Taxar mais os “ricos” sim. Mas quais e como?

O português é muito curioso, quiçá até estranho. Ainda há pouco tempo atrás só falava de medidas do Governo para a Despesa, e de repente só fala de medidas do Governo para a Receita. E porquê? Porque agora não lhe toca a ele! Só aos “ricos” (os tais que odeia, apenas por inveja).

Defendo o equilíbrio das contas públicas cortando a Despesa. Mas sei que ele não é (infelizmente) possível sem aumento da receita. Daí aceito sem alarde o imposto especial sobre o subsídio de Natal, e o aumento do IVA na electricidade e gás (apesar de achar exagerado).

É necessário subir alguns impostos (ainda que temporariamente) e faz sentido que quem tem mais, pague mais. Mas vejamos: quem é abrangido pelo último escalão já paga 46,5% de IRS! Será justo fazê-los pagar mais? Não acho. Até porque os milionários não “vivem do ordenado”.

O que seria mais correcto era taxar o património: casas, terrenos, barcos, carros, jóias, obras de arte, acções, obrigações, etc. Mas não era apenas de pessoas individuais. Deveria também ser taxado o património de outras entidades, como Fundações, por exemplo.

Mais do que alguns milionários, há por aí muitas Fundações (algumas delas fundadas por, ou com o nome de, gente bem conhecida) que além de servir para objectivos não muito claros, beneficia de muitas benesses e grandes apoios do Estado.

Anúncios

6 Responses to Taxar mais os “ricos” sim. Mas quais e como?

  1. esmeralda antas diz:

    Ora exactamente! Não me canso de falar nisso. A Fundação Berardo a usar dinheiro do Estado porquê? A Fundação Mário Soares… porquê? Este país é um colosso, dizia há uns anos Ivone Silva em programa de humor! E o IVA do Golf? Outra “joia” da coroa! Deixavam de vir ao golf se o IVA fosse para os 23%????? Nã! Acho que não!

  2. Concordo, na generalidade! Muito embora me pareça que alguns dos referidos poderão sofrer dupla tributação.

    O assunto é importante e deve avançar. Mas!

    Para já! Penso que numa perspectiva de imposto extraordinário de emergência para acorrer à desgraçada situação em que nos encontramos.

    Para, logo a seguir! Se fazer uma coisa com principio, meio e fim, avançando com um novo código tributário a sério.

    Além das Fundações não se esqueçam dos idolatrados Jogadores de Futebol e quejandos que ganham milhões.

    Ou será que esses não são ricos??

  3. Só mais um comentário…

    Já viram que ninguém fala da economia paralela em que todos estamos envolvidos e que fomentamos à laburdia…

    É que aí, sim! Haverá muitos e muitos milhões para ir buscar. Muito mais do que aos tais ricos… Não se esqueçam que eles, por o serem, facilmente pegam no dinheiro e põem-no noutras paragens… E, depois, nós cá ficamos com a divida…

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: