A coerência – Exemplo #537

28/05/2018

13 de Maio de 2018

27 Maio 2018

Anúncios

Google? Tive um déjà vu (PT/Sócrates/Bava)

25/01/2018

António Costa anunciou: a Google vem para Portugal, abrir um Centro de Serviços e Hub Tecnológico, que vai criar 500 empregos qualificados e servir Europa, o Médio Oriente e África.

Segundo o Primeiro-Ministro e o Partido Socialista, esta é uma enorme conquista. E o mérito é todo do Governo liderado por António Costa. Como não poderia deixar de ser, o investimento é na zona da grande Lisboa (Lagoas Park, Porto Salvo, Oeiras).

De repente tive um déjà vu… há não muitos anos atrás, o Primeiro-Ministro José Sócrates acompanhado pelo CEO da PT Zeinal Bava e o Presidente da Câmara de Santo Tirso Castro Fernandes, anunciavam a abertura de um Centro de Relacionamento e Apoio Técnico a Clientes no meu concelho.

O investimento iria criar 1.200 empregos qualificados, e o centro seria equipado com tecnologia de última geração. Castro Fernandes afirmou, na altura, “estes não serão empregos precários“.

A verdade é que passados estes anos sabemos que foi criado um Call-Centre com metade dos postos de trabalho anunciados, e que esses postos são tudo menos qualificados. Gente que conheço e trabalhou lá, diz mesmo que o emprego não só é precário como existem práticas inaceitáveis (ex. não permitir idas ao WC).

Portanto, vindo de Socialistas, mais vale não embandeirar em arco e esperar para ver, tal como São Tomé fez. A verdade é que o Centro de Serviços e Hub Tecnológico da Google, que vai criar 500 empregos qualificados, pode acabar por ser mais um Call-Centre onde se oferece emprego precário a recém-licenciados desempregados.

Para além disso, causa-me vergonha alheia ver o que a Reuter escreveuWe have invested strongly in education, we are highly language-proficient” and have a large pool of skilled engineers, Costa said in a slightly broken English, adding, with a smile, that he was an exception to the rule“.

Um Primeiro-Ministro que, não só se habituou a mentir (ou a ocultar our dizer meias-verdades), e que o faz sempre com um sorriso na cara – uma cara sem vergonha absolutamente nenhuma.

 


A táctica do PS e do seu director de campanha

25/07/2015

CKxtUiZWoAA4YBM

É esta a táctica do PS. A estratégia do director de campanha de António Costa, Ascenso Simoes.

Nao surpreende. Aliás acontecerá em todos os partidos. Mas é triste.

Estao todos mais preocupados com a manipulacao de imagem e opiniao pública, do que com o futuro do país.

Nada de novo portanto. E os portugueses vao votar neles. Terao o que merecem.


Je suis Charlie quando dá jeito

03/05/2015

CEFeP94UIAEtAkH

Há umas semanas atrás António Costa era “Charlie”. Mesmo ao centro, nesta foto cheia de outras “figuras” da política portuguesa. Indignava-se e lutava pela liberdade de expressão dos jornalistas daquele jornal francês.

Agora, António Costa manda SMS a jornalistas de jornais portugueses. Tentanto coarctar a liberdade des estes escreverem o que pensam do PS, de António Costa e do seu programa/ideias para Portugal.

É a hipocrisia e a falta de vergonha no seu limite.

Infelizmente o povo que vota já demonstrou por várias vezes ter memória curta e, daqui a uns meses, certamente que mais de 1 milhão de portugueses irá votar e eleger este escroque para Primeiro-Ministro.

Aos que vivem em Portugal e, sem culpa nenhuma, irão ver o seu futuro nas mãos desta gente, desejo boa sorte. Aos outros, os que votam, espero que tenham aquilo que merecem.


Governar, à lá António Costa

15/02/2015

Nos últimos tempos tem ficado bem patente a forma de Governo de António Costa…

  1. Benefeciar os que mais podem: Câmara de Lisboa perdoa 1,8 milhões de euros ao Benfica
  2. Discriminar os que menos podem: Veículos anteriores a 2000 proibidos de circular na Baixa de Lisboa
  3. Governar sem transparência: António Costa recusa mostrar relatório sobre obras em Lisboa

… mas ainda há muito boa gente a pensar votar no alcaide de Lisboa.


António Costa preparado para ser PM

30/11/2014

Ao pequeno almoço liguei a RTP Informação para saber as novidades do congresso socialista, e deparo-me com o habitual painel de comentadores políticos.

Segundo alguns desses comentadores António Costa provou neste congresso que está preparado para liderar o PS e levar o partido novamente ao Governo de Portugal. Porquê? Duas razões essenciais:

a) Conseguiu fazer com que ninguém proferisse o nome de José Sócrates, dentro da sala do congresso ou para a comunicação “dita” social. Mesmo Mário Soares e Manuel Alegre, que têm estatuto para dizerem o que quiserem, e normalmente dizem o que lhes vem à cabeça.

b) Apesar de saber que quando chegar ao Governo (se lá chegar), a mesma realidade que tramou o seu colega Hollande vai obrigá-lo a entender-se com os partidos “ditos” do centro-direita (PSD e CDS), conseguiu disfarçar bem o discurso e as acções, para captar o eleitorado à esquerda.

Concordo com os comentadores. Costa está preparado para ser Primeiro-Ministro de Portugal. Tem tudo o que é necessário… passa uma esponja pelo passado (o seu e o do PS), mostra autoritarismo (qual ditadorzinho a silenciar o incómodo), consegue enganar o eleitorado (bem como outros partidos e organizações da sociedade) e está nas graças da comunicação “dita” social de Lesboa.


Costa e a Comunicação “dita” Social

25/10/2014

Durante os próximo 12 meses, e até às eleições, muito se revelará. Alguns políticos que até agora andaram protegidos pela sombra vão agora ter de andar ao sol. Mas há mais quem vá ter de se queimar… a comunicação “dita” social.

Todos sabemos que, para a comunicação “dita” social, o que é novo é bom. Por isso mesmo, por ser novidade. É notícia, e vende. Mas ainda é melhor se for de esquerda (o quadrante político preferido das redacções portuguesas).

Não é novidade que António Costa sempre teve boa imprensa. Porquê? Não sei. Talvez porque faz parte da corte de “Lesboa”, porque tinha uma irmão influente no sector, ou porque não se pode criticar um “escurinho” correndo o risco de se ser confundido com racista.

A verdade é que António Costa é dos políticos menos coerentes da praça. E a razão é só uma. Ele não tem uma ideia, uma convicção, um ideal. É daqueles que vai conforme o vento (leia-se, opinião pública). Só diz o que é políticamente correcto, popular e circunstâncial.

Ora isso seria uma galinha dos ovos de ouro para a comunicação “dita” social portuguesa. Nos próximos 12 meses teria infinito material para ir buscar ao passado recente, e comparar com o que António Costa diz agora que é candidato a PM.

Aguardo com curiosidade e serenidade. É que para mim, também a comunicação “dita” social portuguesa se vai revelar (pelo menos para aqueles que ainda julgam que ela é imparcial e independente).


%d bloggers like this: