Onde estava @EditeEstrela no Freeport/Face Oculta?

27/12/2010

A política está podre. Isso já não é novidade. Governantes, deputados, autarcas e afins são na sua maioria gente sem carácter, sem princípios, sem valores e muitas vezes corruptos. Para os actuais políticos os fins justificam os meios, mentindo e ultrapassando quaisquer limites de moral e ética.

Claro que há sempre excepções que confirmam a regra. Olhando de repente para o plano político actual vejo Rui Rio e Cavaco Silva como 2 oásis no deserto (ainda que, para mim, não estejam os dois no mesmo patamar). São 2 políticos com maneiras de actuar diferentes, mas são homens honestos.

Sendo assim estão em vantagem perante o eleitorado, pelo que os seus adversários tentam denegri-los para (pasme-se!) os puxarem para o baixo nível deles. Já sucedeu várias vezes, e nas Presidenciais 2011 acontece novamente. Só isso justifica o arrastamento de Cavaco para o caso BPN.

Mas aos arautos da verdade, como Defensor de Moura ou Edite Estrela, eu pergunto onde estavam aquando do caso Freeport ou do caso Face Oculta? Nessa altura não quiseram explicações, e agora querem?! Ao contrário de Sócrates, Cavaco deu-as em directo na TV.

Colocou no banco as suas poupanças, que foram aplicadas (total ou parcialmente) em acções. Ganhou, segundo é dito, 1.40€ por cada uma (um total de 140.000€ ?!). Quantos anónimos ganharam tanto ou mais quando, por exemplo, as acções da GALP subiram de 5€ para 15€? É crime? Não me parece.

Anúncios

Apolíticos vs Políticos na Justiça

26/11/2010

É hoje mais do que evidente que há uma promiscuidade indesejável entre a Justiça e a Política. Ou melhor dizendo, entre algumas figuras de destaque da Política e outras da Justiça. Custa-me crer que isto é verdade, mas por mais que não queira, os sinais são manifestos. É triste que assim seja, e quem sofre mais com isto é o povo Português que vê violentado um dos pilares da sua já débil democracia.

No caso Casa Pia, os apolíticos Carlos Silvino e Carlos Cruz (entre outros) foram constituídos arguidos, ao passo que os ex-Ministros Paulo Pedroso e Ferro Rodrigues foram ilibados. No caso BPN, os apolíticos José Oliveira e Costa e Manuel Lagoa de Sousa (entre outros) foram constituídos arguidos, enquanto que o ex-Ministro e Conselheiro de Estado Manuel Dias Loureiro já foi esquecido.

No caso Freeport, os apolíticos Charles Smith e Manuel Pedro são arguidos, mas o Primeiro-Ministro José Sócrates e o Ministro Pedro Silva Pereira não constam da lista. Muito provavelmente o mesmo acontecerá no caso Face Oculta. Ou seja, o apolítico Manuel Godinho será considerado culpado, ficando o ex-ministro Armando Vara e o boy Rui Pedro Soares livres de qualquer ausação.

Não estou, com estes exemplos, a querer julgar ou acusar ninguém. Estou só a constatar um facto, que é uma grande coincidência. Políticos no activo, ou com grandes ligações aos que estão no activo (em posições de destaque), têm sempre o azar de serem apontados como suspeitos, mas a sorte de conseguirem escapar ilesos.

Para mim, nem tudo são coincidências e basta ter um bocadinho de memória para perceber que esta triste prática, esta mistura negativa, começou a ganhar maior relevância e a ser mais frequente desde que José Socrates foi eleito chefe do Governo. Este, é mais um motivo para querermos que saia.


Ninguém escolhe família. Mas os amigos…

19/02/2010

Mais escutas vieram a público. José Sócrates não é ouvido em nenhuma delas. Quero acreditar que nas 11 que o envolviam, e que foram entregues ao Presidente do STJ, não houvesse nada de criminoso. Mas se assim era, porque demorou tanto a avaliação das mesmas? Não se compreende. E por ter havido eleições legislativas pelo meio, é legítimo que todos desconfiem que o atraso foi propositado.

Partindo do princípio que José Sócrates nada tem que ver com estes planos (que envolvem TVI, RTP, PT, MEO, TagusPark, Refer, Luís Figo, DN, JN, Lusa, etc.) fico sem perceber qual os motivos e os objectivos que levaram Rui Pedro Soares, Paulo Penedos, Armando Vara, João Carlos Silva, José Thomati, etc a fazer tais diligências, a engendrar tais planos, a corromper e influenciar à custa de dinheiros que não eram seus.

Segundo consigo perceber pelas declarações do PM e da sua guarda pretoriana, o problema não é José Sócrates ser um homem sem carácter, sem principios e sem valores. O problema não é sequer José Sócrates ser um mau governante ou um político corrupto. O problema é que José Sócrates está com azar nos familiares (estes ninguém pode escolher) e amigos (estes todos podem escolher) que tem.

1 – A propósito do caso Freeport, Sócrates é inocente e tem o azar de um primo abusador ter utilizado o seu nome e cargo para obter contrapartidas financeiras.

2 – A propósito do caso Face Oculta, Sócrates é inocente e tem o azar de uns amigos abusadores terem utilizado o seu nome e cargo para obter… apoios para a candidatura do mesmo Sócrates às legislativas 2009.

Caramba… agora fiquei confundido. Então os amigos de Sócrates arriscam a própria pele – corrompendo e influenciando com dinheiros públicos ou de accionistas de empresas privadas – e têm como objectivo beneficiar Sócrates (que de nada sabe) em vez de se servirem a eles mesmos? Que raio de gente esta… nem para eles são bons… ou então, a versão de Sócrates está mal contada, o PM está mesmo envolvido como cabecilha, e o procurador do MP mais o Juíz de Instrução de Aveiro têm toda a razão.


Atraídos pela família

03/01/2010

Esta coisa dos polvos darem à costa em Portugal (mais precisamente em V.N. Gaia), estará relacionada com as “redes tentaculares” que proliferam em Portugal? Ainda por cima deram à costa numa praia, onde há areia, a tal que foi retirada ilegalmente algures em Ovar.

E confirmando as melhores expectativas…

27/11/2009

… quem vai para a REN – em substituição de José Penedos – é… outro boy socialista


Silva & Silva

14/11/2009

Para os Silva & Silva (Vieira da e Augusto Santos) as escutas ao PM nada mais são do que espionagem política. Será que as escutas ao PR também o eram?… ah espera, não. Essas eram apenas invenções dos jornais. Por quem nos tomam estes senhores, por parvos?

É incrível como para este governo vale tudo para se agarrar ao poder. Nem que isso implique dar facadas e mais facadas na Democracia e no Estado de Direito. Para se livrar das suspeitas nos casos Face Oculta e Freeport, o PS tenta descredebilizar a Justiça.

Não sei se os membros deste governo acham que os portugueses são parvos ao ponto de pensarem que um juíz ia manda extrair uma certidão numas escutas em que Vara e Sócrates combinavam um jogo de ténis ou um jantar.


Cronologia de um golpe

12/11/2009

Caso “Face Oculta”: O STJ disse que as escutas entre Sócrates e Vara eram nulas… mas tal como diz – e muito bem – Pedro Lomba no seu artigo do jornal “Público”: Escutas nulas, disse o Supremo. Os factos, meus amigos, é que não são


%d bloggers like this: