“Santo Tirso Jornal” offline?

11/04/2013

O Santo Tirso Jornal parece estar offline. Será que, depois de descoberta a “careca”, o Alírio Canceles e o Miguel Martins planeiam criar outro “orgão de comunicação social”? Ou será que é apenas um intervalo?

stj

Se for o caso, aceitam-se sugestões para o nome do novo “Jornal”… Santo Tirso Hoje ou Santo Tirso Jornal já não servem… Jornal de Santo Thyrso está ocupado… pode ser Santo Tirso Diário ou Correio de Santo Tirso…

PS: Obrigado ao leitor atento que me chamou a atenção para o facto.

A verdade sobre o “Santo Tirso Jornal”

02/04/2013
(Clicar para ampliar a imagem)

(Clicar para ampliar a imagem)

Já escrevi sobre o Santo Tirso Jornal uma, outra, outra, outra e outra vez. Desde o seu aparecimento, em Maio 2012, duvidei da sua origem e escrevi que suspeitava ser uma “tentativa de utilização encapotada de órgãos de comunicação social para cumprir objectivos políticos pessoais“.

O que disse, e escrevi várias vezes, foi que o Santo Tirso Jornal era uma espécie de “herdeiro” do Santo Tirso Hoje. Um pretenso jornal online, criado e gerido por Alírio Canceles, com o objectivo de atacar os seus adversários e de se auto-promover, a coberto de um cobarde anonimato.

Ou seja, o suposto jornal online seria na verdade um veículo onde Alírio Canceles se faria passar por um independente jornalista, enganando os mais incautos. O que revelava da sua parte uma cobardia e desonestidade intelectual atroz. E tudo isto se veio a confirmar ao longo do tempo.

Ainda assim, e como escrevi no último post sobre o tema, mesmo perante tamanhas evidências ainda haveria gente com o descaramento de dizer que tudo isto é mentira. E quem foi que o fez? O Miguel Martins. Honras lhe sejam feitas por ter sido o único com coragem de assinar.

O Miguel Martins é membro da Comissão Política do PSD Santo Tirso, e mais um dos fiéis seguidores de Alírio Canceles. Não se esforça para pensar pela própria cabeça (apesar de eu achar que era capaz) e escolheu deixar-se levar pela banha da cobra. Pois besunte-se com ela.

Eu avisei o Miguel dizendo-lhe “Eles apenas se aproveitam da tua ingenuidade, da tua boa vontade e dos teus conhecimentos em informática para lhes tratares das páginas do partido, de campanha, das redes sociais (e, quem sabe, do Santo Tirso Jornal)“. E quem te avisa teu amigo é, certo?

Pois. A verdade está nas imagens que acompanham este post. Tanto o site do Santo Tirso Jornal como o site de campanha de Alírio Canceles, estão registados sobre a mesma morada, que aparentemente é do Miguel Martins. Está portanto justificado e desmascarado o embuste.

E depois diz o Miguel (já mo disse várias vezes) que eu tenho algo de pessoal contra Alírio Canceles. E agora dirá também que tenho contra ele próprio. Não tenho Miguel! O que acho é que vocês não reunem os mínimos exigíveis para que o futuro de Santo Tirso esteja nas vossas mãos!

Vossas excelências, com este tipo de comportamentos, demonstram bem a vossa personalidade (ou falta dela) e o vosso carácter (ou falta dele). Mostram ao que vêm (assalto ao Poder. O Poder pelo Poder) e como pretendem lá chegar (por vias travessas e pouco transparentes).

Tudo isto é um mau prenúncio para a forma como iriam actuar a partir do momento que se vissem no Poder. E portanto eu, como Português, como Tirsense, e até como militante do partido pelo qual se candidatam, tenho o direito e o dever de fazer tudo ao meu alcance para vos denunciar.


Santo Tirso Jornal, esse “jornal” independente

25/03/2013

Para quem ainda tinha dúvidas de que o Santo Tirso Jornal era um projecto pessoal de Alírio Canceles para se auto-promover e auto-elogiar na campanha à CM Santo Tirso, as dúvidas continuam a desfazer-se.

Atente-se aos textos (e mesmo à fotografia) publicados em duas notícias do Santo Tirso Jornal e também publicados (em documento timbrado) na recem criada página do candidato no Facebook.

Artigo no Santo Tirso Jornal sobre visita ao Hospital
stjhosp

Artigo no Santo Tirso Jornal sobre concurso de ideias
stjcid

Artigo na página do Facebook sobre visita ao Hospital
fbhosp

Artigo na página do Facebook sobre concurso de ideias
fbcid

Como se pode ver os textos são exactamente os mesmos, bem como a fotografia utilizada para ilustrar o encontro com o director do Hospital.

Ou seja, parece que os artigos escritos neste meio de comunicação social são utilizados como comunicados oficiais do partido na campanha eleitoral!

Mas com toda a certeza ainda há gente que terá o descaramento de vir aqui dizer que é coincidência. Coincidência os textos serem cópias integrais.


Todos… menos alguns… por Santo Tirso

25/03/2013

O slogan da campanha de Alírio Canceles à Câmara Municipal de Santo Tirso não podia ser melhor… “Todos por Santo Tirso“… Com a particularidade de o Todos estar a negrito/bold.

todos

Ora eu creio que, o que o candidato quererá dizer é Todos… menos o Luís Melo, o Carlos Almeida Santos, o Carlos Valente, o Adelino Moreira, o Carlos Oliveira, o Joaquim Fernandes…

… menos todos aqueles que queriam o Zé Pedro Miranda como candidato, os Avenses e os Campenses que estão ao lado dos seus Presidentes de Junta…

… menos os socialistas, comunistas, centristas, bloquistas, independentes, sociais-democratas e todos os Tirsenses que não me apoiam nesta luta pessoal pelo assalto ao Poder.

Basicamente o Todos é aquela meia dúzia que está às ordens de sua excelência o “Querido Líder”, sem questionar.


Olha para o que eu digo, e não para o que eu faço

15/02/2013

Durante muitas edições nos últimos anos, o Jornal Entre Margens publicou um inquérito/entrevista a uma figura do concelho de Santo Tirso. O inquérito foi feito a pessoas ligadas às mais variadas áreas da sociedade, desde a Política à Cultura.

Entre as pessoas entrevistadas estiveram três protagonistas políticos ligados ao PSD. Andreia Neto, Carlos Pacheco e Rui Baptista. Permitam-me eles recordar e comentar algumas das respostas que deram na altura em que foram entrevistados.

A pergunta era: “Que nome lhe ocorre para suceder a Castro Fernandes?“. Andreia Neto (deputada na AR pelo PSD) e Rui Baptista (Presidente da JSD) estiveram em sintonia, enquanto que Carlos Pacheco se destacou com uma reflexão mais profunda.

Andreia Neto respondeu: “O candidato que vier a ser indicado pelo PSD Santo Tirso“. Rui Baptista respondeu: “O próximo candidato do PSD à Câmara Municipal“. Ou seja, tal como no futebol, não interessa quem é, desde que seja do meu clube. Eloquente.

Carlos Pacheco falou melhor: “Ainda nem sequer pensei nisso, nem estou muito preocupado com nomes. Mais que nomes ou partidos, o que realmente me motiva são os projectos. É a vontade de fazer mais e melhor pela nossa terra. É nisso que acredito!“.

Nesta altura eu já estava surpreendido pela positiva com o discurso do Carlos, mas ainda fiquei mais: “O problema da maioria dos nossos governantes é estarem fechados dentro dos seus gabinetes, sem quererem ouvir outras opiniões senão a sua“.

E o Carlos não se ficou por aqui. Acrescentou “Quem está no Poder Local está, acima de tudo, ao serviço de quem o elegeu, ao serviço da população e, como tal, deve governar para ela mas, sobretudo, com ela“. Excelente, pensei, tem toda a razão.

A verdade é que o Carlos mais uma vez seguiu o ditado: Olha para o que eu digo, e não para o que eu faço. No recente processo de escolha do candidato do PSD, votou o nome de Alírio Canceles sem ver um projecto e sem ouvir a opinião dos militantes.

Quanto ao Rui e à Andreia, foram coerentes com o que disseram, o que a CPC do PSD Santo Tirso escolher é quem eles acham o melhor. Demonstram é falta de sentido crítico, liberdade, e capacidade de pensar pela própria cabeça. Essenciais na política.


Alírio Canceles, um candidato sozinho e isolado

10/02/2013

O candidato do PSD à Câmara Municipal de Santo Tirso é um homem sozinho e isolado. A ganância e a fome de Poder não permitiram a Alírio Canceles antever este cenário, mas ele era evidente. Começa agora a sentir alguns sinais, mas creio que ainda não viu o panorama total.

A primeira coisa que Alírio Canceles já começou a sentir foi o afastamento do activo mais importante do partido, os Militantes. Na sua maioria (à excepção daquelas duas dúzias de “carneiros” intelectualmente diminuídos que esperam por “tacho”) enjeitam a sua auto-nomeação.

A segunda coisa que Alírio Canceles já começou a sentir foi o afastamento de vozes fulcrais dentro do partido, os Ilustres. Alguns pediram uma audiência à Comissão Política (para que considerasse o nome do homem em melhores condições, Zé Pedro Miranda) e vieram recambiados.

A terceira coisa que Alírio Canceles já começou a sentir foi o afastamento de elementos cruciais no concelho, os Presidentes de Junta. Adelino Moreira, Carlos Valente e Zé Pedro Miranda mostraram-se magoados e indignados por não terem sido consultados e até mesmo desprezados.

A quarta coisa que Alírio Canceles já começou a sentir foi o afastamento dos dinamizadores da economia, os Empresários. Em locais reservados ou conversas privadas, aqueles que criam postos de trabalho e riqueza para o concelho, dizem não ter confiança no candidato e no partido.

A quinta coisa que Alírio Canceles já começou a sentir foi o afastamento de entidades decisivas na sociedade, as Instituições Sociais. Não há nenhuma que acredite nas intenções ou na boa fé do candidato. Muito menos na influência deste junto do Poder central, para ajudar.

Porém há uma outra coisa de que Alírio Canceles ainda não sentiu afastamento, os seus “fiéis” seguidores. Isso deve-se a dois factores. O primeiro, o facto de ele estar tão “cheio de si” que nem consegue discernir. O segundo, a hipocrisia e o fingimento dos “fiéis” seguidores.

A partir do momento em que Joaquim Couto foi eleito candidato do PS (democratica e transparentemente pelos Militantes do seu partido) muitos dos “fiéis” seguidores, ao antever a derrota de Alírio Canceles, começaram logo a trabalhar em surdina para o pós-Autárquicas 2013.

Atenção que não estou a especular! Alguns já mo disseram directamente. Não acreditam em Alírio, não acreditam na vitória do PSD, crêem que a derrota será histórica. Mas irão continuar a acompanhar o partido para estarem posicionados para “apanhar os cacos” no pós-derrota.

Alírio Canceles partirá para a campanha e para o combate duríssimo que serão as eleições Autárquicas 2013 com uma equipa de hienas traidoras, que estarão na expectativa, apenas concentrados na melhor maneira de o atirar “borda fora” depois da derrota, e “agarrar” o partido.


Alírio Canceles escreve sobre… Alírio Canceles

05/02/2013

Alírio Canceles foi o nome escolhido pelo Comissão Politica do PSD de Santo Tirso e pela Distrital do Porto como candidato à câmara

Tentativa de fazer a (auto)nomeação passar  por uma escolha com um consenso alargadíssimo. Pena que o activo mais importante do partido, os Militantes, não tenham sido chamados a participar e a dar parecer.

De acordo com os estatutos do PSD, Alírio Canceles, submeteu a sua candidatura a sufrágio direto (voto secreto), à Comissão Politica que lidera, candidatura que foi aprovada por unanimidade.

Tentativa de fazer a (auto)nomeação parecer legítima, transparente, dentro da legalidade e consensual. Pena que tudo tenha sido feito nas costas dos Militantes e sem permitir que outros nomes fossem considerados.

Apesar de algumas vozes discordaram desta candidatura, Alírio Canceles considerou normal que nem todos os militantes se revejam na sua candidatura. “Tem sido sempre assim”. “Os militantes têm direito a exprimir a sua opinião e no PSD não cultivamos unanimismos”

Tentativa de fazer passar a imagem de um homem democrata, pluralista e respeitador de diferentes opiniões. Pena que durante anos tenha ostracizado Militantes que não concordavam com a sua acção e linha de pensamento.

Quanto a “não cultivamos unanimismos” remeto para a 1ª e 2ª transcrições onde o autor da notícia (que é o próprio candidato) não só tenta fazer passar a ideia de unanimismo como escreve mesmo “candidatura que foi aprovada por unanimidade“.

a seu tempo apresentará aos Tirsenses as suas propostas

Tentativa de fazer passar a ideia de que a candidatura tem um programa e uma estratégia política. Pena que ao longo de 4 anos na vereação a única coisa que tenha para apresentar seja um chorrilho de remoques a Castro Fernandes.

Alírio Canceles é vereador na CMST, tendo já exercido o cargo de deputado Municipal, líder da bancada na Assembleia Municipal, membro da Assembleia de Freguesia de Lamelas e deputado da Assembleia Metropolitana do Porto. A nível partidário, o atual presidente do PSD de Santo Tirso e vice-presidente da estrutura distrital dos TSD da Administração Pública, integrou a Comissão Politica Distrital do PSD do Porto, foi Conselheiro Nacional, delegado distrital e congressista.

Tentativa de fazer passar a ideia de um candidato experiente e com um brilhante curriculum. Pena que só apresente cargos politico-partidários (típicos de homens da “máquina”) e nenhuma conquista ao nível profissional, social ou cultural.

Alírio Canceles, tem uma larga experiência autárquica e politica, e tem demonstrada uma enorme competência

Tentativa de fazer passar a ideia de posse de capacidades políticas e sucessos conseguidos no passado. Pena que a realidade não mostre nenhuma prova desse trabalho. Curioso ver o autor da notícia, que é o próprio candidato, a auto-elogiar-se.

O PSD de Santo Tirso congratula-se com a indigitação de Alírio Canceles

Tentativa de fazer passar a ideia de que todo o PSD Santo Tirso se congratula com a candidatura. Pena que o PSD Santo Tirso não seja apenas constituído pelo líder e pela Comissão Política Concelhia. Os Militantes também são “gente”.


Alírio escolhido em votação secreta

02/02/2013

Foi através da página do Facebook do Presidente da Junta de Vila das Aves, Carlos Valente, que se tornaram públicos alguns acontecimentos das últimas semanas, em relação ao processo de escolha do candidato do PSD a Presidente da Câmara Municipal.

Depois de perceberem que o “golpe” (por mim denunciado repetidamente neste blogue) se ia de facto consumar, um grupo de militantes e simpatizantes pediu uma reunião à CPC do PSD para falar sobre o assunto. Pena é, só terem acordado agora.

A CPC do PSD recebeu esse grupo mas recusou a participação dos simpatizantes (no caso, o presidente da Junta de São Martinho, que tantas alegrias já deu ao PSD). Um gesto democrático e em linha com o propalado sound-byte “abrir as portas à sociedade civil“.

O grupo terá sugerido à CPC do PSD o nome de Zé Pedro Miranda para candidato a presidente da Câmara Municipal, mas não se terá apercebido que já ia tarde demais. O candidato já estava há muito escolhido, e iria ser o que hipocritamente os recebia.

Após ter sido tornado pública a consumação do “golpe” e a (auto)nomeação de Alírio Canceles alguns membros da CPC do PSD vieram-se escudar numa alegada votação secreta de nomes. Votação essa em que apenas estava UM (!!) nome, o de Alírio Canceles.

Ou seja, os membros da CPC do PSD nem sequer conseguem discernir o ridículo da sua figura, e a pouca vergonha dos seus actos. Então como haveria de ser escolhido outro candidato, se mais nenhum foi considerado? Nem aquele que alguns sugeriram?

E mais do que isso, com que cara vêm eles falar sobre o assunto e tentar defender-se depois de estar demonstrado categoricamente que nomearam o candidato à revelia dos militantes? O que têm a dizer sobre isso?


Alírio e Cª esconderam e mentiram deliberadamente

02/02/2013

Já é publico, o candidato do PSD a presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso é Alírio Canceles. Custou, teve de ser denunciado na blogosfera e nas redes sociais, mas finalmente alguns membros da Comissão Política Concelhia (CPC) admitem-no.

A Comissão Política decidiu unilateralmente e apresentou o nome à Distrital do PSD, que o ratificou. No entanto continua sem haver um anúncio “formal”. O PSD tem um candidato vergonhoso e envergonhado, consciente do “golpe” que deu no partido.

Tudo foi feito nas costas dos militantes, sem os chamar a participar, sem os auscultar. Desprezando a sua condição de activo mais importante do partido. Atropelando os estatutos e a ética. E já dizia Sá Carneiro “a política sem ética é uma vergonha“.

Isto, depois da farsa que foi o plenário de 5 de Dezembro, que discutiu e aprovou o perfil do candidato. Plenário no qual o meu caro amigo e militante Luís Gonzaga perguntou para quando a discussão de nomes e lhe foi respondido que seria para mais tarde.

Ou seja, a Comissão Política não só escondeu o processo dos militantes como os fez de parvos, gozou com a sua cara, e ainda lhes mentiu, deliberadamente. Mas tudo foi elogiado pela deputada Andreia Neto, que presente no plenário enalteceu o trabalho da CPC.

É este o PSD que quer ganhar a confiança dos militantes e dos Tirsenses, para governar os destinos de Santo Tirso…


PSD Santo Tirso ainda goza com militantes

30/01/2013

Recebi há pouco um e-mail do PSD Santo Tirso. O assunto era “Plenário de Secção” e o texto começava com “Caros Militantes!”. Assim mesmo, qualificando os militantes de “Caros”, referenciando-os com “M” maiúsculo e terminando com o entusiasmo de um ponto de exclamação.

Pensei: “Queres ver que estão a convocar um plenário para os militantes se pronunciarem sobre um candidato à CMST que já foi escolhido nas suas costas?”. Não, o único ponto da ordem de trabalhos é a discussão e aprovação das contas referentes ao ano de 2012.

Ou seja, estando apenas a 9 meses das eleições, e depois de no último plenário (há cerca de 1 mês) se ter discutido o perfil do candidato às Autárquicas 2013, a Comissão Política não inclui na ordem de trabalhos a escolha do candidato à Câmara.

A Comissão Política e o seu líder continuam a menosprezar os militantes, e pior que isso, a tomá-los a todos como parvos. E ainda têm a distinta lata de escrever “Caros” (que no dicionário tem como significado: “Queridos, Estimados”) como se os considerasse muito.

Por fim, mais uma pequena prova de que o PSD Santo Tirso é o feudo e um projecto de Poder de um homem só: A convocatória vem assinada pelo presidente da Comissão Política quando deveria ser o presidente do Plenário a convocar os militantes.

Este PSD Santo Tirso é uma anedota, e a Comissão Política, toda ela, não tem um pingo de vergonha na cara.


%d bloggers like this: