Santo Tirso, Autárquicas 2013: uma primeira impressão

Já lá vão 2 meses desde que o PSD Santo Tirso apresentou o seu candidato à CM Santo Tirso nas Autárquicas 2013 sem que os militantes fossem consultados. O candidato imposto pela Comissão Política liderada por Alírio Canceles foi, sem surpresa, Alírio Canceles.

Pouco tempo antes o PS Santo Tirso tinha já escolhido o seu candidato à CM Santo Tirso nas Autárquicas 2013 em eleições internas quentes e polémicas onde todos os militantes foram chamados a votar, e que legitimaram claramente Joaquim Couto.

Desde então que a campanha está na rua. Na rua, nos jornais e na internet. Ambas as candidaturas se têm desdobrado em acções pelo concelho e também em partilhas nas redes sociais, principalmente no Facebook. É precisamente aqui que tenho acompanhado.

O que tenho visto não augura nada de bom. O concelho está para o país como o país está para a Europa. Santo Tirso está numa situação claramente deficitária, o desemprego é assustador, o tecido empresarial está moribundo. E nenhum candidato inspira confiança.

O candidato do PSD é paupérrimo e a sua campanha uma vergonha. Na sua página do Facebook, principal meio de comunicação da candidatura, apenas se vêem ataques ao actual executivo da CMST e a Castro Fernandes; ataques a Joaquim Couto; ataques ao Jornal de Santo Thyrso.

Vêem-se também fotografias de visitas a algumas instituições, claramente “para a fotografia” ou de visitas repetidas e inconsequentes às freguesias – algumas delas com mais de 1 ano onde o candidato se faz acompanhar por pessoas que até estão contra a sua candidatura.

De resto, umas fotografias em jantares de instituições, jogos de futebol, de futsal, de andebol, ou na cerimónia do 25 de Abril, claramente ” só para aparecer” – como prova a publicação de fotografias na recepção ao presidente do SL Benfica, como se isso fosse relevantíssimo.

Quanto a ideias claras, a propostas concretas, a soluções possiveis… nada! Quanto a uma estratégia delineada, a um programa projectado, a um rumo definido… nada! Quanto a uma equipa ou possíveis nomes para a integrar… nada! Apenas um one man show com os mesmos carneiros de sempre à volta.

O candidato do PS por seu lado, mostra uma atitude claramente mais positiva e também toda a sua experiência política. A sua página do Facebook, principal meio de comunicação da candidatura, apresenta uma mensagem afirmativa bem como várias mensagens de apoio de muitos ilustres Tirsenses.

Vê-se que as fotografias publicadas nos mais variados eventos e visitas não são propositadas, e têm um carácter normal, informal e descontraído, mostrando o à-vontade do candidato. Quem nelas aparece é gente de dentro e de fora do partido que aparenta um apoio sincero.

A realização de conferências para discussão de ideias e a participação em fóruns que visam compromissos com outros concelhos ou regiões revelam alguma abertura e a procura de soluções. Mas até agora pouco mais do que isso. Nada de concreto. E aquela ideia inicial do “As minhas propostas para Sto Tirso” foi ridícula.

As entrevistas a jornais de tiragem nacional e a canais de televisão, o profissionalismo colocado na sede de candidatura e na sua inauguração, bem como na reportagem sobre a mesma, mostram também a dimensão, a determinação e o compromisso do candidato.

De resto, quanto à definição de uma equipa ou de possíveis nomes para a integrar, também nada ainda definido. Apenas a certeza de que José Pedro Machado (vereador do actual executivo e apoiante de primeira hora de Joaquim Couto) estará com toda a certeza na linha da frente.

Anúncios

14 Responses to Santo Tirso, Autárquicas 2013: uma primeira impressão

  1. Raquel Castro diz:

    Esta apreciação do Luis Melo é legitima, mas parcial, percebe-se! Quando se refere à sede de campanha de Joaquim Couto o Luis deveria interrogar-se ” de onde vem tanto dinheiro?”. É verdade Luis, de onde vem tanto dinheiro para ter uma sede cuja renda ronda os 1500 euros por mês e montar um espaço com sumptuoso? O Luis não perguntou mas eu explico: A empresa Mediana, de que e sócio Joaquim Couto e Manuela Couto beneficiaram do estado e das camaras socialistas de 2009 a 2013 de cerca de 700 mil euros, SETECENTOS MIL EUROS ! Por isso pode ser tudo à grande, pagamos nós!

    http://www.base.gov.pt/base2/html/pesquisas/contratos.shtml

    • Luis Melo diz:

      Cara Raquel Castro,

      Parcial será sempre, se analisada por um dos lados que é criticado. No seu caso, o lado que é contra Joaquim Couto. Eu não tenho de me interrogar de nada. O que eu quero é saber se a partir de Outubro 2013 Santo Tirso terá alguém com capacidade para definitivamente dar a volta a um concelho moribundo. E isso, como refiro no post, não estou a conseguir ver. Interessa-me, como disse, soluções, ideias, rumos, estratégias. A política é feita disso, e não da trica, do ataque pessoal, etc. Se quer interrogar-se e lançar acusações como aquela que descreveu, esteja á vontade. Não queira é obrigar-me a mim a ter o mesmo nível intelectual e os mesmos interesses de vossa exclência. Cada um tem os seus e ainda bem que assim é.

  2. Raquel Castro diz:

    Concordo com o Luis quando refere que o nosso concelho está moribundo! Tenho a certeza que o Luis não se esqueceu que Joaquim Couto foi presidente da autarquia de Santo Tirso no período de 1982 a 1999. Joaquim Couto é o principal responsável pelo estado a que chegou Santo Tirso. Se verificar os indicadores de 2001 e os comparar com os 2011, facilmente concluirá que estávamos bem pior em 2001. O insuspeito Dr. Asuil Dinis, numa entrevista ao jornal “entremargens”, afirmou que Joaquim Couto deixou a câmara em 1999 porque o seu projeto (se é que alguma vez o teve), estava esgotado! Temos a obrigação de questionar o que fazem os poderes públicos com o dinheiro dos nossos impostos, penso que concordará? Não podemos ficar indiferentes ao tráfico de influências e de interesses obscuros que permitiu que a empresa de Joaquim Couto encaixasse em 4 anos quase 700 mil euros, em contratos de prestação de serviços de utilidade duvidoso (digo utilidade duvidosa, porque tenho fundadas dúvidas sobre se esses contratos alguma vez foram cumpridos e/ou se tinham alguma justificação), e por ajuste direto, procedimento que o Luis já criticou.

    • Luis Melo diz:

      Cara Raquel Castro,

      Acho curioso que tenha dito que o meu post é parcial, mas que tenha ido buscar uma entrevista de Asuíl Dinis, e pior do que isso lhe tenha chamado “insuspeito”. Isto, quando toda a gente sabe que Asuíl Dinis faz parte da “pandilha” de Castro Fernandes, e deu essa entrevista numa altura em que ele e Joaquim Couto se degladiavam para ver quem ficaria com a possibilidade de vir a dominar o Poder em Santo Tirso.

      De resto, naturalmente que qualquer gasto, com o dinheiro dos impostos dos portugueses, que não seja justificado é criticável. E se o tiver sido por ajuste directo ainda pior. Critico e critiquei sempre que achei haver fundamento. Porque não pratico aqui o “lançamento de nomes para a lama” de forma gratuita. Dado que não sei do que fala, não vou comentar. Mas se tem “fundadas dúvidas” apresente essas tais provas “fundadas”. Talvez aí eu possa comentar.

  3. Raquel Castro diz:

    Estava convencida que o Luis descobria pelos seus próprios meios! Consulte o site do Ministério da Justiça, mais concretamente na página onde são publicados os actos. Pf veja o link: http://publicacoes.mj.pt/DetalhePublicacao.aspx. Não sei de dá acesso, mas sempre pode pesquisar e descobre que Joaquim Couto faz parte da Mediana. Se consultar o link que anteriormente disponibilizei poderá verificar o que afirmo. Não lanço o nome de ninguém para a lama sem ter a certeza do que estou a dizer. Quanto disse que o Dr. Asuil era insuspeito, referi-me, obviamente, a alguém que conhece muito bem Joaquim Couto, que sabe do que fala, e tem credibilidade.

  4. Raquel Castro diz:

    “Acho curioso que tenha dito que o meu post é parcial, mas que tenha ido buscar uma entrevista de Asuil Dinis, e pior do que isso lhe tenha chamado “insuspeito”. Isto, quando toda a gente sabe que Asuil Dinis faz parte da “pandilha” de Castro Fernandes, e deu essa entrevista numa altura em que ele e Joaquim Couto se degladiavam para ver quem ficaria com a possibilidade de vir a dominar o Poder em Santo Tirso” Não é verdade Luis! A entrevista do Dr. Asuil Dinis é posterior às primárias que Joaquim Couto venceu e o que estava em causa era uma disputa entre Joaquim Couto e a dupla Ana Maria /Castro Fernandes.

  5. Zé Falido diz:

    Essa referência à entrevista do Dr. Asuil partiu a loiça toda! Quem pagou ao Jornal Entre Margens? Quem prometeu mundos e fundos ao Dr. Asuil para que ele se prestasse a esses serviços? Toda a gente sabe! Ir pegar nessa entrevista é mesmo deixar o rabo de fora, “Raquel Castro”…deve ser isso, deve! Não é preciso vir baralhar em relação às campanhas, fazendo crer que não existe agora por lei uma prestação de contas rigorosa dos gastos. Essa do “projecto esgotado” também veio com o rabo de fora…onde é que já tinha lido isso? Humm…será que foi na página do facebook de Alírio? pois foi 🙂 ai, ai… que tristes.

  6. Raquel Castro diz:

    Caro “Zé Falido”….. o nome até lhe assente bem… está como o concelho de Santo Tirso! Não sei se alguém pagou ao entremargens. Pelo que conheço das pessoas que o dirigem, não me parece plausível. Quanto ao que disse o Dr. Asuil Dinis nessa entrevista, só a ele podem ser assacadas responsabilidades, se alguém lhe prometeu mundos e fundos, também não sei! Mas sei e todos sabemos que se alguém neste concelho conhece bem o Dr. Joaquim Couto é o Dr. Asuil Dinis. O Dr. Joaquim Couto não refutou nenhuma das muitas e graves acusações que lhe foram dirigidas.

  7. Anónimo diz:

    Alguém pode informar o que aconteceu ao concurso dar nome ao parque,ao parque do matadouro, até agora nao saiu o nome do vencedor nem o promotor disse se escolheu outro nome,isto não é gozar com as pessoas.

  8. Madalena Ascenção diz:

    A ser verdade o que afirma a Raquel Castro e parece que os factos assim o determinam, o Drº Couto fica muito mal na fotografia. Ele que sempre foi politico profissional, foi dos que contribuiu para que o País chegasse a este estado. Como se sabe o Drº Couto é um dos que se reformou com apenas 20 anos de descontos e quando apenas tinha 50 anos e que andou durante vários anos a acumular a reforma com o salário de governador civil e de deputado. Como se não bastasse ainda foi candidato a outras câmaras e abandonou Santo Tirso para viver noutro concelho, onde encontrou a qualidade de vida que Santo Tirso não tinha, muito por culpa dele. Toda a gente sabe que o Drº Couto nunca fez nada por Santo Tirso e que apenas de serviu do nosso concelho. Ver alguém esquecer-se disto não deixa de ser estranho.

  9. É pena não existir um candidato sério e honesto no seio do PS ou do PSD, pois assim não sei em quem votar… temos pena!
    Isto é medianas, essencias, etc, etc…. que m*rda de gente é pena não serem todos atropelados nas “pseudo-passadeiras” junto ao restaurante tirsense !!!!!!!
    E o povo a sempre a levar no c*, para alimentar esta corja toda!

  10. Zé Falido diz:

    Oh, “Raquel Castro”! Com que então se não refutarmos todas as palermices que ouvimos, a palermice passa a verdade? Ainda bem, pois não refutou a estranha coincidência no uso da expressão “projeto esgotado” nem como se processam actualmente as contas das campanhas…muito bem, estamos conversados sobre isso! Quanto ao resto, se desconhece, informe-se primeiro antes de falar e apelidar de “insuspeito” uma pessoa que já foi desmascarada. A mesma pessoa que disse: “a Ana Maria? Não brinques comigo”…e depois apoiou a sua candidatura. Certamente são esses tipos de insuspeitos que V. Ex.ª se refere. A seu tempo também se irá referir a insuspeitos com origens no ex-Semana Tirsense (futuros fazedores de artigos de ataque). Quanto às ligações que demonstra, por alguma razão tudo é público agora e não escondido como antigamente.

  11. Carlos Valente diz:

    …”Vêem-se também fotografias de visitas a algumas instituições, claramente para a fotografia”…
    “Apenas um one man show com os mesmos carneiros de sempre à volta”.
    Permitam-me repetir aqui estas frases do Luís Melo para comentar uma dessas fotos de Alírio: numa recente visita à Escola Secundária D. Afonso Henriques na Vila das Aves, é INCOMPREENSÍVEL e INACEITÁVEL que Alírio (na sua comitiva) NÃO se faça ACOMPANHAR de NINGUÉM DO PSD de Vila das Aves!!!

    • Luis Melo diz:

      Bem visto caro Carlos. De facto é inaceitável, mas repare que é perfeitamente compreensível. Afinal de contas Alírio Canceles andou até hoje a ostracizar o PSD de Vila das Aves, pelo que agora nao tem cara para os convidar. Além do mais está visto que nao os quer á sua volta.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: