Só se perderam as que cairam no chão

15/11/2012

Vi hoje as notícias e os vídeos sobre o que se passou ontem ao final da tarde em frente à AR. Não vou sequer perder tempo a explicar a minha posição. Estou como o Henrique Monteiro, chamem-me o que quiserem.

Neste momento só quero usar uma expressão popular que diz “só se perderam as que cairam no chão”. Tenho muita pena que a PSP não tenha conseguido acertar mais bastonadas e fazer mais detenções entre os arruaceiros.

Sim, porque aquilo não são manifestantes descontentes com o Governo e o com estado do país. São arruaceiros, delinquentes, vândalos e criminosos que se auto-satisfazem com violência gratuita sobre as autoridades.

Quanto aos “inocentes” – que para mim nunca o são na totalidade – que gostam de se fazer de “vítimas” dizer o seguinte. No futebol nunca vou para a bancada das claques. Num concerto nunca vou para o local do mosh.

Conseguem entender seus idiotas? Ou vocês acham que estando no meio daqueles arruaceiros não corriam nenhum risco? A PSP até avisou duas vezes antes de carregar, dando tempo suficiente para vocês dispersarem.

Segundo consta até vocês próprios tentaram, sem sucesso, demover os arruaceiros falando com eles e até colocando-se entre eles e a polícia. Depois disso, o que ficaram ali a fazer? Não sabiam como é que aquilo ia acabar?

Não tenho pena nenhuma de uns ou de outros. Só tenho pena que não tenham levado mais nesse lombo. Podia ser que para a próxima fossem para casa no fim da Manif que, by the way, passou novamente para segundo plano na CS.


Portugal’s sweethearts

25/09/2012

20120925-193017.jpg

O tuga adora isto! O objectivo e o motivo da manif já são secundários. O que interessa mesmo é que a Menina abraçou o Polícia. Que se lixe a crise e viva o amor!

A indefesa donzela abraçou o enorme (e armado) homem que estava ali para descarregar toda a sua raiva em espancamentos, e ele cedeu aos seus encantos!

Ela chama-se Adriana. Ele é o Sérgio. Ela tem muito amor para dar. Ele tinha os olhos tristes. O perfil dela complementa-se com o dele. Até já são amigos no Facebook!

São estas as notícias na imprensa portuguesa e os tugas, ávidos por reality shows, esperam ansiosamente pelo namoro, casamento e filhos.


Governo e portugueses podem “sair por cima”

18/09/2012

Estou convencido que a única coisa que o Governo precisa para que os portugueses aceitem as medidas de austeridade é demonstrar bom senso. Isto significa ter juízo claro, capacidade para pensar e capacidade para sentir. Ter bom senso é ter equilíbrio nas decisões ou nos julgamentos em cada situação que se apresenta.

Sendo assim, julgo que o Governo pode sair “por cima” desta situação criada pelo anúncio da subida da contribuição dos trabalhadores para a segurança social. E neste caso, sair “por cima” seria não só vantajoso para o Governo e para o PM, mas também para o país, para os trabalhadores e para todo o povo português.

Porque, quer queiramos quer não, o MoU tem de ser cumprido, o plano de ajustamento tem de ser efectuado, as medidas de austeridade têm de ser aplicadas e o sacrifício tem de ser suportado. Em nome da viabilidade de Portugal, do futuro das gerações e da continuidade no projecto Europeu que tantas vantagens tráz.

Na minha opinião a medida anunciada é desastrosa, mas penso que o Governo tem uma oportunidade de ouro para demonstrar bom senso. A humildade para reconhecer o equívoco ou juízo errôneo, a sensibilidade para ler a manifestação de sábado passado, e a abertura para repensar, podem ser reconhecidas pelos portugueses.

Se o fizer, o Governo poderá dar um sinal que não é visto há muito em Portugal. Fazer saber que os políticos que lideram o país, estão realmente interessados no bem geral, representam efectivamente o povo (e não interesses partidários, corporativos ou empresariais) e têm um real sentido de missão.

Nessa altura, os portugueses irão voltar a confiar no PM e estar novamente disponíveis para esperar para ver os resultados da sua política.


%d bloggers like this: