Alberto João Jardim, o alvo fácil

Por estes dias, e de novo por razões exclusivamente eleitorais e tactico-partidárias, o alvo é Alberto João Jardim. Tanta demagogia tem sido derramada por vários agentes políticos na comunicação “dita” social.

AJJ é naturalmente um alvo fácil. Isto porque se expõe demasiado. O que não é um defeito, é apenas a consequência de não ter medo de se mostrar tal e qual como é. Não é hipocrita ou falso. É verdadeiro.

AJJ diz tudo o que lhe vem à cabeça, o que numa sociedade como a portuguesa, é um handicap. É a sua maneira de ser, mas também advém do crédito e autoridade que foi acumulando ao longo de tantos anos.

É inquestionável que fez obra na Madeira. Tornou o arquipélago na região mais rica e desenvolvida do país. Por muito que custe, é por isso, e mais nada, que vence consecutivamente eleições com maioria desde 1978.

E é escusado dizerem que isso se deveu ao muito dinheiro que recebeu da UE. Também o Continente e os Açores receberam. O Continente desperdiçou-o em estádios, CCB, Auto-Estradas, Expo98, e os Açores é o que (não) se vê.

Uma coisa é certa, tal como a Santana Lopes (outro alvo fácil), não é conhecida a AJJ nenhuma fortuna pessoal, não lhe é conhecido nenhum luxo. É um homem simples que não enriqueceu à custa da política.

Além disso é um grande homem, um intelecto superior. Apesar de muitos acharem apenas que é um déspota, um homem tacanho na forma de agir, ele é inteligente e prova-o a cada dia que passa.

A imagem que o resto do país tem advém do facto de ser regionalista. Mas tal como Pinto da Costa no futebol, ele apenas usa o regionalismo como arma contra o centralismo de Lisboa. Os interesses, a maçonaria, etc.

AJJ é um grande político, como já há poucos, e uma das provas disso foi a intervenção que teve no 32º Congresso do PSD. Numa altura em que todos se preocupavam apenas com as internas, teve uma intervenção política ímpar.

Obviamente que, como qualquer outro governante, estando há tempo demais no lugar de Presidente do Governo, desenvolveu vícios. Usou também meios incorrectos e teve falta de ética em certas situações, para defender a sua posição.

Deverá e será avaliado e julgado pelos madeirenses, tal e qual como deve ser em democracia, nas próximas eleições regionais. É apenas e só isto. Que se saiba, a CRP e a Lei não têm dois pesos ou duas medidas para Governantes e ex-Governantes.

12 Responses to Alberto João Jardim, o alvo fácil

  1. José António Salcedo diz:

    Os buracos da Madeira não são nada quando comparados com os buracos das empresas do sector empresarial do Estado tal como se desenvolveram durante as governações socialistas. Esses sim, deveriam dar lugar a cadeia para muitos gestores.

    • Luis Melo diz:

      Caro José António, ambos os buracos foram uma irresponsabilidade. Agora não venham é fazer como o PS, que condena com veemência o buraco da Madeira (e até já pede que AJJ seja julgado politicamente e não só) mas esquece-se do buraco do país e das empresas do estado, da responsabilidade dos militantes do seu partido e do seu governo.

  2. Bem visto e muito bem dito!

    Aqui está uma abordagem correcta e imparcial sobre um homem que até agora apenas serviu o País, defendendo as suas convicções e os seus. Com obra feita e provas dadas.

    Muito poucos se podem orgulhar de terem o reconhecimento de tantos. Teve e tem falhas? Claro! Mas, com ele, toda a gente sabe com o que conta! É competente na intervenção e frontal na atitude.

    • Luis Melo diz:

      Exactamente isso. Para o bem ou para o mal, as pessoas sabem com o que contam. E se o elegem é porque o acham o melhor para defender a sua região e a sua população.

  3. Delfim Rocha diz:

    O povo da madeira vota AJJ porque ele os comprou com o nosso dinheiro. A economia da madeira é virtual para não dizer irreal. E quanto aos sinais de riqueza que diz não ter, o que pensa dos 70 restaurantes de que é proprietário ? Por amor de Deus… dizer bem deste homem é uma afronta á inteligência de todos nós. Aliás não sei como ele não se dava bem com o Socrates, são exactamente iguais, ou seja: ladrões, corruptos e mentirosos.

  4. Delfim Rocha diz:

    O que irá dizer Passos Coelho sobre Alberto João depois destas afirmações ditas por AJJ durante a sua “carreira”:

    – “O comportamento do senhor Silva [Cavaco Silva]é causa de expulsão, espero que de uma vez por todas o partido deixe de ser politicamente correcto e limpe o partido”
    Fevereiro 2005

    – “Há três lobbies que mandam hoje em Lisboa: o lóbi da comunicação social; o lóbi gay; e o lóbi da droga”

    – “Onde é que está esse sacana [Marques Mendes]? É tão pequenino que ninguém o vê”
    30 de Julho de 2007

    – “Estamos subordinados às patetices que se fazem em Lisboa”
    14 de Janeiro de 2007

    – “Essa história que há liberdade de imprensa em Portugal é uma treta”
    14 de Janeiro de 2007

    – “Há uns bastardos da comunicação social do continente – digo bastardos para não dizer filhos da put* – que aproveitaram este ensejo para desabar ódio sobre a minha pessoa”
    Junho de 2008

    – “Se o povo da Madeira amanhã quiser a independência, ai eu sou o primeiro a estar ao lado do Povo”
    15 de Janeiro de 2008

    Pois eu digo que, se o povo d Madeira voltar a eleger AJJ, eu daria a independencia á Madeira JÁ !

  5. Inês Tavares diz:

    Onde se situam os restaurantes? Quero ver se são tascas para o povo, ou locais exclusivos para os ‘colonialistas’.
    Quem afirma, prova!

  6. Delfim Rocha diz:

    Cara Inês, não sei se é a mim que me pede provas, eu que citando os jornais falo dos restaurantes. No entanto não percebo o “tom” do seu comentário.
    Acha que estaria bem se fossem “tascas para o povo” ?
    Ou parece-lhe que seria melhor se fosse para os “colonialistas” ?

    Já agora, para si o Continente são os “Colonialistas” ?

    É que cá para mim somos os pagadores ! Ou é preciso falar de Iva, Gasolina, beneficios fiscais, etc etc etc…

    Quantos centros de saúde têm por habitante ? Perdão, quantos habitantes têm por centro de saúde ?

    Qual é o PIB REAL da Madeira e quanto gastam PER capita ?
    É que só o buraco de 2000 milhoes para 300 mil habitantes dá a modica quantia de 6.666 euros por habitante. E isto é só a derrapagem falta juntar o déficite “legal”.

    Cara Inês, não tenha dúvidas o AJJ deve ir PRESO e bem PRESO.

  7. Ricardo Ferreira diz:

    Os Açores não receberam nem um décimo do que a madeira recebeu. Nos açores existe um sistema de incompatibilidades. Nos Açores não existe um jornal financiado pelo governo. Nos Açores não existe um centro cultural com capacidade para 500 pessoas numa freguesia de 300. Noa Açores não existe uma divida de 6 mil milhões de euros. Nos Açores não existem as sociedades de desenvolvimento, uma tentativa de mascarar a divida. Noa Açores, o levantamento das imunidades é igual para as pessoas de todos os partidos. Nos Açores existem 9 ilhas. Na Madeira duas. Não me venha falar de alvos faceis… AJJ é um ditador, populista e despesista que não sabia fazer com o dinheiro. A obra que fez ajudou a dar cabo da ilha. É so falar com profs universitários da Madeira e questionar. A sua parcialidade mete medo ao susto. Mas parabéns, a trabalhar assim pode vir a ganhar um tacho.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: