O Governo não nos consegue tirar do buraco

Segundo os números disponibilizados o PIB português, ou seja, a riqueza gerada em Portugal é de 170.000 M€. A Dívida Pública ascende a 100% do PIB, ou seja, 170.000 M€. A Dívida Privada ascende a 200% do PIB, ou seja, 340.000 M€.

Portugal gera anualmente 170.000 M€, mas tem dívidas que ultrapassam 500.000 M€. Mais: nos últimos 20 anos, a média do défice das contas públicas tem sido de 5%. Anualmente o Estado gasta mais 8.500 M€ do que aquilo que produzimos.

Daqui se pode ver que o nosso problema financeiro não se resolverá com a venda da EDP (apenas 3.000 M€), com o corte de subsídios de férias e natal (apenas 1.000 M€), com a venda da REN (apenas 600 M€) ou com outras medidas recentes.

Não há dúvida que estas medidas são muito necessárias, mas infelizmente não suficientes. Portugal só sairá do buraco com mais trabalho, mais produtividade, mais competitividade, mais exportações. Mas isso não se faz por decreto.

Compete ao Governo criar condições. O que pode fazer é implementar reformas estruturais: Na Justiça, para criar confiança; Na Educação, para gerar conhecimento; Na Economia, para atrair investimento; Na Saúde, para melhorar o bem-estar.

O Governo está a fazer a sua parte (nalguns sectores bem encaminhada, noutros ainda com muito a percorrer), mas o resto compete a todos os portugueses. Como se pode ver pelos números acima, o problema não pode ser resolvido apenas pelo Governo.

Anúncios

6 Responses to O Governo não nos consegue tirar do buraco

  1. cefaria diz:

    Cá está umas demonstrações simples que não deixam a minha costela portuguesa nada tranquila… mesmo com a minha a outra nacionalidade seja canadiana.

  2. Nuno Guimarães diz:

    O teu artigo faz-me lembrar uma frase de uma campanha eleitoral na terra do tio Sam!

  3. jfssmendes diz:

    Acho que há aqui um erro qualquer de matemática: quando se diz que o défice é cerca de x% do PIB, não quer dizer que o Estado consuma mais x% do que a totalidade do País produz.
    Fazendo uma demonstração simples: imaginando que temos um país cujo PIB é 100 e cujo orçamento de Estado é 50. Se se diz que o Estado tem um déficit orçamental de 5% do PIB, não significa que o gastou 105 (somatório do PIB mais os 5% de deficit), mas sim 55 (o orçamento, mais o deficit orçamental, medido em percentagem do PIB).

    • Luis Melo diz:

      Caro José,

      Admito que assim seja. Não sou economista e muito menos financeiro. Não posso dizer-lhe por isso com certeza se tem razão. Mas irei averiguar porque também me interessa saber.

      De qualquer forma, a intenção do texto mantém-se intocável. Não serão as privatizações e outras medidas tomadas unica e exclusivamente pelo governo, que irão acabar com a “crise”.

      • Se assim fosse era óptimo… Um Pib de 100 e um orçamento de 50… O problema é que seguindo o seu raciocínio estaremos mais próximos do inverso.. E aí é que está o problema..

        E se eu lhe disser que o endividamento público já ultrapassa os 100% do Pib… Já percebe onde estamos metidos??? Ou precisa de um desenho??..

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: