Lei da Rolha 2.0 no PSD Santo Tirso


No último congresso nacional, o PSD aprovou uma norma que exigia silêncio aos militantes mais críticos nos 60 dias que antecedem as eleições. A chamada “Lei da Rolha” foi muito polémica e mereceu desde logo a reprovação dos mais destacados dirigentes e militantes, incluindo o recém-eleito presidente, que disse que a revogaria logo que pudesse.

Foram vários os militantes (mais ou menos conhecidos) que – a meu ver muito bem – disseram que esta norma ia contra a génese do partido, que sempre tinha sido pluralista e de livre opinião. Falou-se de ditadura, de PIDE, de norma comunista.

Ora, no PSD Santo Tirso não é preciso congresso nem aprovação de normas. A “Lei da Rolha” está implantada há muito tempo. A actual comissão política (CP) além de politicamente inapta, não tem capacidade de encaixe e não admite nenhuma crítica, mesmo que seja construtiva e colocada internamente nos locais próprios.

Baseando-se em supostos factos trazidos pelo ex-presidente Alírio Canceles – que se aproveita assim da CP à qual não preside (formalmente, diga-se) para atingir objectivos pessoais – a CP concelhia analisou o que denominou de “Caso Luís Melo” e deliberou, em reunião de 19 Fevereiro 2010, lamentar e repudiar o comportamento do militante nº 69491 Luís Melo.

Tudo isto vem, a meu ver, na sequência de dois textos que escrevi – nos quais Alírio Canceles diz que ataquei o PSD e os seus dirigentes locais provocando sérios prejuízos a todos – e de uma carta aberta aos militantes, em reacção a um acto lamentável daquele senhor. Os textos em causa são este e este.

Ora, como qualquer pessoa pode verificar, eu apenas critiquei politicamente alguns dirigentes do PSD. Não ataquei ninguém pessoalmente, nem fiz considerações que prejudicassem a imagem do partido (o mesmo já não pode dizer Alírio que segurou perante câmaras uma camisola do PS em plena campanha eleitoral). Já não se pode falar livremente? Isto é delito de opinião!

A mentalidade déspota do ex-presidente do PSD Sto. Tirso ficou indignada com estes factos e perdeu a cabeça quando viu que não tinha meios para “calar” um militante que pensa pela sua própria cabeça e não vai na carneirada. Vai daí resolveu espalhar um e-mail com várias inverdades que me obrigou a responder na tal carta aberta aos militantes do PSD.

Em resposta, a reacção desesperada de Alírio Canceles foi a de, em resposta, fazer circular pelos militantes um e-mail onde adjectivava a minha pessoa de “mentiroso”, “desonesto”, “mentalmente doente”, “fraco”, “cobarde”, “vaidoso”, “narciso”. Disse Alírio: “quem era ou é Luís Melo, para merecer essa atenção das estruturas do PSD de Sto. Tirso?”. Pelos vistos sou importante suficiente para merecer uma patética reunião de CP que deliberou sobre o “Caso Luís Melo” (depois do Freeport e do Face Oculta, aqui está outro. Simplesmente ridículo).

Nesse e-mail Alírio disse também que não seria “o Luís a provocar uma crise política entre o PSD e o Núcleo de Santo Tirso/S. Miguel, na pessoa do seu presidente”. É verdade, não fui eu que criei a crise, foi o próprio Alírio que naquela deliberação demitiu, à revelia dos estatutos, José Pedro Miranda de presidente do Núcleo, dirigindo-se a ele como “ex-presidente”.

O PSD Sto. Tirso funciona portanto desta maneira. É uma coutada de meia dúzia de militantes que delibera a seu bel-prazer sem fazer caso dos estatutos, dos direitos dos militantes e ultrapassando as instâncias competentes superiores. Poderia ter instaurado um processo disciplinar à minha pessoa, e depois todos seriam ouvidos pelo Conselho de Jurisdição, que decidiria em conformidade. Mas não! Resolveu aplicar a “Lei da Rolha 2.0” (a outra é só nos 60 dias que antecedem eleições, esta é sempre que apetece)

Aproveito para relembrar a estes senhores algumas passagens dos Estatutos do partido:

Artº 2º “A organização e prática do Partido são democráticas, assentando em: a) Liberdade de discussão e reconhecimento do pluralismo de opiniões

Artº 6º nº 1 “Constituem direitos dos militantes: […] c) Discutir livremente os problemas nacionais e as orientações que, perante eles, devem assumir os seus órgãos e militantes; d) […] não sofrer sanção disciplinar sem ser ouvido em processo organizado perante a instância competente

Artº 45º nº 1 “Compete ao Conselho de Jurisdição Distrital: […] c) Instruir e julgar em primeira instância os processos disciplinares

Artº 71º nº 4 “Sem prejuízo dos nºs 1, 2 e 3 deste artigo, os membros dos órgãos electivos do Partido mantêm-se em funções até à eleição dos novos titulares

Anúncios

20 Responses to Lei da Rolha 2.0 no PSD Santo Tirso

  1. C. P. Andrade diz:

    Na realidade verifico que atacou deliberadamente os candidatos do PSD locais (e desta forma o PSD) de forma cobarde no seu blog.
    Vir agora criticar que não há liberdade de expressão no partido é tentar desculpabilizar-se com o indesculpável.
    O partido está farto dos militantes que pensam que só os seus amigos é que são bons (como os amigos que apresenta nos seus comentários de ataques pessoais).
    Tal está nos estatutos, as discordâncias devem ser manifestadas nos orgãos internos do partido e não (reafirmo) cobardemente sem frontalidade num blog qualquer só para manifestar apoio aos amigalhaços.
    Seja frontal, demonstre um mínimo de carácter apresentando as suas discordâncias nos locais próprios.
    Se não gosta das opções saia do partido.
    O PSD actualmente é liderado por gente digna , aberta, dialogante capazes de levar finalmente este país para a frente.
    Pessoas que olham para o seu umbigo, e para os seus amiguinhos não tem lugar.
    Reafirmo, precisamos de gente com carácter capazes de dar a cara e não arruaceiros de blogs.

  2. Luis Melo diz:

    Caro CP Andrade,

    Cobarde é quem, em vez de falar directamente com as pessoas, foge, faz de conta que não vê ou não conhece e depois, nas costas, faz circular mensagens com inverdades e insultando as pessoas. Tal e qual como me fizeram a mim.

    Felizmente o partido não é de ninguém, muito menos de certas pessoas que querem fazer dele trampolim. E por isso não confundo a passagem de alguns pela liderança do mesmo, com alteração de ideologias ou valores. Portanto não sairei do meu PSD.

    Bem queriam os senhores. Talvez me calasse não era? Mas não vão ter essa sorte. Continuarei, na medida do possível a lutar por um melhor PSD e por um melhor Santo Tirso. Se não posso fazê-lo por dentro – já que os dirigentes apenas querem ostracizar-me – faço-o por fora. Não tem problema nenhum.

    Aliás, ainda hà bem pouco tempo o seu candidato e agora nosso presidente discordou várias vezes da então direcção, fora do partido. Nos jornais, nas TVs. O mesmo fizeram MFL e JPP a Menezes. E o mesmo fez Menezes a Marques Mendes.

    Aqui não está em causa ser frontal. Mais frontal do que tenho sido nas minhas declarações é quase impossível. Trata-se isso sim de ser ouvido pelos militantes, já que nos locais certos não posso ser ouvido (ou porque não me deixam, ou porque ninguém está lá para ouvir – culpa da falta de mobilização, propositada.)

    Critico e continuarei a criticar a incapacidade política dos dirigentes do PSD Sto Tirso. São esses que me diz serem capazes de levar o PAÍS para a frente?! (que risota) nem a freguesia deles, quanto mais o país.

    E quanto a arruaceitros de blogs… tenho a dizer-lhe, se é que ainda não reparou, que nos dias que correm a blogosfera é um melhor meio de troca e procura de informação do que os jornais e TVs. Podia escrever em jornais (quiçá até usar tácticas de outros e criar um para mim) mas prefiro a blogosfera.

    Se não gosta deste “arruaceiro”… ponha na beira do prato e coma só as batatinhas…

  3. José Manuel Silvano diz:

    Pedido de esclarecimento:

    Ao ler o texto em causa, fico sem perceber como e quando foi materializada a “lei da rolha”. Que acções ou procedimentos promoveu o PSD de Santo Tirso que correspondam a eventuais e/ou hipotéticas sanções que diz ter sido vítima? Já agora, por curiosidade e porque refere um e-mail enviada aos militantes, porque não disponibiliza o acesso a esse e-mail, como o fez em relação aos textos que diz estarem na origem do comportamento que de forma violenta e aparentemente desproporcionada caracteriza?

    Cumprimentos
    José Silvano

    • Luis Melo diz:

      Caro Silvano,

      Penso que está bem explícito. O PSD Sto Tirso em reunião da CP deliberou repudiar o meu comportamento tentando de alguma forma castigar-me por ter opinião diferente. Fê-lo à revelia dos estatutos e sem ouvir as partes. Baseou-se apenas em supostos factos trazidos por um elemento.

      Ora não é isto mesmo a Lei da Rolha? Querer castigar militantes do partido por terem opinião diferente da direcção? O pluralismo não está assim posto em causa? Parece-me que sim.

      Publico aqui os textos que escrevi. São da minha responsabilidade. Quanto a outros que não são da minha autoria, terá de os pedir ao autor. Até porque nenhum deles me foi enviado directamente, apesar de ser eu o visado. Tem piada não tem? É a forma de estar na vida de quem os escreveu.

      Cumprimentos

  4. José Manuel Silvano diz:

    Caro Luís Melo permita-me que o trate assim,

    Confesso que não me sinto esclarecido. Provavelmente a culpa será minha!

    Refere o Luís Melo que o PSD tentou castigá-lo, porque segundo afirma, em reunião da comissão política, esta repudiou eventuais críticas que lhe tenham sido dirigidas. Por curiosidade, fui ler os estatutos do PSD e por isso transcrevo o artigo das sanções previstas aos militantes que eventualmente violem os seus deveres:

    “Artigo 9º
    (Sanções)
    1. Aos militantes que infringirem os seus deveres para com o Partido serão
    aplicáveis as seguintes sanções, por ordem de gravidade:
    a) Advertência;
    b) Repreensão;
    c) Cessação de funções em órgãos do Partido;
    d) Suspensão do direito de eleger e de ser eleito até dois anos;
    Qual destas sanções afinal lhe foi aplicada?
    Então o Luís Melo reivindica para si o direito de se expressar livremente e quer impedir a comissão política de o fazer em relação às suas opiniões? Acha que a comissão política não pode repudiar críticas que lhe sejam dirigidas? Não vejo nos estatutos que afinal invoca, qualquer impedimento e/ou qualquer violação?
    Na minha opinião se o Luís Melo tem direito a expressar a sua opinião também os visados o têm! Não podemos reivindicar direitos e impor aos outros as obrigações.
    Já agora, como o Luís Melo diz que a comissão política fez circular um e-mail que presumo lhe tenha chegado por interposta pessoa, porque se inibe de o publicar para que quem o lesse pudesse tirar as suas próprias conclusões. Não seria mais lógico?

    Cumprimentos

    • Luis Melo diz:

      Caro Silvano,

      Repito o que escrevi no post. Os estatutos dizem:

      Artº 6º nº 1 “Constituem direitos dos militantes: […] c) Discutir livremente os problemas nacionais e as orientações que, perante eles, devem assumir os seus órgãos e militantes; d) […] não sofrer sanção disciplinar sem ser ouvido em processo organizado perante a instância competente”

      Artº 45º nº 1 “Compete ao Conselho de Jurisdição Distrital: […] c) Instruir e julgar em primeira instância os processos disciplinares”

      Nem eu fui ouvido perante a instância competente. Nem foi esta que deliberou seja o que for. Foi a CP concelhia que – qual conselho supremo – se borrifou para a lei (estatutos) e agiu a seu bel-prazer.

      Eu não quero impedir que alguém tenha opinião. Senão não estaria a ser coerente. Mas os membros da CP não opinaram contra mim. Serviram-se do facto de estar no “poder” para usarem ferramentas que nem sequer estão nas suas mãos, tentando calar-me.

      Por fim, está enganado. Não foi a CP que fez circular um e-mail, foi o Sr. Alírio Canceles (que diga-se, é verdade, pensa que é dono da CP concelhia).

      Não publico pq:
      1º Não vou publicar no meu blogue um texto com mentiras e insultos a ninguém, muito menos a mim próprio.
      2º Não acho eticamente correcto estar a publicar e-mails da autoria de outras pessoas. Se fosse para tornar público elas próprias o tinham feito.
      3º O texto é de tal forma imbecil, mal escrito (cheio de erros de ortografia e sintaxe) e sem sentido que nem vale a pena.

      Mas como lhe digo, peça a quem o escreveu que lho envie.

  5. José Manuel Silvano diz:

    Continuo sem perceber, quais foram as sanções que a comissão política do PSD de Santo Tirso lhe impões?
    Se a comissão política se limitou, como parece ser o caso, a repudiar as suas opiniões, independentemente de serem m ais ou menos justas, isso não configura qualquer sanção!

    Nem pressupõe qualquer violação aos estatutos!
    Parece-me que existe aqui uma grande confusão entre o que eventualmente faz entre Alirio Canceles e a actuação da comissão política.

    Qualquer órgão do PSD pode reagir com indignação, justa ou injustamente, às críticas dos militantes, e nisso, penso que estamos todos de acordo.
    Nestas circunstâncias, se o Luís Melo criticou publicamente, com ou sem razão, e não vou julgar os mérito das suas opiniões nem os da comissão politica que não se conhecem, e reivindica o estatuto de liberdade e os direitos consagrados nos regulamentos interno do PSD, não acha que é o próprio Luís Melo que está a tentar coarctar a comissão politica de reagir às suas criticas? Não acha que inconscientemente poderá o Luís estar de facto utilizar a “Lei da Rocha” para impedir que a comissão politica possa repudiar, bem ou mal, com ou sem razão, porque n estas coisas depende sempre dos pontos de vista, as suas criticas??

    Ficam as interrogações.

    Cumprimentos

    • Luis Melo diz:

      Caro Silvano,

      Tal como diz no artigo 9º que você mesmo transcreveu, foi-me aplicada a sanção da alínea a) ou b) nem eu sei bem. Mas ela foi aplicada formalmente, em reunião de comissão política (CP). Ultrapassando CJ distrital e estatutos, já que a CP não tem poderes para o fazer.

      Não duvide que há uma grande confusão entre o que faz Alírio Canceles e a CP. Há sim senhor. É que ele não sabe distinguir entre o Alírio militante e pessoa, e o Alírio ex-presidente e actual vogal (presidente na sombra). Utiliza a CP a seu bel-prazer para atingir objectivos pessoais.

      Se alguém da CP viesse a publico (na internet, jornais, etc) – tal como eu fiz – criticar alguma acção ou opinião minha… nada contra. Não podem é abusar da sua posição e utilizar o partido para esses fins. Isto não é o partido comunista!

      Qualquer pessoa pode reagir com indignação (tal como eu) mas não qualquer orgão. Os orgãos do partido devem respeito aos estatutos e às instâncias superiores.

      Acho graça que o senhor venha dizer que eu é que estou a tentar coarctar a CP. Eu? Com que poder? O que eu tenho é apenas o crédito que me poderá dar o meu carácter, a minha personalidade e a minha independência.

      Se o PSD Nacional se regisse da mesma forma que o PSD Sto Tirso, o que já teriam feito a Marcelo Rebelo de Sousa? E sería agora Passos Coelho presidente do PSD depois de ter passado 2 anos a dizer mal de Ferreira Leite? O mesmo se passaría com ela que disse mal de Menezes durante uns meses. Ou mesmo deste que também disse muito mal de Marques Mendes…

  6. José Manuel Silvano diz:

    Caro Luís Melo,

    Cada vez tenho mais dificuldade em perceber a apelidada “lei da Rolha” de que acusa o PSD de Santo Tirso.

    No seu texto de abertura refere e permita-me que o cite “”a CP concelhia analisou o que denominou de “caso Luís Melo” e deliberou, em reunião de 19 de Fevereiro de 2010, lamentar e repudiar o comportamento do militante nº 69491 Luís Melo””.

    Caro Luís, depois de ler e reler os estatutos do PSD, não consigo encontrar nesta posição qualquer sanção e muito menos qualquer violação dos normativos internos do PSD, nomeadamente aqueles que cita.

    Na sua ultima nota refere, permita-me que uma vez mais o cite “Qualquer pessoa pode reagir com indignação (tal como eu) mas não qualquer órgão. Os órgãos do partido devem respeito aos estatutos e às instâncias superiores” . Confesso que não sou um profundo conhecer de leis, mas procurei nos estatutos qualquer alínea ou artigo que impedisse os órgãos concelhios, distritais e mesmo nacionais de manifestar a sua indignação ou repúdio por declarações proferidas por militantes e nada encontrei. Se puder situar-me, agradeço. Se assim fosse, e ainda bem que não é, estaríamos perante um autêntica e grave “Lei da Rolha”.

    Caro Luís Melo permita-me que lhe diga que há qualquer coisa que não bate certo! O seu texto, que me parece desajustado para um militante que já teve responsabilidades no PSD de Santo Tirso, não dignifica o seu PSD, mas também não dignifica o Luís. Cheira muito a revanchismo político. O texto e os comentários subsequentes são confusos, contraditórios e desprovidos de coerência. Permita-me que lhe diga que o Luís recorre à maledicência com o objectivo de atacar o ex-presidente Alírio Canceles. Independentemente das razões que possa ter, este texto esgota-se na maledicência.

    Termino, sem que antes lhe diga que por curiosidade fui espreitar o site do PSD de Santo Tirso, para ver a composição do comissão politica, que o Luís acusa de “politicamente inapta” e vi lá o nome de Drº Manuel Mirra na qualidade de Vice-Presidente que e está com o Drº José Pedro Miranda na Junta de Santo Tirso; o Srº Manuel Leal, presidente da Junta de Monte Córdova, que como o Luís sabe teve o melhor resultado do concelho; o Srº Paulo Bento, presidente da Junta de Agrela, que também logrou vencer; A Presidente Drª Andreia Neto que desde 2005 é eleita para a Junta de São Martinho do Campo; o Srº Manuel Marinho que já foi presidente do Núcleo de Santo Tirso/S. Miguel do Couto; o próprio Alírio Canceles, ex-membro da AM e actualmente com funções de vereador; etc., etc.

    Caro Luís Melo permita-me que lhe dê um conselho: deve continuar a dar a sua opinião, pois claro, mas não se deixe tentar pela crítica fácil e muito menos pelo ataque pessoal. Textos como o que publicou no seu blogue apenas contribuem para a chicana política e para a maledicência de que estamos todos fartos!

    Cumprimentos

    • Luis Melo diz:

      Caro Silvano,

      Parece-me mais do que evidente que ao deliberar, em reunião, o comportamento de um militante, a comissão política (CP) quis aplicar uma sanção de a) Advertência ou Repreensão (duas das quais estão nos estatutos). Volto a repetir: A CP concelhia não tem o poder para o fazer. Além de que nem sequer ouviu as partes envolvidas. Fazendo isto desta forma está claramente a tentar meter uma rolha num militante. Penso que fui mais do que explícito e não vou voltar a repeti-lo.

      Quanto aos meus textos de opinião, desafio-o a mostrar onde estão as incoerências e as confusões. Diz também que o meu comportamento é desajustado, esquecendo-se que se há alguém aqui com mau comportamento são certos elementos da CP que há anos tentam fazer do PSD instrumento para subir na vida, ao invés de lutar pelos Tirsenses. Sempre que tive responsabilidades no partido pautei-me por uma postura séria e tentei fazer o melhor pelos outros e não por mim. Daí nunca ter sequer aceite lugar algum em listas.

      O que não dignifica o PSD é certas pessoas não terem um pingo de vergonha na cara e andarem a fazer do partido um feudo, usando-o para se servirem a eles e aos amigos. Além disso também não abona nada a favor do partido, dirigentes concelhios terem comportamentos comunistas ou ditatoriais para com os seus pares (militantes) ou simpatizantes.

      Eu já percebi que o senhor, talvez a mando de alguém, queria vir aqui tirar essa conclusão do revanchismo. O mesmo argumento que Alírio Canceles utiliza para me atacar. Queira saber que não quero a política para nada. Nunca me candidatei porque queria ser isto ou aquilo. Candidatei-me quando achei que podia (dentro das minhas limitações) fazer melhor do que quem se candidatava. E soube dizê-lo aos próprios sem qualquer tipo de problema. Ao perder colaborei com todos e soube dar o melhor de mim. Se estivesse aziado não o tinha feito.

      Quanto à composição da CP tenho a dizer-lhe o seguinte: Ser eleito em juntas, assembleias ou câmaras não é por si só um indicativo de que se tem qualidades políticas. Isso está à vista até nos nossos governos. Que qualidades políticas tinha Mário Lino? ou Manuel Pinho? ou Armando Vara? ou Rui Gomes da Silva? ou Isaltino Morais?

      A minha crítica não é fácil e o ataque pessoal não partiu de mim. Fui atacado pessoalmente, sem razão e de forma baixa. Tive então de responder, e como se costuma dizer “amor com amor se paga”. Respondi na mesma moeda e também para que os militantes do PSD Sto Tirso (muitas vezes distraídos) soubessem com o que contaram e continuarão a contar na direcção da CP. Chicana política e maledicência é o que fazem esses senhores todas as vezes que são chamados a zelar pelos interesses dos Tirsenses em reunião de Câmara ou em Assembleia Municipal. Convido-o a estar presente numa delas e verificar com os seus olhos o que é chicana política.

  7. José Manuel Silvano diz:

    Caro Luís,

    Lamento que tenha deixado cair a mascara, quando injustamente me acusa de estar a mando de alguém. Já percebi, quem divergir do Luís Melo, é porque está a mando de alguém, ou porque quer ostracizá-lo, ou pretende condiciona-lo. Na verdade, não vejo para além de si mais quem quer que seja a lamentar-se.

    Lamento que pense assim.

    Se dúvidas existiam quanto à maledicência que inquinam os seus textos, elas dissiparam-se, porque agora também os autarcas do PSD na Assembleia Municipal e na vereação são atacados e os responsáveis pela chicana política. Está a referir-se ao Drº Paulo Ferreira? ao Engº Augusto Souto? Ao Prof. José Afonso? à Arquitecta Felicidade Oliveira? à Drª Andreia Neto? ao Engº Paulo Oliveira? etc., etc. e na vereação ao Srº Alirio Canceles, ao Drº Mário Roriz, à Drª Sofia Brás, ao Drº Carlos Pacheco?

    Na verdade, com tantos “inimigos” deve ser difícil ao Luís conviver com o PSD de Santo Tirso.

    Estranho, o Luís Melo ataca tudo e todos! Não compreendo, só alguém motivado pelo ódio, pode disparar em todas as direcções e ver inimigos em todo o lado. Por aquilo que percebi e li, para os Luís no PSD de Santo Tirso são todos carneiros, fazem todos chicana política. Desculpe que lhe diga Luís, não percebo o que o prende ao PSD de Santo Tirso? Se é assim tudo tão mau, o que o prende afinal??

    O Luís fala constantemente dos militantes de Santo Tirso, que têm de saber isto e aquilo. A avaliar pelos resultados das eleições dos últimos anos parece que os militantes não estarão muito de acordo com o Luís. Se nos detivermos nas últimas eleições ficamos com a certeza que os militantes não estão mesmo de acordo com o Luís, porque foram os “tais” que acusa de chicana política a ganhar e de forma clara, diria mesmo, arrasadora. Já sei, o Luís vai fazer mais um intervalo na democracia e vai dizer que os militantes são todos caciques e que só se aproveitam 10% que foram os que votaram na lista onde estava o seu Pai. É verdade, dos mais de 300 votos, apenas 30 votaram na lista onde estava o seu Pai! Já percebi! É O LUIS CONTRA TODOS!!!

    • Luis Melo diz:

      Caro Silvano,

      Claro que não vê, para além de mim, mais alguém a lamentar-se. Isso é típico de outros também. Como diz o ditado o pior cego é aquele que não quer ver. Como é possível olhar para um PSD Santo Tirso que perdeu todas as eleições (Autárquicas, Legislativas e Europeias), que perdeu eleitos um pouco por todo o concelho, que perdeu militantes, que não conseguiu mobilizar simpatizantes (como em 2005 já com Abreu)… e achar que está tudo bem?

      Não tenha dúvida que muitos dos nomes que refere são os autores da chicana política. Infelizmente esses conjuntamente com muitos outros do PS são quem, em vez de tratar dos assuntos dos Tirsenses, se degladiam com insultos e remoques para cá e para lá. E não é o título de Drº ou Engº (que o senhor, e outros, tanto gostam) que coloca ninguém em patamares mais elevados.

      Meu caro, eu não tenho inimigos, muito menos no PSD Santo Tirso. Tenho sim gente de quem discordo na estratégia, nas ideias, na forma de agir e fazer política. É algo que o sr. não entende (juntamente com outros). Levam tudo para o campo pessoal e acham que tal como eles eu ando à procura de um qualquer tacho político na Câmara Municipal. E portanto é uma luta de galos para ver quem vai para o poleiro.

      A mim não me motiva ódio nenhum por ninguém. Ao criticar, a única coisa que me motiva a visão de que Santo Tirso cada vez mais definha e não tem soluções para se endireitar. O meu PSD tinha obrigação de fazer mais e melhor, vencer o PS que é inapto politicamente há muitos anos, e liderar uma estratégia que envolvesse os Tirsenses todos, rumo ao desenvolvimento. Mas em vez disso os dirigentes do PSD perdem-se no jogo do presidente da Câmara. O jogo do remoque e do insulto.

      A mim nada me prende ao PSD Santo Tirso a não ser o amor pelo partido e pela terra. Sei que muitos estão “presos” ao partido e de lá não se querem “desprender” porque andam à procura que algo lhes caia do céu. Portanto essa do estar “preso” não é para mim. Talvez para outros.

      Para finalizar, não julgue que me demovem resultados das eleições. Milhões de portugueses deram o seu voto a José Sócrates e agora já devem estar bem arrependidos de o ter feito. Leva tempo para que algumas pessoas abram os olhos. Quanto ao resto, a máscara cai-lhe a si quando – depois de ter tentado fazer-se passar por um simpatizante desinteressado – vem agora com o remoque da lista do meu Pai. A lista era protagonizada pelo Gonçalves Afonso e a favor de Paulo Rangel. Os srs. nem dormem só de pensar no Almeida Santos.

      Sozinho e contra todos? Não estou. Mas mesmo que estivesse… tal como Sá Carneiro disse uma vez “Nunca me senti tão sozinho e nunca tive tanta certeza de estar tão certo”. Talvez como a ele, o futuro me dê razão.

  8. José Manuel Silvano diz:

    Meu caro Luís,

    É verdade, em Santo Tirso, há muitos anos que o PS ganha tudo! Ganha para as Europeias; ganha para as Legislativas e ganha nas autárquicas. Mesmo no tempo em que nosso o PSD estava no poder e tínhamos deputados de Santo Tirso no parlamento. Mesmo no tempo em que tínhamos o seu Avô, que sem dúvida alguma admiro, mas que foi um dos homens mais influentes no PSD e no País, em Santo Tirso tivemos sempre resultados desastrosos. É verdade. O Luís, o seu Pai e tantos outros há muitos anos que gravitam em torno do PSD de Santo Tirso, quer com responsabilidades em órgãos internos como foi o caso do seu Pai numa Comissão política, quer mesmo o Luís na JSD e também no principal Núcleo do concelho.

    Quem lê o textos do Luís fica com sensação que o Luís nunca teve nada a ver com o PSD de Santo Tirso!! Estranho não acha?

    Mas o que é mais grave é que o Luís e não só, apenas se têm limitado a criticar, fragilizando o PSD e dificultando o seu trabalho em vez que fazer aquilo que em democracia se exige: APRESENTAR UMA ALTERNATIVA! CANDIDATAR-SE À COMISSÃO POLITICA! Pelo que sei em 2006 o seu Pai teve a coragem de materializar as críticas, não logrou vencer, é verdade, e o que é que fez?? Demitiu-se dos todos órgãos autárquicos.

    Quando o Luís refere que o PSD nada ganhou, deveria, assim como alguns que lhe são próximos, fazer um exame de consciência: O que fiz eu para ajudar o PSD de Santo Tirso?? Mas não, nada fizerem, como ainda apoiaram de forma não declarada o Srº José Graça e entretêm-se a criticar, criticar e criticar. É por isso que os militantes de Santo Tirso não contam convosco. Ao contrário do que afirma os militantes de Santo Tirso, já mostraram por diversas ocasiões que contam com aqueles que dão o seu melhor, que trabalham em prol do PSD e de Santo Tirso e por isso rejeitam aqueles que apenas se limitam a criticar e a atacar o PSD como o Luís o tem feitos neste blog, que este texto evidencia de forma clara e inequívoca. Nem o PS ataca o PSD desta forma, parece que nem precisa, por algumas pessoas do PSD têm feito estes favores a Castro Fernandes e Cª.

    Em relação ao seu Pai nada tenho contra ele, como deve compreender, mas existe uma clara relação de cumplicidade política com o Luís, e por isso, quando diz que as pessoas nem dormem a pensar no Almeida Santos me deixa perplexo. A avaliar pelos resultados que o seu Pai obteve nas eleições internas e nas autárquicas, não vejo porque as tais pessoas deveriam perder o sono ??? O que me parece é que o Luís e o seu Pai, não dormem a pensar no Alírio Canceles, porque é ele que ganha as eleições, e com resultados expressivos, É por demais evidente que vocês não o conseguem “digerir” o Alírio Canceles e por isso reduzem a vossa intervenção ao ataque e à maledicência.

    Cumprimentos

    • Luis Melo diz:

      Caro Silvano,

      Gravitar à volta do PSD Sto Tirso. Essa é de facto uma boa expressão para aqueles que há anos têm responsabilidades nas escolhas dos candidatos, das listas e das estratégias, perdem e depois não se vão embora. Ficam agarrados, a gravitar (ora como presidentes, ora como vogais), à espera que o poder lhes caia no colo.

      Quando tive responsabilidades na JSD dei o meu contributo em articulação com o presidente Pedro Hugo Almeida, no sentido de fazer renascer a JSD Santo Tirso. JSD essa que estava muribunda desde os tempos em que Zé Pedro Miranda tinha sido líder. Conseguimos fazer crescer o nº de militantes (sem amigos de esquerda que assinavam a ficha à espera do favor prometido) e fizemos renascer os mais importantes núcleos do concelho. Santo Tirso, S. Martinho, Roriz, Aves, Sta. Cristina, etc.

      Na minha óptica hà muitos anos que o partido deveria ter começado a fazer isto. A construir a partir de dentro. Nós (eu, Pedro Almeida, Isabel Peixoto, António Pedro Assunção, Carlos Meireles, etc.) é que fomos buscar o Carlos Pacheco e outros. Quisemos estar todos juntos para ganhar força e ganhar.

      Infelizmente na direcção do PSD tem estado gente que prefere o contrário. Separar, ostracizar, colocar de lado. E ainda não perceberam que não será assim que vão vencer. Principalmente quando os que ficam de lado são gente com capacidade e vontade.

      Quanto a apresentar alternativas e não criticar… Em 2004 antes de formalizar a candidatura à concelhia da JSD reuni com Carlos Pacheco (que também queria ser candidato) e João Abreu (à data presidente PSD) no sentido de unir esforços. Achava que era mais forte políticamente, mas contava com o Pacheco. Perdi e em seguida colaborei nas eleições autárquicas de 2005.

      Quanto ao apoio a José Graça e aos resultados nas eleições internas, mais parece que você escreve pelas mãos do Sr. Alírio Canceles. É algo que ele diria tal e qual como o sr. escreve. Não será você um alter-ego? Peço desculpa se não é…

      Em relação a perder o sono, não se trata de o perder por causa dos resultados das eleições, mas pelos complexos de inferioridade, pela inveja. O sr. Alírio Canceles é que não consegue “digerir” o facto de na sua secção ainda haver militantes que pensam pela sua cabeça e não vão na carneirada do costume.

  9. C.P.Andrade diz:

    É frustação pura e dura pelo facto de ser Alirio Canceles a ganhar e não o papazinho mais este traste.
    És um grande palhaço ó Luis.
    Não vales um chavo.
    Ahhh, que bem que sabe insultar-te.

    • Luis Melo diz:

      Publiquei este comentário anterior para que todos possam ver o verdadeiro objectivo desta gente que aqui vem comentar, sobre a capa de nomes falsos.

      Este senhor CP Andrade foi quem primeiro comentou este post e disse “demonstre um mínimo de carácter”. Ora o carácter dele está bem demonstrado neste comentário anterior.

      Recordar ainda que este mesmo senhor disse que quem estava a liderar o PSD era “gente digna, aberta, dialogante capazes de levar finalmente este país para a frente”. Ora não há dúvida que o comentário anterior é muito digno, muito aberto e dialogante.

  10. Maria Raquel Quintas diz:

    Só hoje tive a oportunidade, por indicação de um amigo, de ler e reler estes comentários do militante do meu partido Luís Melo. Poderia tecer aqui muitas considerações, mesmo muitas, mas vou apenas lamentar que o Luís Melo traga o PSD para a praça pública com ataques políticos e pessoais que na minha opinião fazem muito mal ao PSD. Não é com ataques pessoas que fragilizam o PSD que vamos lá! Mas irrita-me que o Luís tenha referido que e vou citá-lo “… (que risota) nem as freguesias deles foram capazes de levar para a frente…”. O Luís esqueceu-se que foi na sua freguesia (S. Miguel do Couto), com o seu envolvimento, que o PSD registou o pior resultado de sempre numa lista encabeçada pelo seu Pai, que quis presidente ser da Comissão Politica do PSD de Santo Tirso! Luís, sem comentários!

    • Luis Melo diz:

      Cara Maria Raquel,

      Quando as coisas não se conseguem resolver dentro de portas, concerteza que têm de se denunciar “cá fora” para que todos saibam.

      O que fiz não foi em meu benefício. Julgo que o PSD Sto Tirso foi “tomado” por pessoas sem capacidade política e que colocam interesses pessoais à frente dos colectivos.

      Daí a minha atitude tenha sido no sentido de alertar os militantes para o facto de o PSD e Santo Tirso não terem hipoteses de mudar nestas condições.

      Mas quando viu Menezes a criticar Marques Mendes, ou Ferreira Leite a criticar Menezes, ou Passos Coelho a criticar Ferreira Leite… também lamentou que o fizessem nas televisões?

      Segundo alguns “especialistas” isso não fragilizou o PSD. Até o fortaleceu. Aliás o resultado está à vista. Passos Coelho parece que conseguiu finalmente unir o partido.

      Os ataques que sempre fiz foram políticos. A questão para mim é falta de capacidade política. Fui depois atacado pessoalmente e respondi na mesma moeda. Não pensem que a educação que tive me inibe de me saber defender.

      Quanto ao resto, continua a demonstrar o mesmo pensamento errado dos senhores dirigentes do PSD. Acham sempre que se trata de invejas pessoais (daí virem falar em pais e avós) quando o problema é estritamente político.

  11. Maria Raquel Quintas diz:

    Não, não e não! Lamento mas não posso concordar consigo. Discordar politicamente, não é adjectivar os companheiros como o faz o Luis e vou citá-lo novamente “… além de politicamente inapta…”, “ … a mentalidade déspota do ex-presidente do PSD…” , “…. e não vai na carneirada…”, “… à qual não preside( formalmente, diga-se)…” “… uma coutada de meia dúzia de militantes…”. Luis, sinceramente! acha mesmo que o seu texto se resume a simples críticas de ordem política? De quem discorda da orientação do PSD de Santo Tirso?? Algumas partes do seu texto que citei evidenciam ataques pessoais e insultos gratuitos, não só ao ex-presidente Alirio Canceles, mas também a todos os elementos da CP e aos militantes em geral que apelida de “carneiros”. Quando diz que “o PSD é uma coutada de meia dúzia de militantes que delibera a seu bel prazer”, esquece-se que esses militantes foram sufragados por outros militantes e que democraticamente ganharam e não se apoderaram do PSD como o Luis refere. FORAM ELEITOS. Aliás os textos que o Luis refere estarem na origem da reacção da CP foram anteriores à recente eleição para a CP e por isso é legitimo questionar: SE TINHA TANTAS RAZÕES DE QUEIXA DA LIDERANÇA DO PSD DE SANTO TIRSO porque não fez como Menezes e Passos Coelho e foi consequente com essas critica apresentando uma alternativa?? Sempre tiver dificuldade em tolerar aqueles que no conforto do sofá se limitam a criticar, mas que na hora da verdade não dão a cara e não têm coragem de apresentar-se como alternativa. Não, não e não! Não gosto de críticos de sofá.

  12. Luis Melo diz:

    Cara Maria Raquel,

    Talvez fosse melhor ler o que os outros escrevem antes de destilar tanto ódio no comentário. Eu escrevi no comentário anterior “Os ataques que sempre fiz foram políticos… Fui depois atacado pessoalmente e respondi na mesma moeda. Não pensem que a educação que tive me inibe de me saber defender.”

    Foram eleitos. Claro que foram. A meu ver foram eleitos pelos carneiros. É a esses que chamo carneirada que não pensa pela própria cabeça.

    Quem é eleito “democraticamente” não tem o direito de governar “ditatorialmente”. A democracia não é só um sistema eleitoral, é também uma forma de organizar a sociedade, onde todos têm direitos e deveres.

    Quanto a criticos de sofá… eu andei no terreno durante muito tempo e cheguei até a candidatar-me à concelhia da JSD. Não me candidatei à do PSD porque houve gente mais capaz do que eu, que o fez (ao contrário de outros não penso que sou “o maior”).

    Não recebo lições de ninguém, no que diz respeito a conduta ética em relação ao PSD. Muito menos de quem anda nisto há meia-dúzia de dias, e a pensar no seu próprio benefício.

    Como vejo que o seu objectivo é o mesmo dos comentadores anteriores (sabe-se lá se também não é outro alter-ego) dou por terminado aqui este tête-a-tête. Não tenho paciência para repetir sempre a mesma coisa.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: