Vitória ao quadrado

01/11/2014

Foram 3. Poderiam ter sido 5 ou 6. Mas até poderia ter sido apenas 1. A verdade é que independentemente do resultado o Vitória SC deu um “baile” ao Sporting CP.

Muitos (principalmente aqueles que percebem de “bola” e não de “futebol”) irão achar que tudo foi um acaso. Eu acho que é resultado de um projecto raro em Portugal.

O Vitória SC – principalmente desde que voltou à Liga principal em 2007, e se desamarrou do legado de Pimenta Machado – tem uma mentalidade diferente e, a meu ver, correcta.

Apostou num projecto e num líder, Rui Vitória. Apesar de algumas épocas menos bem conseguidas e possívelmente longe dos objectivos, acreditou e manteve o treinador.

A prova de que é isto que vence, é o facto de o Vitória SC todas as épocas ter meia equipa renovada e continuar em bons níveis. Ou seja, jogadores vão, mas filosofia fica.

Gostava que o Flopetegui… Lolpetegui ou lá o que é… pusesse os olhos no Rui Vitória. Não só na sua capacidade técnica e táctica mas no estilo. Calmo, sereno e discreto.

De resto, uma nota final para a maioria. O clube de futebol fundado em 1922, sediado em Guimarães, e que joga no Estádio D. Afonso Henriques, chama-se “Vitória Sport Clube“, e não “Guimarães


Pela 100ª vez: não é Guimarães, é Vitória SC!

23/01/2012

Ontem dirigi-me, através do twitter, à jornalista da TVI Cláudia Lopes, uma das responsáveis do programa “Mais Futebol”. Esta não foi a primeira nem a segunda vez que o fiz, a propósito do tema “Guimarães”.

Por sistema, os jornalistas e comentadores que fazem parte do painel do programa, se referem a um clube de nome “Guimarães”. Ora, na Iª Liga não existe nenhum clube com esse nome. Chama-se Vitória SC!

Desta vez obtive resposta da jornalista Cláudia Lopes. Disse ela: nós sabemos o nome do clube, mas os verdadeiros adeptos do Vitória têm grande orgulho em serem de Guimarães!“. É uma óptima desculpa.

No seguimento dessa brilhante (e a meu ver esfarrapada) desculpa, voltei a questionar a jornalista, perguntando-lhe porque é que não chama então “Lisboa” ao SL Benfica. Segue a mesma lógica, não?

A resposta demonstrou bem com que tipo de pessoa eu estava a falar: “Oh Luis haja paciência!!! Porque os dois vitórias têm praticamente o mesmo nome! É só para ser mais compreensível! Compreendeu?”

Não, não compreendi cara Cláudia Lopes! E por isso lhe respondi que “É necessário rigor em todas as profissões“, principalmente na dela onde tem “obrigação de informar os espectadores correctamente“.

Este não é o 1º nem será o último exemplo da falta de rigor no jornalismo português. Falta de rigor essa que muitas vezes é propositada e revela o desprezo que há por certas instituições / pessoas.

Haja ao menos alguém neste meio (ainda que a propósito de outras áreas da sociedade e de outros temas) que tenha dois dedos de testa e tente lutar por mais/melhor jornalismo e rigorosa informação.


%d bloggers like this: