PS do Messias Costa afunda na Madeira

29/03/2015

Este fim-de-semana havia eleições Regionais na Madeira. O PS do messias António Costa resolveu coligar-se com o partido de José Manuel Coelho (para quem não conhece, é aquele senhor na foto que, entre muitas outras coisas, foi para o parlamento – casa da democracia – vestido de metralha). Os resultados estão à vista: o PS obteve menos votos do que há 4 anos quando concorreu sozinho, contra o PSD de Alberto João Jardim.

Apesar de tudo José Manuel Coelho foi eleito como deputado. Graças aos Madeirenses a sua filha não foi. O PS do messias António Costa ajudou a dar ainda mais importância e a eleger um dos deputados que mais desrespeitou a democracia e as suas instituições. Será curioso ver o que dirá o PS e o seu líder quando ele voltar a fazer das suas.

De resto, a Madeira confirma que não é “Jardinista”, mas social-democrata, ou “laranja”. O PSD consegue mais votos e mais mandatos do que os outros partidos todos juntos. O que significa mais uma maioria absoluta.


3M€ na Madeira? Haja decoro senhores do PS…

22/11/2011

Ontem veio a público uma notícia que dizia que o Governo Regional da Madeira teria decidido gastar 3 M€ em luzes e fogo de artifício para as festas de Natal e Passagem de ano, adjudicando directamente a uma empresa “amiga”.

Disse-se que tinha sido adjudicado por concurso, mas que a impugnação por parte das outras empresas concorrentes, teria feito o Governo Regional adjudicar directamente. Está mal. É errado, é péssimo, é reprovável.

Mas há algo que também é reprovável e errado: Criticar o gasto da Madeira, sem sequer puxar um pouco pela cabeça. Obviamente que pensando nisso isoladamente, até eu reprovo. 3 M€ em fogo e luzes em tempo de crise?

O facto é que, como todos sabemos, esta altura (principalmente na Passagem de Ano, que é talvez a maior festa do país) atrai milhares de turistas à Madeira, e tráz receitas muito superiores a 3 M€. Fala-se em dezenas de M€.

Mas o que é reprovável e errado não fica por aqui. Ontem tive uma acesa discussão no twitter com Edite Estrela (Eurodeputada PS) a propósito deste assunto. Tudo porque, em resposta à critica dela, pedi contenção.

É que é preciso ter moral para falar dos outros. Edite Estrela suportou, apoiou e defendeu um Governo que criou uma lei que permitia ajustes directos até 5M€! Com que moral vem agora criticar Governo da Madeira?

Em política não vale tudo. Haja moral, haja decoro, haja decência, haja vergonha na cara. Não pode a Edite Estrela ter compactuado com o anterior Governo em erros semelhantes ou piores, e vir agora criticar os outros.

Naturalmente que, sem argumentos, a resposta dela veio em forma de grito esquerdalho “quer-me impedir de ter opinião?“. Não, quero é que tenha vergonha na cara. E logo a seguir veio o insulto. Normal portanto.


Madeira: Demagogia, sectarismo e partidarite

23/09/2011

Ontem, no Telejornal da RTP, foi transmitida uma reportagem que pretendia provar os maus gastos do Governo Regional da Madeira liderado por Alberto João Jardim. Mostrava-se (e descrevia-se com tom indignado) a Marina sem barcos e o Fórum Machico com apenas 2 lojas ocupadas.

Desde logo se levantaram várias vozes na blogosfera e nas redes sociais – não só da esquerda (PS, PCP, BE) como também do CDS – contra a vergonha e o escândalo das obras feitas por Alberto João Jardim. Concluo que o sectarismo, a demagogia e a partidarite não têm limites.

Ainda ontem passei na Marina do Parque das Nações. Sabem como está? Vazia! Nem um barco! E assim tem estado desde sempre. Na mesma zona há dois espectaculares edifícios (que ficam entre o Teatro Camões e o Oceanário) completamente vazios! Mas o que interessa isso? Vergonha é a Marina da Madeira!

Também em Lisboa, e no mesmo Parque das Nações, vê-se a imponente pala do Pavilhão de Portugal. Pavilhão esse que está fechado há anos e serve agora de abrigo a indigentes. Pelo país fora muitos exemplos como os Estádios de Leiria, Aveiro e Algarve ou o Aeroporto de Beja. Mas o que interessa isso? Vergonha é o Forum Machico!


Memória curta e falta de vergonha

20/09/2011

Para que fique desde já claro, reprovo a todos os níveis o que AJJ fez. Esconder uma dívida da ordem dos milhares de milhões de euros é inqualificável. E nada o desculpará.

Passos Coelho – apesar de AJJ ser do PSD e estarem aí eleições Regionais – condenou claramente o sucedido dizendo que foi uma “irregularidade grave, sem compreensão” e já toma providências.

Custa no entanto ouvir críticas de certas pessoas que apoiaram, deram cobertura e foram coniventes com Sócrates. A memória dessas pessoas é curta, e também há muita falta de vergonha.

A esses senhores e senhoras relembro o seguinte: De 2004 a 2011, nos Governos PS/Sócrates, a Dívida Pública Portuguesa passou de 90.000 M€ para 160.000 M€. Aumentou portanto 70.000 M€!!

Relembro também que o ex-PM, José Sócrates, ajudado pelo seu Governo e pelo então Ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, ocultou o défice real antes das Legislativas 2009.

Portanto, antes falarem em “buracos“, “défices” e “ocultações” pensem bem “o que fizeram no verão passado” e tenham vergonha na cara. Em política não vale, nem pode valer, tudo.

Para aqueles que colocam Jardim e Sócrates ao mesmo nível, digo apenas que o Governo Regional gastou o dinheiro em vias de comunicação, escolas, centros de saúde e infra-estruturas turísticas.

Já os últimos Governos de Portugal gastaram o dinheiro em Expo 98, CCB, Estádios de futebol, Auto-Estradas paralelas, PPPs, e outras brincadeiras tipo TGV e Aeroporto.

O comportamento de Jardim é reprovável mas foi consequência de outro ainda mais reprovável. O Governo (PS) da República usou o seu poder para fazer cair Jardim (cortando financiamento à Madeira).


%d bloggers like this: