Emigrante, Saudade e o Triste Fado

Tal como todos os emigrantes, fui a Portugal passar o período de Natal e Ano Novo, para estar com a família e com os amigos. Um dia antes de regressar a Londres estava a passar a tarde com amigos quando um desconhecido me é apresentado. Como é natural, quem nos apresentou acrescentou que eu estava a viver no Reino Unido e tinha vindo passar férias. Vai daí o tal desconhecido, com ar grave, comentou: “Pois… eu sei como é… tenho muitos amigos que infelizmente estão lá fora”.

Confesso que o ar circunspecto e a palavra “infelizmente” me incomodou, mas por respeito ao amigo que temos em comum, e por estarmos rodeados de mais gente, entendi ignorar e fazer de conta que não ouvi. Ao contrário de outras, aquela não era a melhor situação para entrar num argumento. Até porque o que eu tinha para dizer iria deixar mal aquela pessoa. Apesar de provavelmente ela merecer ficar mal, por ser tão pobre de espírito e ter feito o despropositado comentário.

A verdade é que aquela pessoa julgou que com o comentário me agradaria, bem como ao resto da plateia. Achou que estava a dizer uma grande coisa, que lhe ficaria bem naquela situação. Para lhe dar mais alento, eu deixei passar, e quase todos os presentes (mesmo aqueles que me conheciam) fizeram uma expressão de anuência com aquela cara meio triste meio conformado, colando-me aquele selo de pobre coitado obrigado pelo Governo a deixar o país.

Irritou-me profundamente, e noutra qualquer situação eu teria retorquido. Mas, como disse, por várias razões, naquela altura deixei passar (apesar de, desde então, me roer por dentro por ter ficado calado, daí este post). É que odeio esta ideia estúpida e generalizada de que emigrar é mau. Que só emigra quem está desesperado e a isso foi obrigado. Que quem emigra está pior do que se estivesse em casa. Em Portugal é políticamente correcto ter pena do emigrante.

Ao contrário da maioria dos calimeros (*) a quem a comunicação “dita” social dá destaque, estou felicíssimo a viver em Londres. Depois de estudar 6 meses em França (Erasmus), emigrar era algo que procurava desde o início da minha carreira profissional. Foi uma decisão planeada e amadurecida, não fruto de qualquer conjuntura (aliás, tinha emprego seguro, numa das melhores empresas do país). Foi a melhor decisão que tomei, e tem-me permitido crescer e realizar muito mais.

Desde que deixei Portugal tive o prazer de conhecer dezenas de outros emigrantes portugueses (não só no Reino Unido mas em vários países da Europa e de outros continentes). Posso afiançar e testemunhar que a grande maioria deles emigrou por vontade própria (ninguém ou nada os obrigou) e que, acima de tudo, está feliz com a vida que leva na cidade/país que escolheu. Pelo que a ideia e comentários de que somos alvo só demonstram a tacanhez de uma parte do povo portuga.

Para que não haja dúvidas, todos nós adoramos Portugal, as nossas cidades natal, as nossas famílias, os nossos amigos. Todos gostamos de voltar sempre que podemos, e no regresso trazer as alheiras, o vinho, o bacalhau e as bolachas maria (entre muita outra coisa). Mas ao contrário do que diz o fado, Saudade não significa necessáriamente melancolia. Quando a palavra foi criada (séc. XVI) e até há 20 anos atrás, a solidão consumia quem ia para longe. Hoje, no mundo globalizado do séc. XXI, isso notoriamente não acontece, nem nada disso faz sentido.

* ler artigo do Nuno Abrantes Ferreira há precisamente 1 ano no Público

19 respostas a Emigrante, Saudade e o Triste Fado

  1. cefaria diz:

    Pena que o contexto em que saiu de Portugal não seja também considerado nos OCS como uma das opções de muitos outros que de cá saem, o que parece ofensivo considerar, aliás desde as descobertas que os Portugueses culturalmente partem por esse mundo fora. Apesar de eu reconhecer que muitos o fazem devido à conjuntura agora existente e pouco se assumir que esta é também fruto de erros do passado.

  2. Santo Tirso diz:

    Sempre houve emigração ,os emigrantes têm saudade do sol de Portugal,porque alguns países , só têm neve, nevoeiro,e dizem que o Natal é mais bonito em Portugal,Como é que aguentam o frio, que aqui em Portugal já é muito frio com três graus.Pois o mundo é globalizado e a Europa, pode-se trabalhar em qualquer sítio,mas com referências, e onde falte essa profissão,pois os salários podem ser mais altos, mas o custo de vida é mais alto, do que em Portugal,e a saúde em Portugal é melhor,a culpa das urgências é da admnistração do hospital e dos médicos,pode-se tirar qualquer curso que se goste,se não tiver emprego para todos,pode-se criar o próprio emprego, ou emigrar,mobilidade no próprio País ou no estrangeiro , aprendam experiências e culturas e tragam para Portugal e mostram no estrangeiro o que há de melhor em Portugal,Pois quem diz mal são os que querem votos,os socialistas,os que gostam muito de Portugal,ou não tèm iniciativa própria e esperam que o governo resolva tudo ou são ignorantes,pois alguns não critiquem imigrantes que vivem em Portugal, porque gostam de morar em Portugal,como por exemplo Agnes da casa do segredos,que disseram :-Romena volta para tua terra,se há portugueses noutros Países.Aí na Inglaterra,o primeiro-ministro,não é contra a entrada de mais emigrantes,concorda com isso?Pois aqui o Natal é bonito na aldeia natal Santo Tirso,parada no tempo,se não quiser envelhecer, com as iluminações mais bonitas de 1-Guimarães, 2-Santo Tirso,3-Braga,4-Famalicão e o melhor fogo de artifício da passagem de ano do norte Porto e das aldeias de Santo Tirso.

    • SAnto Tirso diz:

      Também ouvi, que alguns jovens emigram, para se distanciar da família.

      • SAnto Tirso diz:

        Ao criar o seu próprio emprego têm de conhecer o produto, usar inovação, ou tradição ,ou misturando as duas,e utilizando as potencialidades do País,como turismo,agricultura com novas culturas,biológicascomo frutas e sementes,etc,com internacionalização,e há certas áreas no Pais que faltam preencher, como emprego nas áreas comerciais ,tecnológicas,hoteleiras,calçado,etc,não há problema trabalhar em qualquer coisa que é bom para o curriculo e dá experiência.

      • Santo Tirso diz:

        A união europeia apoia o seu projecto.

      • Santo Tirso diz:

        Ao criar o seu próprio emprego,se necessitar de um cursinho de empreendedorismo, e um cursinho de gestão,e gerir o dinheiro, e poupem,faz parte do ensino básico,secundário e superior?e mais, faz parte do centro de emprego

      • Santo Tirso diz:

        Investir e Investigação.

    • Santo Tirso diz:

      Se estiver desempregado,pode pedir o subsídio de desemprego na totalidade ,de uma só vez ,para criar o seu próprio emprego, nao assine nada, sem ler primeiro.

    • Santo Tirso diz:

      Aproveitar a experiência de vida nas empresas e paras as empresas.

    • Santo Tirso diz:

      Jovens nas escolas em projectos de empreendedorismo ,têm inovações de idéias, ou invenção de objectos,estão á espera que invistam nos seus projectos,um ou outro já investiram.e outros jovens e outras pessoas fora das escolas também inventaram coisas ou ideias também esperam que invistam nas suas ideias.

      • Santo Tirso diz:

        Jovens nas escolas em projectos de investigação,esperam que invistam neles.

    • Santo Tirso diz:

      Divulgar mais ,o turismo de mergulho,nos Açores,na Madeira,Sesimbra,Algarve,onde o mar português permita,e turismo de fotografia de mergulho, turismo nautico,turismo biológico,ecológico agricola,aquático…Turismo de saúde,turismo de desporto. cultural animação de rua lazer..Requalificação do património,de monumentos degradados, e urbano e rural,são importantes para o turismo que podem ser feitos por privados ou pelo Estado criando emprego.

  3. Anónimo diz:

    Se calhar nas próximas festividades,Natal,Carnaval,Pásoa,o Luís Melo vai ser apanhado pelas TVs,elas andam sempre lá a filmar os emigrantes ,porque será?

    • Anónimo diz:

      Emigrantes e jovem emigrante Luís Melo mandem as remessas para Portugal,se quiserem investir em Portugal criando emprego ou levando trabalhadores portugueses legalizados para o estrangeiro.

      • Anónimo diz:

        O governo aprova plano de incentivo para emigrantes que queiram regressar a Portugal, incentivos para empreendedores,desempregados,cranios,etc.

  4. Anónimo diz:

    O governo cria estágios para desempregados com mais de 30 anos,que devem ser fiscalizados se as empresas cumprem os requesitos e se dão emprego.

  5. Anónimo diz:

    O Passos Coelho disse que ia baixar o IRC das empresas para criarem emprego.

  6. Anónimo diz:

    Há vagas para enfermeiros na Inglaterra,dubai,Alemanha.

    • Anónimo diz:

      Em Portugal, há mil e tal vagas para enfermeiros nos cuidados primários,o ministério da saúde dá incentivos de mil euros a médicos para irem para o interior,e recruta médicos reformados para a saúde.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: