Combate a fogos faz-se com gestão e ordenamento

Em Julho 2012 escrevi aqui neste blogue:

36% do território português é área florestal. São cerca de 3.5 milhões de hectares. Uma das maiores áreas florestadas da Europa. 85% dessa área pertence a privados, 3% pertence ao Estado e 12% são baldios.

Todos os anos por altura do verão o país é fustigado com incêndios. E todos os anos as “causas” e os “culpados”, apontados pela comunicação social e pela opinião publicada, são os mesmos: Calor e Criminosos.

A verdade é que o que falta em Portugal é uma verdadeira política de ordenamento e gestão florestal. Para além disso, falta também a já conhecida eficácia na prevenção, vigilância e combate aos fogos florestais.

É preciso que o país aposte em Engenheiros Florestais – especializados em ordenamento florestal e também no combate aos fogos – que ajudem na gestão da floresta e na coordenação do combate.

É necessário também apostar na profissionalização de unidades de combate a fogos (nos corpos de bombeiros ou do exército). A verdade é que os voluntários têm muita boa vontade, mas não chega.

20% da área florestal portuguesa é eucalipto e pertence na sua maioria às industrias papeleiras (Portucel, Soporcel, Celbi…). Essas não se podem dar ao luxo de perder floresta em incêndios.

Todas essas empresas têm corpos e meios profissionais de prevenção, vigilância e combate aos fogos. E muito poucas vezes os incêndios nas suas florestas tomam as proporções dos outros.

Em Agosto 2010 escrevi neste blogue:

O relatório de avaliação do Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios detecta várias falhas que acabam por ser decisivas e redundar em tragédia.

Tal como estava à vista, todas as lacunas são relacionadas com a aposta na prevenção (…) O relatório confirma: A taxa de execução da gestão de áreas florestais é de 17% em terrenos públicos e 13% nas áreas privadas.

(…) O relatório diz que é notório o atraso na elaboração dos planos municipais de defesa da floresta, e falta informação para avaliar a sua execução.

(…) Além disso devia-se acabar também com as nomeações políticas para lugares chave na prevenção e combate. Como por exemplo na ANPC, GTFs das Câmaras Municipais, ou corporações de bombeiros (Voluntários e Municipais).

Em Agosto 2010 também escrevi neste blogue:

(…) Francisco Moreira, investigador do Instituto Superior de Agronomia, diz que “Se se viu algum avanço desde os anos críticos de 2003/2005 foi no combate. Na prevenção e na gestão florestal está tudo praticamente na mesma“. Diga-se que o avanço no combate tem sido apenas atirar Canadairs (ou seja, mais dinheiro) para cima do problema.

(…) Joaquim Sande Silva, especialista da Liga para a Protecção da Natureza, diz que “os reacendimentos reflectem a formação e dispersão dos meios. O rescaldo continua a fazer-se com água, quando deveria limitar-se a área queimada com ferramentas manuais. Os bombeiros voluntários não têm essa apetência“.

11 respostas a Combate a fogos faz-se com gestão e ordenamento

  1. Anónimo diz:

    Os pinhais que tinham as pessoas a vegiar e a limpar as matas com rendimento de inserção e subsídio de desemprego tiveram incendios ?

  2. Sol diz:

    O Norte é uma das zonas que tem mais incêndios e nos mesmos lugares,porquê?

  3. Sol diz:

    Ouvi um bombeiro a dizer que os carros dos bombeiros estão velhos,e o ministro da administração interna a dizer que certos pinhais tem difícil acesso ,e a mão criminnosa são agricultores e desempregados,estes incêndios não deviam ser divulgados na tv e jornais ,rádio, porque incentivam a pôr fogo nos pinhais,estas pessoas deviam ser tratadas psicológicamente.Ouvi dizer que os militares deviam vegiar os pinhais e dar de comer, aos bombeiros e às pessoas que estão a pagar os fogos e que os bombeiros deviam ser profissionais bombeiros

    • Sol diz:

      Os criminosos que foram presos voltam a pôr fogo quando saem da prisão, e têm prazer ao ver o incêndio,por isso têm de ser tratados psicologicamente.E os bombeiros que dizem que os carros estão velhos aproveitam os incêndios para destruir os carros, assim obter novos carros.

  4. Sol diz:

    Têm -se de ser contra o terrorismo do estado,contra a industria do fogo,porque é estranho os incêndios extintos reacender à noite ,como aconteceu na serra do Caramulo.As florestas do Estado têm de ser limpas.

  5. Sol diz:

    Tem-se de ser contra ao mercado da madeira verde e seca que beneficia com os incêndios, com a madeira mais barata,será que eles mandam pessoas incendiarem as florestas?

  6. Sol diz:

    O mês de Agosto, é que tem mais incêndios,porquê?

  7. Sol diz:

    As florestas privadas tem de ser limpas,que podem recorrer à ajuda de cabras para limpar as matas.

  8. Sol diz:

    Os fumos dos incêndios têm substâncias cancerígenas,portanto provocam cancro,e fazem mal a problemas respiratórios,como asma.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: