LOL-petegui ou Flop-etegui

19/10/2014

A Julen Lopetegui ainda dei mais tempo e benefício da dúvida do que a Vitor Pereira ou Paulo Fonseca. A estes, bastou-me 2 meses para ver o que (não) valiam. Ao espanhol ainda dei mais 1 ou 2 meses, mas cheguei à mesma conclusão. Não serve para treinador do meu FC Porto.

Imagino que os portistas cegos e otários – aqueles que sofrem de clubite aguda – irão fazer o mesmo que fizeram até hoje. Ou seja, defendê-lo com unhas e dentes, até que o senil Presidente tome a decisão (livre ou forçada pela restande direcção) de prescindir dos serviços do treinador.

Foi isso que fizeram com Vitor Pereira e com Paulo Fonseca. Porque essa estirpe de portista não tem opinião própria. É como um extremista religioso. Não questiona o que o papa, o caliph ou o imam dizem. É um rebanho de carneiros que vai atrás do pastor de olhos fechados.

O resultado é simples. Mais uma época – Deus queira que seja só uma, já que com os outros dois foram duas penosas épocas com cada um – em que a equipa fará exibições sofríveis, e em que os títulos serão escassos. Isto, apesar da enormíssima qualidade individual do plantel.

Uma pena…


Málaga é fraco para quem percebe pouco de futebol

20/12/2012

Hoje, no twitter, lá tive mais um tête-a-tête depois do sorteio da Liga dos Campeões. Tudo porque depois de se saberem os adversários a maioria dizia que o FC Porto tinha tido sorte, porque o Málaga CF era o mais fraco de todos.

Todos os anos, em todas as eliminatórias das competições europeias é a mesma conversa. Ou sai Real Madrid, Barcelona, Manchester United, Bayern de Munique ou então o FC Porto teve sorte. Os outros são todos clubes muito fracos.

Só pode ter este tipo de avaliação quem não percebe nada de futebol. Vossas excelências têm de entender uma coisa: A valia das equipas dentro de campo não se mede pelo historial, número de sócios ou tamanho/capacidade do estádio.

O Málaga CF classificou-se em 4° lugar do Campeonato Espanhol em 2011/2012 atrás de Real Madrid, Barcelona e Atlético. E nesta altura ocupa exactamente a mesma posição. Isto diz algo! Que o Málaga CF está forte e em grande forma!

Lembre-se que o Málaga CF se qualificou para esta fase da Liga dos Campeões em primeiro lugar e sem derrotas. Num grupo com o colosso AC Milan e o milionário e experiente Zenit, só cedeu empates depois de estar qualificado.

Quem percebe e acompanha o futebol sabe que neste momento o Málaga é mais forte do que o Milan, o Bórussia é mais forte que o Man Utd, o Shakhtar é mais forte que o Valência e o Schalke 04 é mais forte que o Arsenal.

Nunca se devem subestimar os adversários. Fazê-lo é meio caminho andado para a derrota. E há muita gente que ainda não percebeu isso. Por isso é que ao invés de viverem com as glórias do presente, vivem com as do passado.


FC Porto: um curioso número de títulos

23/05/2011

O que se viu ontem no Jamor foi uma autêntica festa do futebol que apenas teve uma pequeníssima nódoa, a saída de adeptos Vitorianos aos 75 minutos de jogo. Há muitos anos que não se via uma final da Taça de Portugal que realmente homenageasse o desporto rei.

Os jogadores de Vitória SC e FC Porto deram um espectáculo digno de uma final, entrando em campo para vencer desde o primeiro minuto. O resultado dessa atitude foi um excelente jogo do futebol, como não se via há muito. Também os adeptos estiveram irrepreensíveis.

Estes (esquecendo os menos crentes) foram particularmente exemplares no apoio às suas equipas, sem violência e sem rivalidades levadas ao extremo. Confraternizaram antes do jogo nos famosos pic-nic’s, e respeitaram-se mutuamente durante e depois do jogo.

Gosto particularmente dos adeptos Vitorianos. Em Guimarães não há adeptos do FCP, SLB ou SCP, que têm como segundo clube o Vitória SC. Em Guimarães as pessoas são do Vitória SC e de mais nenhum. Isso, demonstra um carácter e personalidade que admiro muito.

Os Vitorianos não mereciam uma derrota tão pesada, mas a sua equipa foi impotente perante um FCP histórico, que esta época está “com a corda toda” e praticamente imparável. Mesmo com alguns “suplentes” e apenas um treino, não perde qualidade e cilindrou novamente.

Se noutros jogos as estelas foram Helton e Falcão, nesta final da Taça brilharam Beto e James Rodrigues. O miúdo de 19 anos deu mais uma prova do seu talento e qualidade com 3 golos e 2 assistências. Daqui a 2 épocas, quando Hulk se for, temos substituto à altura.

De resto apena um apontamento para mais um feito do FCP de Villas-Boas. Venceu 4 títulos numa só época (Igualando o FCP de Tomislav Ivic em 1988), ultrapassando o grande rival SL Benfica, em número total de títulos de futebol. O FCP tem agora 69 conquistas.

Curioso número, diria Mota Amaral…


Não é o Special Two, é o Special Too

19/05/2011

A vitória do FC Porto na Liga Europa 2010/2011 é mais uma prova (entre tantas) da grandiosidade do clube na Europa do futebol. O FCP é claramente um dos melhores clubes do Mundo. Há várias décadas que assim é, mas nesta última tirou todas as dúvidas, se é que as havia.

Tal como escrevi há tempos “Uma equipa não é a melhor por vencer uma vez, é-o por vencer constantemente“. E o FCP fá-lo como poucos na Europa do futebol. Nem os maiores colossos (Man Utd, FC Barcelona, Real Madrid, Inter Milão, AC Milan, Bayern Munique) conseguem vencer desta forma.

Nos últimos 10 anos o FCP venceu 7 campeonatos, 5 Taças de Portugal, 6 Supertaças Portuguesas, 2 Taças UEFA, uma Liga dos Campeões Europeus e um Campeonato do Mundo de clubes. Duvido que haja paralelo. Este palmarés é incrível e deita por terra qualquer argumento adversário.

Se há uns anos atrás o rosto do domínio do FCP na Europa (já que em Portugal tem sido constante) foi José Mourinho, o Special One, este ano, é André Villas-Boas, o Special Too (e não Special Two). O treinador do FCP é um exemplo de competência, liderança, carácter e humildade.

Ontem de manhã escrevi no twitterUm dia vou festejar um título europeu do FC Porto, na cidade de Lisboa. Hoje é esse dia“… graças a André Villas-Boas, ontem foi mesmo esse dia. E soube bem, muito bem. Só me faltaram os meus amigos portistas de Santo Tirso, para o festejo ser perfeito.


Erro estratégico do FC Porto no caso “Túnel da Luz”

13/05/2011

Em Março de 2010, um dia após Hulk voltar aos relvados depois do castigo que adveio do caso “Túnel da Luz”, escrevi:

Ninguém poderá dizer se com Hulk disponível o FCP ganharia os jogos que perdeu, tal como poderia perder os jogos que ganhou […] Não vem mal ao mundo. Ninguém pode vencer sempre […] Mas uma coisa é certa: o FC Porto teve o seu maior activo (avaliado em 100 M€) parado durante 100 dias. O que sería se a Autoeuropa tivesse uma das suas linhas de montagem paradas durante 100 dias? O que sería se a PT tivesse a sua rede de telecom parada durante 100 dias? O que sería se a EDP tivesse as linhas de transporte cortadas durante 100 dias? Alguém vai ter de indemnizar o FC Porto

Ora, passado mais de um ano sobre isto, o FC Porto resolveu colocar uma acção em tribunal pedindo uma indemnização de 8 M€ à Liga de Clubes. Não pelo facto de ter tido o seu activo parado, mas por achar que isso foi a razão pelo facto de não ter chegado à Liga dos Campeões.

Na minha opinião foi um erro da direcção do FC Porto. Penso que nenhum tribunal irá dar razão ao clube neste caso porque, como disse, é impossível saber se com Hulk o FC Porto ganhava os jogos que perdeu. Agora, o facto de ter um activo parado, isso sim é quantificável e poderia ter sucesso em tribunal.


Apenas Manchester Utd se assemelha ao FC Porto

29/04/2011

Ontem o FC Porto demonstrou que é actualmente, de longe, um dos melhores clubes de futebol da Europa (e consequentemente do Mundo). E é grande, não pelo passado longínquo, mas pelo presente. Na última década tem conquistado o que nenhum outro clube conseguiu.

Uma equipa não é a melhor por vencer uma vez, é-o por vencer constantemente. Obviamente que ninguém é invencível. Nem o Barcelona ou o Man Utd do século XXI, nem o Real Madrid ou Milan dos anos 90. E por isso nos últimos 10 anos foram campeões Boavista, Sporting e Benfica.

A questão é que nas últimas 10 épocas, o FC Porto foi campeão por 7 vezes, venceu a Taça de Portugal por 5 vezes, e a Supertaça Portuguesa por 6 vezes. E claro, pelo meio, venceu a Taça UEFA em 2003, a Liga dos Campeões Europeus (pela 2ª vez) em 2004 e o Campeonato do Mundo de clubes.

Isto só é possível com um grupo competentíssimo de dirigentes, técnicos e atletas. Algo que o FC Porto tem conseguido manter ao longo dos anos, e encontra apenas semelhanças no Man Utd. Só que a grande diferença é que os ingleses não mudam quase nada.

No FC Porto a mudança tem sido muito grande, e os resultados mantêm-se. Veja-se o caso dos jogadores: Sai Baía, entra Helton. Sai Jorge Costa/R.Carvalho, entra Pepe/B.Alves e depois Rolando. Sai Paulo Ferreira, entra Bosingwa e depois Fucile. Sai N.Valente, entra Cisshoko e depois A.Pereira. Sai Costinha, entra P.Assunção e depois Fernando.

Também no ataque a rotatividade não tira qualidade: Sai Maniche, entra Raúl Meireles e depois Moutinho. Sai Deco, entra Anderson, depois Lucho e agora Belluschi. Sai McCarthy, entra Lisandro e depois Falcão. Sai Derlei, entra Quaresma e depois Hulk. Parece que é cada vez melhor.

Isto é um grande clube… isto é um dos melhores clubes da Europa e do Mundo… isto é o mais bem gerido clube da actualidade… isto é um clube vencedor.


Freddy Guarín: Justiça lhe seja feita

04/04/2011

Sinto-me obrigado a escrever umas linhas sobre Guarín, o médio do FC Porto que se transfigurou com a entrada de André Villas-Boas, depois de ter passado 2 épocas sem merecer o ordenado que auferia. Da mesma maneira que critiquei, venho agora elogiá-lo.

Muitos não sabiam quem era antes de chegar à invicta, mas eu já o conhecia porque seguia o campeonato francês, em particular o Saint-Etienne onde o colombiano fez duas boas épocas. Fiquei contente com a contratação e pensei que vingaria.

Em Abril 2009 escrevi que “O que Guarín faz dentro de campo é uma falta de respeito pelo trabalho, esforço e dedicação dos outros colegas de equipa […] Este menino (está muito longe de ser homem) é, no máximo, um bom suplente do assistente de roupeiro

O facto é que esta época (talvez mérito de André Villas-Boas) Freddy Guarín tem sido não só importante mas decisivo. As suas boas exibições deram confiança ao treinador para o utilizar com mais frequência, gerindo esforço no motor da equipa, o meio campo.

Além disso, nos últimos 10 jogos marcou 6 golos e já conta com 8 em 2010/2011. Tornou-se um jogador de colectivo, solidário com os seus colegas de sector, e voluntarioso na ajuda à defesa e ao ataque. Voltou (porque já o era em França) a ser certo no passe e inteligente no remate.


%d bloggers like this: