#Autarquicas2013 Os cúmplices de Alírio

Alírio Canceles levou o PSD Santo Tirso à sua maior derrota de sempre. Algo que não pode surpreender dada a sua incapacidade e incompetência políticas, o seu amadorismo, e a sua insuficiência de carácter. Tudo, aliado a um projecto de Poder pelo Poder (sem um programa estruturado, credível ou realista) focado na conquista dos lugares e não nos Tirsenses e no concelho.

Um plano traçado há 4 anos (logo após a segunda derrota de João Abreu e consequente abandono do lugar de vereação, que deixou Alírio como “líder da oposição”) que eu aqui vezes sem conta denunciei, não só por prever este desfecho, mas também porque ele previa o assalto ao partido, atropelando regulamentos, estatutos e militantes, bem como os mais elementares valores de ética e moral.

Este plano, de 4 anos e com tantas etapas, não foi naturalmente obra de um homem só. Ninguém sozinho conseguia fazer o que Alírio fez. Há mais responsáveis, que compactuaram e colaboraram neste vergonhoso plano que teve ontem um brilhante desfecho. E esses responsáveis têm nomes. Andreia Neto, Manuel Mirra, Carlos Pacheco e Rui Baptista são os principais.

Foram eles os cúmplices da ignomínia por que passou o PSD Santo Tirso nestes últimos 4 anos. Os estrategas, os principais peões do jogo partidário, os líderes do cacique local, os cultivadores da facção, os instigadores do ostracismo. Foram eles que, com Alírio, planearam e levaram a cabo o plano de conquista do Poder pelo Poder, desprezando os valores do partido e da política.

O mais curioso é que serão eles que virão agora tentar apanhar os cacos do partido, apresentando-se como opção de futuro, como se nada tivessem a ver com o que se passou. Serão eles que, sem qualquer pudor, se irão apresentar em breve aos militantes como alternativa. Para continuar o jogo partidário e a luta pessoal pela conquista de lugares na administração local, distrital ou nacional.

Mas há mais quem não seja alheio a tudo isto. Muitos outros não foram tão activos, ou não trabalharam directamente e de perto com Alírio Canceles, mas também foram coniventes: Falo de  João Abreu, Gonçalves Afonso, Paulo Sousa, Paulo Ferreira e Alcindo dos Reis, entre outros. Gente que tinha a obrigação de se ter oposto a este plano mas que preferiu aparecer a apoiar e aplaudir.

Todos eles irão criticar-me, porque julgam que fizeram uma grande coisa. Todos dirão que foram leais ao partido, estando ao lado e lutando pelo PSD. Esquecem-se que os valores do PSD de Sá Carneiro estão a anos luz do que se passa no PSD Santo Tirso, e esquecem-se também que acima do partido está Santo Tirso. A política não é o futebol, e nem sempre o candidato do nosso partido é o melhor para a nossa terra e para a população.

31 respostas a #Autarquicas2013 Os cúmplices de Alírio

  1. Eduarda diz:

    Salvo uma ou outra excepção, “os sete cães a um osso”… Como sabes, em privado, alguns nem gostam muito do Alírio… é o tal apoio ao poder pelo poder. Um pensar e uma forma de estar muito redutora. E aí o José Pedro foi também um bocadinho cumplice. Um líder tem responsabilidades e o dever de lutar pelos valores que os seus “discipulos” lhe reconhecem. De outra forma, não é um líder. Eu até posso estar a ser injusta e peço desculpa se assim for mas, acredita que me custou muito ver a inacção, a “rendição” que assisti dentro do partido… e foram várias as pessoas que manifestaram a sua revolta com o comportamento e posicionamento do Alírio no momento de escolher o candidato à CMST. Fartei-me de ouvir “daqui a quatro anos”…

  2. Futuro diz:

    Todos eles tiveram culpa, alguns deles fartos de saber que Alírio iria fracassar redondamente, estavam como os “abutres” a espera do final de ciclo, infelizmente nenhum deles é uma alternativa para um PSD que se deseja vitorioso dado padecerem dos mesmos problemas que Alírio.É curioso reparar que os candidatos do PSD vitoriosos nas juntas são os mais “humildes” e próximos da matriz social das freguesias que residem, talvez seja necessário ao PSD Santo Tirso repensar todos os seus candidatos em virtude desta realidade. Dou o exemplo, de José Pedro Miranda, individuo da classe média-alta, bancário, integra-se perfeitamente na matriz social da antiga freguesia de Santo Tirso, já não se adapta bem na matriz na nova UF de Santo Tirso, as novas freguesias são compostas maioritariamente pela classe média baixa que não se identificou com os elementos da lista de JPM estruturados a mesma forma que o mesmo, facto igual aconteceu na UFde S. Martinho do Campo.Cada partido têm a sua matriz e a do PSD a classe empreendedora média alta, é uma tendência do partido infelizmente afastar-se da classe média talvez pela convivência nos últimos governos do PP. Se o PSD quiser triunfar em Santo Tirso só terá que encontrar o Paulo Bento, Manuel Leal, Paulo Leal e a Elisabete Faria das freguesias que não venceu. Para não falar num lider e CPC que tenha os valores de humildade, carácter,dignidade e moralidade, para não falar numa maior aproximação a classe média e média baixa (Território do PS).

    • SIC diz:

      Tanta verborreia junta…

      • Futuro diz:

        Deixei-me então fazer-lhe um desenho , SIC, afinal pelos visto o meu discurso anterior lhe fez alguma confusão. Resumidamente, o que digo é o seguinte, o eleitorado de Santo Tirso em algumas freguesias acha os elementos do PSD uns “SNOBS”. Espero que tenha sido o mais claro possível.

      • SIC diz:

        Oh futuro, “SNOBS” mas quem? É cada chavão que eu não compreendo, falas da candidatura à união de Freguesias de Santo Tirso do PSD? Desde quando o Dr. José Pedro Miranda é snob, só quem não o conhece minimamente ou está de má fé o pode escrever aqui…o Sr. Peixoto é snob? o Advogado Manuel Mirra, o Vítor Carneiro a Quitéria Roriz, o Dr. Gil Balsemão, o Engº. Pedro Almeida de Santa Cristina ou o Toqui também o são…enfim, só admito que haja aí algum complexo de inferioridade, a equipa deles era efectivamente boa, talvez tenham começado a campanha tarde…pois feliz ou neste caso infelizmente, têm trabalho, vida própria, ao contrário por exemplo dos candidatos à câmara do partido socialista, encabeçada por um profissional da política que resolveu voltar à terra que abandonou para continuar a “mamar” na teta do estado…um autêntico abutre da política na linha de Menezes e afins…mas no Porto a musica é outra…

      • Futuro diz:

        Não falei de nenhuma candidatura em particular, mas já que fala de Santo Tirso, é um facto que as pessoas não se identificaram com a mesma…É um facto que o PSD nunca encontrou soluções para as diferenças constantes de votos entre o PSD e PS (com vantagem para o PS) por exemplo, em São Miguel e Santa Cristina, pode dizer que não são “Snobs” ou que a causa é outra, mas a empatia é nula…e a população em geral achou a lista…fraca e com muita hipocrisia a mistura…

      • SIC diz:

        E a lista do PS era forte? Deixa-me rir, para além de Orlando Moinhos que só lá está para dar o nome e do actual presidente da Junta de S. Miguel, quem mais se aproveita?

      • Anónimo diz:

        Em S.Miguel com muitos votinhos comprados e tachinhos e mentes burrinhas e Santa Cristina e Burgães idem, e mais. E contra informação.

      • Anónimo diz:

        Tudo feito pelos socialistas em S.Miguel,Cristina ,Burgães, esta contra informação.

      • Futuro diz:

        Acho que não se vão ganhar essas freguesias a dizer que as mentes são burrinhas e que somos melhores só por acharmos as listas do PSD melhores…

  3. parolo diz:

    O PSD nas eleições de 2009 teve cerca de 18000 votos, o que lhe permitiria vencer agora. Bastava manter o eleitorado, mas perdeu 5000 votos. De quem foi a culpa? O PS perdeu cerca de 4000 votos, pelo que, parece que o grande vencedor foi o Castro Fernandes.

    • Zé Falido diz:

      Lol e ter miolos, não? Olha para o aumento da abstenção + independente à Câmara, mas fundamentalmente o aumento da abstenção. Castro Fernandes nunca na vida conseguiu esta diferença para o PSD. Ponto final. O grande vencedor seria Castro Fernandes se o Alírio fosse o grande vencedor da noite. Azar.

    • Pedro Simão diz:

      é “parolo” por alguma razão. daqui a pouco dá a volta e ainda diz que o grande vencedor foi o Alirio. O pior cego é aquele que não quer ver! JC esteve a 1500 votos de 6 mandatos.Bastava não ter havido o independente (apoiado E FINANCIADO(?) sabe-se muito bem por quem) e haver repartição de votos e seria o verdadeiro descalabro(mesmo com a abstenção e brancos em número recorde).O Castro saiu vitorioso? O Castro teve a pior humilhação da sua história política! Perdeu tudo o que havia para perder,para quem mais odeia, depois da campanha negra realizada! Tudo fez, até apoiar Alirio! ou alguém acha inocente o facto de este último não ter dito uma palavra contra o executivo dos últimos 12 anos? E mais episódios houve de apoio implícito entre inaugurações e subidas a palcos em que os holofotes estavam virados adivinhem para quem.
      e o “infomal” as 31 razões para não votar JC veio de onde? terá sido apenas financiado por Pires de Lima, e distribuído com a ajuda do PSD? ou houve outras “forças”(€€) à mistura?

  4. parolo diz:

    A perda de votos do PSD e do PS não compensa o aumento da abstenção e a votação do independente. O aumento da abstenção deve-se ao fato de os candidatos serem fracos. Em 2009, os candidatos eram melhores e por isso a população foi mais às urnas. É verdade que o Castro Fernandes nunca teve uma diferença de 5000 votos, mas obteve mais votação. Acho que é mais importante a votação do que a diferença para o segundo. Por falta de miolos, não consigo perceber como o CF ganhava se o Alírio ganhasse. Se tal acontecesse, a única leitura que fazia é que o CF tinha sido um mau presidente. Mas, o m/ ponto é este: porque é que o PSD não conseguiu manter o seu eleitorado? O que me parecia ser mais fácil, dada a impossibilidade do CF se candidatar e devido às guerras internas do PS.

    • Futuro diz:

      Independentemente da má qualidade do candidato do PSD não podemos separar a penalização do governo PSD, houve um autêntica hecatombe…

      • parolo diz:

        Não concordo. Basta olhar para a Trofa e principalmente para Braga, onde ganhou Ricardo Rio que, ao longo de 8 anos, fez oposição e soube esperar pela saída do Mesquita Machado. Em ST, o João Abreu concorreu duas vezes e por duas vezes renunciou ao mandato de vereador ou seja não fez oposição. No seu lugar ficou o Alírio que nada fez. Para ser vencedor, é preciso trabalhar durante quatro anos.

    • Zé Falido diz:

      Amigo, se a abstenção aumentou por causa dos candidatos serem fracos, então todos os candidatos de Portugal foram fracos e na esmagadora maioria muito mais fracos que os de Santo Tirso, não é por aí!

      Também em todos os concelhos aumentou consideravelmente os votos em branco e nulos! Quanto a não entender a razão pela qual CF ganharia se Alírio ganhasse, não vou estar a explicar agora, pois há muito que já se entendeu, e muito já se escreveu sobre isso.

      Se tiver em conta a abstenção, o novo candidato independente que não existia em 2009 e o aumento exponencial de brancos e nulos que se verificou em Portugal inteiro, teremos:

      Inscritos 2009: 64264

      Inscritos 2013: 64247

      Diferença de abstenção (2013-2009): + 5137
      Votação no candidato independente de 2013: 2552
      Diferença de votos brancos (2013-2009): + 389
      Diferença de votos nulos (2013-2009): + 991
      Diferença de inscritos: 17

      Total: 9086

      Numero total de votos a menos do PS e PSD em relação a 2009: 9152

      Portanto, só não é mesmo ao milímetro por azar.

      Mais uma vez, nunca em Santo Tirso o primeiro ganhou com tanta folga para o segundo classificado (pós-trofa).

      • parolo diz:

        Não está em causa a vitoria merecida do Dr. Couto, porque era, de longe, o melhor candidato, com a melhor lista e melhor programa. Mas, na m/ opinião, o PS deve pensar nas razões da descida de votação, pois creio que se o PSD apresentasse um candidato credível, não sei ….

  5. João Abreu diz:

    Quero apenas fazer um esclarecimento, para repor uma afirmação.
    Devidamente identificado, quero dizer que não renunciei duas vezes aos mandatos para os quais fui eleito. Entre 2005 e 2009, assumi o meu mandato de Vereador, como aliás o comprovam as actas, quer da CM, quer da AM, quer ainda a presença assídua em quase todos os eventos realizados em Santo Tirso (concelho), e foram muitos, para além de visitas semanais às freguesias do concelho.
    Em 2009, após a derrota, aí sim, entendi renunciar, uma vez que o meu projecto pessoal, profissional, não passava, obrigatoriamente, por TER de ser novamente candidato. Aliás, acho que as funções políticas e partidárias devem ser transitórias.
    Assumi o resultado e, em consciência, só faria sentido essa minha posição.
    E, infelizmente, na política, como na vida, os SES, não existem….
    Mas existem erros, imperfeições….É verdade! Por isso, nas noites eleitorais, assumi pessoalmente as minhas responsabilidades.
    Aproveito para dizer que me congratulo muito com a vitória do Ricardo Rio, com quem estive recentemente, e acho que vai ser um excelente Presidente para Braga!
    Respeito, no entanto, todas as opiniões, mesmo podendo discordar delas!

    João Abreu

    • SIC diz:

      Saliento e sublinho…as funções políticas e partidárias devem ser transitórias…o problema não é ganhar o PS, o problema é que são sempre os mesmos…cadê a renovação geracional, tá quieto…

  6. Eduarda diz:

    Dr. João Abreu, tenho a maior consideração por si mas, os erros e imperfeições mais do que ser assumidos devem ser corrigidos. E confesso que, na minha opinião, foi um grande (para não dizer “enorme”!) erro ter apoiado Alírio para lhe suceder. Respeito e entendo porque tenho noção que a sua visão/impressão do Sr. Alírio é seguramente diferente da minha mas, gostava muito que analisasse o percurso e os comportamentos do Sr. Alírio dentro do PSD.
    Era bom ter uma opinião de alguém próximo do Sr. Alírio e que não defende o poder pelo poder. Ate´para que este blogue não pareça injusto ou um “querer deitar abaixo por querer”!

    • Futuro diz:

      Cara Eduarda acho que Alírio Canceles enganou uma boa quantidade de gente no inicio do mandato de Alírio em 2005 até 2009, provavelmente o Dr. João Abreu reconheceria nele dinâmica, o problema foi a deterioração do carácter e sede de poder do mesmo, ao longo dos anos, nesta fase final já nada teria a ver com o Alirio de 2005…mas já estava tão “implementado” que muito dificilmente sem uma lista forte a concorrer contra ele seria derrubado….

  7. João Esteves diz:

    De todos os visados neste texto apenas o Dr João Abreu veio aqui responder.E fê-lo num nível que sempre se pautou. Onde estão os restantes profetas desta campanha? Perderam a língua?Ou querem-se manter a tona para futuros assaltos ao poder? Será que Alirio vai deixar? Estou deveras curioso para perceber o que agora vai ser feito agora. Imagino como andarão as hostes laranjas, deve haver filmes do national geographic com menos abutres. Dr João Abreu, volte e faça uma limpeza, mas desta vez escolha os melhores e os mais capazes, ajude a levantar o José Pedro Miranda e forme uma equipa de futuro. Santo Tirso merece outra oposição, outro PSD, este de que também foi responsável é demasiado reles.
    Joaquim Couto depois de ter entregue a câmara a um déspota regressou para formar um novo ciclo no PS. Tem a obrigação de fazer o mesmo pelo PSD.
    Não vai ser com Alirios que isso vai ser feito, isso foi por demais evidente nestes 4 anos e em toda a sua campanha, e quem compactuou merece esse fardo, porque houve muitos que se puseram de fora desde o inicio, mas para alguns o poder pelo poder tudo vale!

  8. Susana Moreira diz:

    A Eduarda sofre do complexo da teorização e parece a dona da verdade. Mas não é! Não querendo defender o Alírio Canceles, não posso deixar de registar a quantidade de elogios visíveis na sua página do facebook. Dezenas pessoas com quem trabalhou, realçam as suas qualidade pessoais, humanas, intelectuais, etc., etc. Serão essas pessoas “burras”? Diz e bem o Dr. João Abreu (na politica não há “ses”). O Dr. João Abreu é dos poucos que sabe do que fala, porque tem experiencia, viveu duas campanhas e conhece o Alírio Canceles melhor do que qualquer das pessoas que neste blogue investe uma parte do seu tempo a criticá-lo, diria mesmo, insultá-lo! Na política o que conta são os resultados, sejam eles quais forem. O Alírio não ganhou a câmara é um facto inquestionável. O PSD não ganha a câmara há 31 anos, mesmo em momentos em que a situação do PSD a nível nacional era bem melhor e com personalidades como o falecido Eng.º Eurico de Melo e David Assoreira. Não concordo com tolerância mínima com Alírio Canceles e máxima com José Pedro Miranda. Já anteriormente referi, a soma dos votos de todos os partidos da oposição não permitiriam ao José Pedro Miranda ganhar a Junta. Escreve a Eduarda “se ele fosse candidato à câmara coligado com o CDS “muitos dos que ficaram em casa teriam ido votar; militantes/apoiantes/simpatizantes do PSD que não concordaram com esta auto-nomeação teriam-se empenhado em votar e em multiplicar o seu voto; e alguns que acharam não ter alternativa ao Dr. Couto teriam dado o benefício da dúvida… Sinceramente, acho que o José Pedro podia ter conseguido a CMST”. A Eduarda “sente” com base em quê? Então o José Pedro Miranda não conseguiu motivar as pessoas da cidade e das freguesias agregadas para votarem no seu projeto e conseguia esse feito nas 24 freguesias do concelho? Minha cara estive presente em Santa Cristina do Couto na apresentação da equipa de José Pedro Miranda e fiquei dececionada. Além dos elementos da lista e da comissão de honra, não estariam mais de 20 pessoas. Lamentavelmente percebi que o José Pedro não ganharia as eleições! Outro facto foi percetível ver a coerência e inteligência do discurso (sem papel) do Alírio Canceles. Estive em dois momento da campanha, no que acabei de referir e no comício final. Presumo que a Eduarda não tenha estado presente. Foi pena, se estivesse teria assistido a um grande momento de Alírio Canceles, que uma vez mais e sem papel, fez um discurso brilhante, mobilizador, diria mesmo, arrepiante! Permita-me Eduarda que lhe recordo que para opinar é preciso ouvir e conhecer as pessoas. A Eduardo comete outro erro de apreciação ao trazer para a discussão pública, as eleições em 2005 para a freguesia de Lamelas, esquecendo-se que no percurso politico e autárquico nos últimos 8 anos, o Alirio Canceles liderou a AM e coordenou a equipa de vereadores. Fale com os seus colegas vereadores, que a Eduarda apelida de “cúmplices”, seguramente estarão em condições para, com propriedade, falar do Alírio Canceles. Termino deixando-lhe uma última mensagem: O Alírio Canceles nos últimos anos deu o seu melhor pelo PSD e por Santo Tirso, já a Eduarda e o Luis Melo, limitaram-se a dizer mal dos militantes e dos dirigentes do PSD. ESSE É O VOSSO LEGADO!

    • Luis Melo diz:

      Cara Susana Moreira,

      Permita-me transcrever e comentar algumas das frases que aqui deixou.

      não posso deixar de registar a quantidade de elogios visíveis na sua página do facebook
      Elogios de quem? Da pandilha que andou atrás dele na procura de um lugar ao sol na estrutura camarária caso ganhasse as eleições, ou dos milhares de paquistaneses e indianos a quem comprava “likes”?

      Dezenas pessoas com quem trabalhou, realçam as suas qualidade pessoais, humanas, intelectuais, etc., etc. Serão essas pessoas burras?
      Conheço muitas mais pessoas, milhares mesmo, que realçam as qualidade pessoais, humanas, intelectuais de Isaltino Morais. Ainda este fim-de-semana foram festejar em frente à prisão a vitória do seu candidato.

      com personalidades como o falecido Eng.º Eurico de Melo e David Assoreira
      Ambos nunca tiveram responsabilidades no PSD Santo Tirso. Aliás, no que concerne a Eurico de Melo, nunca o PSD o quis lá. Porquê? Porque lhes fazia sombra, entende o que eu quero dizer? E ambos vieram dar o corpo ao manifesto, em cima da hora.

      Então o José Pedro Miranda não conseguiu motivar as pessoas da cidade e das freguesias agregadas para votarem no seu projeto e conseguia esse feito nas 24 freguesias do concelho?
      Eu pergunto o mesmo. Como diz e bem a Eduarda, o Alírio Canceles não conseguiu ganhar as eleições na sua Junta de Freguesia e ia conseguir esse feito nas 24 freguesias do concelho?

      Alírio Canceles, que uma vez mais e sem papel, fez um discurso brilhante, mobilizador, diria mesmo, arrepiante“.
      Deve ter sido do nível da Andreia Neto, que ao que parece começou o discurso dizendo qualquer coisa como “Eu nem vos consigo ver lá atrás”… Sim, porque era uma multidão de cerca de 100 pessoas!

      O Alírio Canceles nos últimos anos deu o seu melhor pelo PSD e por Santo Tirso
      Pois com certeza. Pelo PSD, ludibriando os Estatutos, marcando plenários eleitorais na véspera e sem publicar no Povo Livre (como obrigam os regulamentos eleitorais), ostracizando os militantes desalinhados e muito mais. Por Santo Tirso, passando 4 anos em confronto directo e pessoal com Castro Fernandes, em peixeiradas nas Assembleias Municipais e nas Reunioes de Camara. Fazendo propostas tipo “Concurso de ideias” e afins. Coisas que iriam tirar definitivamente o concelho do marasmo.

      a Eduarda e o Luis Melo, limitaram-se a dizer mal dos militantes e dos dirigentes do PSD
      Critiquei e continuarei a criticar todos aqueles que não têm a estatura intelectual, moral e ética para estar na política. Todos aqueles que não têm honestidade, seriedade e integridade para ocupar cargos públicos.

      ESSE É O VOSSO LEGADO!
      O meu legado, no que ao PSD concerne, será com toda a certeza a luta pelos valores da Democracia, da Liberdade, da Transparência, da Moral, da Ética e da Igualdade. Será a luta contra os Isaltinos, os Valentins, os Marcos Antónios, os Ruas e os Alírios desta vida. Será a luta contra todos aqueles que se querem servir do partido, usando-o como trampolim para subirem na vida.

    • Eduarda diz:

      Susana Moreira, parece-me que quem tem o complexo da “dona da verdade” não sou eu. Mas há verdades que nem a Susana nem outras pessoas podem mudar.
      Não me conhece e está a fazer um “juízo de valor” sem ter base para sustentar aquilo que “sente”!
      Eu tenho as minhas convicções (tal como o Luis Melo) e posso garantir-lhe que não surgiram por acaso (ou acha que atiramos a moeda ao ar para decidir se o Sr. Alirio merecia o nosso apoio ou a nossa crítica?). Há princípios que para mim são intocáveis. E as pessoas que não os respeitam não podem ter o meu apoio. Eu contactei com o Sr. Alírio quando ele ingressou na política activa. E se não alonguei esse contacto foi pelas evidências do seu carácter (por isso eu “ouvi e conheci a pessoa”, ao contrário do que me acusa).
      Não estive no comício final mas, não lamente, porque o discurso que diz ter sido “arrepiante” seguramente a mim não me iria comover (se há qualidades que não reconheço no Sr. Alírio são a autenticidade e a honestidade).
      Em relação ao José Pedro Miranda, eu sou livre de acreditar que ele podia ter ganho. Ainda que, como já disse anteriormente, reconheça que não há espaço para “ses”, eu como militante que era, o Luis Melo e a maioria dos outros militantes da concelhia, não tivemos direito de voto na escolha do candidato à Câmara. E isso é um facto.

  9. stsleaks diz:

    Vi aqui alguns comentários que de matemática/estatística têm muito pouco. Para quem conhece a regra de atribuição de mandatos (simplificando para o caso: atribuição de vereadores) sabe que o aumento da diferença entre o PS e o PSD, quase que permitiu a eleição do 6º vereador para o PS de Joaquim Couto.

    Tal facto nunca (nem de perto nem de longe) se colocou nas vitórias de Castro Fernandes. Portanto, a diferença de votos é de extrema importância.

    Como já referiram, o aumento da abstenção, votos nulos, votos em branco e candidaturas independentes retiraram muitos votos aos principais partidos em todo o país. Portanto, ler frases do tipo: “bastava o PSD ter os mesmos votos de 2009 e ganhava” é completamente ilógico.

    Exemplo: O António Costa perdeu 70 mil votos.

    • Zé Falido diz:

      Exactamente! Esqueci-me de referir isso.E é talvez a coisa mais importante que não foi dita por ninguém. Couto esteve muito perto do sexto vereador e Castro Fernandes nunca conseguiu colocar essa questão em cima da mesa. Para Castro Fernandes era eleger o quinto vereador com as calças na mão e sabe deus. Aqui se vê a dimensão da vitória.

  10. Afonso Henriques diz:

    Susana Moreira

    O seu post não merece comentários. Mas vou abrir uma exceção: quem é a senhora para incluir num mesmo texto – inequivocamente de defesa ao candidato social democrata (?) com a maior (!) derrota de sempre na história do nosso (?) concelho – o nome do engenheiro Eurico de Melo e falar ao mesmo tempo de Alirio Cancelas? Estamos a brincar ou a senhora não é de cá? Conhece os homens que fizeram a história de Santo Tirso? A senhora sabe o que são homens com H grande? Duvido… ou então não falava no Alírio!

  11. Futuro diz:

    Cá atitudes destas nem vê-las… Autárquicas: Demitiu-se o líder da concelhia do Porto do PSD, Ricardo Almeida (lusa.pt)

  12. […] consequências. Escuso-me portanto a repetir. Está tudo escrito e bem explícito neste post e neste também. Estava curioso por saber o que tinha a comissão política a […]

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: