Os meus amigos carneiros que comem tudo

Exemplo de um dos muitos textos partilhados no Facebook, por gente sem qualquer capacidade de pensar pela sua própria cabeça. Carneiros que “comem tudo o que lhes dão”, sem questionar o que quer que seja.

Hoje aconteceu um episódio que sinceramente nem queria acreditar. Eu viajo diariamente do Porto para Aveiro mas nunca tinha acontecido algo tão mau. Um rapaz entrou na estação de Ovar, ao que me apercebi, com uma cadelita (super meiga e muito novinha), eu sei que os animais devem viajar com algumas condicionantes mas este rapaz entrou, dirigindo-se calmamente para o final do comboio. O revisor implicou com o facto de a cadelinha não ter bilhete (ninguém sabia que os animais pagavam bilhete, sabiam? eu não). O comboio parou a marcha na estação de Estarreja, o revisor chama a polícia para tratar da situação. Os passageiros revoltam-se e até se oferecem para pagar os 2€ do bilhete (algo que o dono já tinha proposto), no entanto, o revisor não permitiu (alguém que realmente zela pela CP!!!!). Pois… mas o problema é o facto do revisor não se lembrar que aquele é o meio de transporte de muita gente que se lavanta às 06H30 da manhã para ir trabalhar para a Invicta (imbecil) e fez toda esta gente ficar à espera da polícia por causa de 2€???????. As pessoas estavam todas revoltadas mas o revisor…nada. Chega a polícia identifica o rapaz diz-lhe que deveria ter pago 2€, todas as pessoas (repetem) que pagam os 2€ e o que faz a polícia???? Adivinhem…agarram o rapaz à bruta (ele teve de largar a trela da cadelinha porque caso contrário ela era maltratada ai, o amigo dele pega na cadelinha que cheia de medo começa a ladrar porque vê que estão a fazer mal ao dono (ao contrário de alguns “humanos” os animais defendem o dono, só é pena esta cadelinha não se ter transformado (como nos filmes) numa leõa e acreditem que eu não teria ficado tão nervosa e até tinha compreendido a natureza). Bateram no rapaz sem qualquer problema, bateram no amigo como se de dois assasinos se tratasse. Todas as pessoas viram chamaram nomes, gritaram mas…nada e sabem porque? Porque estes 3 individuos (2 polícias e o revisor) não vão sofrer qualquer consequência. Amanhã se o revisor se lembrar chama a polícia para tirar do comboio um velhinho. Eu fui uma das pessoas que fui ter com ele educadamente e referi que pagava o bilhete, disse que ia reclamar e ele muito tranquilamente referiu faz muito bem!. Estou farta de chorar porque realmente estamos entregues a alguns. Eu pergunto será que os dirigentes da CP pactuam com este tipo de situações, não tem nada a dizer? Será que os polícias não deveriam ter uma parte pedagógica? Não deveriam ser mais profissionais? Mais Humanos? Alguém os tratou mal? Não. Gostava de referir que em Ovar entra uma Sra Romena que cheira pior que um animal selvagem ou abandonado ou quase morto (todas as pessoas que fazem este trajeto sabem do que estou a falar) e já foi pedido a muitos revisores que não a deixassem entrar por uma questão de sáude pública, no entanto, a resposta é: tem bilhete! Pois… mas eu prefiro viajar com uma cadelinha. O rapaz cometeu o erro nconsciente)de não ter comprado o bilhete da cadelinha mas isso é um crime tão grave? Quero deixar bem claro que não conheço nenhum dos intervenientes incluindo a cadelinha. Os polícias são os que estão nas fotos, a fera (cadelinha) está no meio deles (sem perceber nada), o comboio é o nº 15747 São Bento/Aveiro das 18H05 de ontem dia 21. Partilhem, por favor, com o maior nº de pessoas pode ser que entre elas esteja alguém, responsável, consciente e que leve esta situação um pouco mais além. Desculpem o longo texto, desculpem o desabafo mas nunca nos devemos calar. MM

Textos mal construídos, mal escritos, sem um fio de raciocínio, cheios de erros de ortografia e sintaxe. Textos que claramente não espelham a realidade dos factos e muitas vezes são falsos.

Textos que pretendem denegrir as autoridades do Estado de Direito, e heroicizar aqueles que quebram as leis. Textos que querem fazer passar a ideia de que a crise é desculpa para tudo.

Textos impregnados de preconceitos, radicalismos e extremismos. Textos sem um pingo de responsabilidade, equilíbrio, bom senso ou senso comum. Textos cheios de insinuações gratuitas.

Textos onde, depois de tanta asneira e suspeita criada sem prova, o autor se tenta fazer passar por uma pessoa responsável, íntegra, imparcial, confiável, respeitável e respeitadora.

E custa-me ver muita gente, alguma dela das minhas relações, educada, formada e informada (ou assim eu pensava), partilhar estas aberrações nas redes sociais, julgando que está a dar um grande contributo.

Anúncios

20 Responses to Os meus amigos carneiros que comem tudo

  1. i! diz:

    Mas eu, já vi polícias no Porto, que em meninas bonitas a falar ao telemóvel não passam multa, e ,ia, um sénior a falar ao telemóvel e passaram uma multa,e já vi revisorespassarem multas a jovens que não pagaram bilhetes do metro.

  2. As iniciais MM pertencem à pessoa de quem estou a pensar??

  3. mf diz:

    uauuuuu….. um post que não fala no Alirio:)

  4. oi... diz:

    Pois é, sao sempre as mesmas pessoas a escrever no facebook em vários blogues,até falam em programas de rádio e televisão.O que é que eles fazem na vida?

  5. http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/sociedade/detidos-por-nao-pagarem-bilhete-do-cao-com-video

    O vídeo acaba por comprovar grande parte do texto. Principalmente, tratar-se de agentes que não merecem honrar um força de segurança num Estado de Direito e democrático.

    A GNR da Murtosa fica muito mal na fotografia. Se fazem isto à frente de toda a gente, que hipóteses temos de acreditar na versão deles quando se trata de acusações em postos da GNR ou em locais sem testemunhas?

    É um caso de polícia e espero que não haja panos quentes com o fantasma da Força de Segurança.

    • Luis Melo diz:

      Cris, o vídeo nao prova nem mostra nada. Nao se consegue ver nada que comprove a teoria do texto. Tu és uma pessoa bem formada e informada. De certeza que consegues raciocinar um pouco e imaginar o que terá acontecido.

      Cris, eu coloco aqui um cenário: O rapaz ia com o cao e o amigo no comboio. O revisor ao passar interpelou-o pedindo o bilhete (é a sua funcao, apenas cumpria o seu trabalho). O rapaz nao tinha o bilhete mas de imediato disse que o pagava. Isto, apesar de ser um coitadinho que ficou desempregado, tem a mae acamada e vive com o subsídio de desemprego. Aliás, ele até ia para o Porto a uma entrevista de emprego como tratador de caes. O amigo, pessoa educadíssima e com muito respeito por qualquer autoridade, também pediu desculpa e pediu ao revisor que os deixassem pagar. O revisor, que é um sádico atrasado mental, disse “Nao, nao! Agora vou chamar a polícia!”. Na estacao seguinte o comboio parou e a GNR entrou. O rapaz penitenciou-se e disse novamente que estava disposto a pagar o bilhete. Quase chorava a implorar educadamente á GNR e ao revisor que lhe deixassem pagar o bilhete. A GNR, sádicos imbecis, disse “Nao, nao! Agora vais levar um arraial de pancada porque nao pagaste o bilhete”. E ali, em frente a tanta testemunha, agarrou no rapaz e espancou-o, acabando-o por o levar preso… é obviamente o cenário mais plausível nesta situacao.

      Ou alguém acha que eu acredito que os dois rapazes cagaram no revisor, ainda gozaram com a cara dele, e quando ele chamou a GNR eles voltaram a cagar para a autoridade, desafiaram os guardas e nao obedeceram á ordem de sair do comboio?

      Nada disso! Eles estavam ambos a rezar o terco quando o revisor os abordou e depois estavam a rezar outro terco quando a GNR os espancou.

  6. Luis Melo diz:

    As pessoas contam o que lhes convém (como contou quem escreveu o texto), e os jornais e TVs também mostram o que lhes convém (como mostra o vídeo do CM). Onde estao as imagens ou relatos do que se passou desde o momento em que o revisor chegou até á altura em que comeca esta vídeo? Pois, ninguém sabe o que se passou. Mas como digo, os coitadinhos estavam a rezar o terco, e os anormais sádicos dos GNR resolveram divertir-se e espancá-los.

  7. Luis Melo diz:

    Tu já viste muita falta de educação das forças de segurança. Pois eu já vi muita mais, e muito desrespeito pelas dos cidadaos pelas forças de segurança ou pela autoridade (no caso o Revisor é uma autoridade dentro do comboio). Hoje em dia ninguém quer saber de autoridade, de polícia, de guarda. Ninguém respeita as leis nem as forças de segurança. Este país é uma anarquia onde cada um faz o que quiser e acha que está no direito, porque a LIBERDADE chegou com o 25 Abril 74. Vá-se lá saber a diferenca entre LIBERDADE e LIBERTINAGEM ou entre DEMOCRACIA e ANARQUIA

  8. Luis Melo diz:

    De resto, e para terminar a conversa, transcrevo um excerto do texto da senhora que o escreveu e que ficou muito impressionada com a maneira como os GNR trataram os meninos bem comportados… “Gostava de referir que em Ovar entra uma Sra Romena que cheira pior que um animal selvagem ou abandonado ou quase morto (todas as pessoas que fazem este trajeto sabem do que estou a falar) e já foi pedido a muitos revisores que não a deixassem entrar por uma questão de sáude pública, no entanto, a resposta é: tem bilhete! Pois… mas eu prefiro viajar com uma cadelinha”… e é isto o conceito de liberdade e de democracia. Está tudo dito quanto á credibilidade do relato desta senhora.

    • artur diz:

      sr. luis quando leu este texto e verificou este excerto nunca o deveria ter publicado no seu blog,essa sra. não tem credibilidade nenhuma e divulgar o texto dela é na minha opinião um erro,é esse tipo de gente que me faz vergonha de ser português.As regras são feitas para se cumprirem só assim poderemos viver em liberdade.

  9. João Gomes diz:

    Devo dizer que me revolta o estômago, esta sobranceria de quem se acha superior. Criticando os erros e a forma da escrita do texto da tal Sra. que ía no comboio e falando de algo que não viram nem querem ver. O sr. Luis Melo, estava na composição? Leu o que várias pessoas que estavam na carruagem escreveram?ou pelo menos viu o Video? É que não me parece. Caso contrário saberia que além do rapaz de dispor a pagar o bolhete várias pessoas o fizeram e o revisor recusou. Espero sinceramente que nunca seja tratado da mesma forma pela GNR ou PSP, pelo facto de estar a ir á “missa”. Gostarei de saber o que dirá nessa situação. Já nem falo de ser tratado da mesma forma pelo revisor,porque o Sr. concerteza nem andará de comboio. Mas talvez seja dos que tanto criticam os ferroviários quando fazem “essa vergonha chamada greve”. Aí sim talvez o Sr. Luis Melo e quem escreveu este post achem que o funcionário da CP tem uma atitude reprovável, neste caso da cadela não, acham que se portou dignamente, o rapaz e o cão é que não. Até me admira não exigirem também o abate imediato da cadela.

  10. hum... diz:

    Estranho,o texto diz:Eu viajo do Porto para Aveiro neste comboio…E depois diz:é o meio de transporte de muita gente que se levanta às 6 e 30 horas da manhã para ir trabalhar para invicta,(imbecil).Estranho…

  11. hum... diz:

    Estranho,também esta notícia não aparecer nos telejornais, na tv,se fosse em Lisboa, tinha dado,como é no Porto não deu…

  12. Pois não faço ideia de tudo o que se passou mas que a resposta da policia parece desproporcional à ofensa praticada lá isso parece. E o problema é que se é verdade e concordo que a autoridade tem de ser respeitada também não deixa de ser verdade que se deve dar ao respeito. E para isso é fundamental que reaja de forma adequada. Neste caso penso que teria sido muito melhor limitarem-se a identificar o jovem e autua-lo em vez de tentarem tirar-lo do comboio. É uma questão de bom senso que está acima das regras.

  13. Afonso Vilela diz:

    Preocupo-me mais com este: http://www.youtube.com/watch?v=ECeuhI6q9kY&feature=youtu.be

    E por acaso já o debati com agentes de forças de segurança, os quais pelos vistos estão apenas formatados para dizer o seguinte: “em caso de manifestação temos de lavrar o auto de ocorrência para ver se foram cumpridos os requisitos legais tais como a comunicação à câmara municipal”. E depois perguntei eu, onde estava a manifestação ?Agora porque falamos para meia dúzia de câmaras de filmar temos de ser identificados?e se houvesse recusa, eram detidos? Não andamos nós a entrar num espírito de ultraprotecionismo do chamado estado de direito?

    E agora de volta ao caso em apreço: Tanto o texto como a análise do Luís parecem-me corrompidas. E a verdade dos factos parece-me que se encontra no meio termo. Nem acredito como ironiza o Luís que houve um comportamento exemplar por parte dos jovens, e aqui ressalvo, é que nem eu sabia que os animais pagavam bilhete, penso portanto que a maioria também não o sabe,visto que ando semanalmente de comboio, como também não acredito no exemplaridade do comportamento do revisor e da polícia.Caiu-se num excesso,aproveitou-se uma norma de utilização, e não uma lei como diz o Luís, para com isso exercer o poder coercivo para o pagamento do bilhete.Podia haver bom senso, e não houve.E não se trata de “heroicizar” o infractor, mas também não o podemos “criminalizar” por um qualquer comportamento que não configure o respeito integral das normas, ainda para mais daquelas que porventura não são facilmente interpretadas. Porque a questão podia-me muito bem ter sido resolvida com o pagamento (ou não) do bilhete.Havia inúmeras formas que poderiam ter resolvido o caso, todas elas menos nefastas do que o que posteriormente aconteceu. Não foi o caso e o que se gerou posteriormente foi o descambar da situação por parte das forças de segurança, que a bem da verdade estão formatadas para actuar de determinada forma, funcionam a partir de regulamentos e leis e às vezes esquecem-se da razoabilidade.O mesmo aconteceu com o revisor, que se transvestiu em fiscalizador obtuso e cumpridor zeloso de normas.

    Porque a questão nunca foram os dois euros, como tendenciosamente quis fazer saber a CP, visto que não acredito que por esse valor algum dos utentes, mesmo que houvesse relutância por parte do rapaz, não o quisesse prontamente pagar para evitar todo o transtorno.

    e agora uma farpa final para o Luís, o que me parece é que este governo quer criar do comum dos cidadãos um fiscal, ou então um OPC e parece-me que isto poderá ser o resultado de uma tentativa de demarcação por sobrevalorização de quem efetivamente tem essa função. O que leva a meu ver a um maior distanciamento entre estas entidades e a restante sociedade, que vive, e não esqueçamos,em verdadeiro estado de necessidade e de pré ruptura social e económica. E não é “desculpa” como diz, é a realidade, e como sei que não está cá talvez não tenha essa percepção.

  14. Anónimo diz:

    O revisor estava armar-se em herói ,que tinha poder,alguns revisores do comboios,mandam sair na próxima paragem,a pessoa que não paga bilhete.

  15. Dúvida diz:

    Podiam-me informar, se uma pessoa que não paga um bilhete de comboio pessoal e animal se paga uma multa?

  16. Anónimo diz:

    É privatizar a CP.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: