Campos)

O autor moral da “façanha” (Caricatura da autoria de F.Campos)


%d bloggers like this: