#Wikileaks tem documentos que culpam #Ensitel

28/12/2010

Há pouco mais de uma hora – e depois de as opiniões sobre o caso que opõe @jonasnuts e a Ensitel terem proliferado pela internet (redes sociais e blogosfera) – o Wikileaks publicou documentos que dão razão à cliente e provam que a empresa agiu de má fé.

Segundo os documentos revelados pela organização de Julien Assange, o telemóvel vendido a Maria João Nogueira já teria sido vendido a outro cliente, que o teria devolvido. Numa atitude típica de tuga chico-esperto, a loja terá colocado novamente o equipamento à venda tentando que houvesse um lorpa que lhe pegasse.

Estes dados não só deixam clara a forma como as empresas em Portugal fazem os seus negócios e (des)tratam os seus clientes, mas também a incapacidade ou falta de estratégia da ASAE e outras autoridades de defesa do consumidor, que andam mais preocupados com colheres de pau, doces regionais e afins.

Anúncios

#Wikileaks, agora a sério!

24/12/2010

Depois de vários posts a brincar com o Wikileaks, finalmente houve alguém que me questionou sobre o que eu de facto (e seriamente) achava da organização de Assenge. Em resposta ao Miguel Cizeron (aka Kuka) dei a minha explicação, que replico aqui para todos.

Sou daqueles que acha que nada é por acaso. Não acredito que haja, nas acções de Assenge, uma réstia de boa intenção. Não sei se o activista Australiano foi pago por terroristas, ou simplesmente sabia que desta forma iria tornar-se um dos homens mais poderosos e famosos do mundo.

Creio pouco em coincidências, e obviamente não será uma delas o facto de o alvo ser preferencialmente os EUA. O país que, bem ou mal, tem garantido a segurança e a democracia em várias zonas do Mundo. Não tenhamos memória curta, e lembremo-nos que se não fossem os EUA, teriamos sucumbido a Adolf Hitler.

1. Não vejo nenhuma vantagem na revelação de documentos que contêm comentários de uns políticos sobre outros. Só um ingénuo não sabe que políticos são homens e mulheres como nós. Se nós somos maledicentes e fazemos comentários jocosos dos nossos vizinhos, conhecidos e colegas, também eles farão dos seus. Estas revelações servem apenas para achincalhar e desestabilizar.

2. Não vejo nenhuma vantagem na revelação de documentos que contêm informações secretas, que mexem com a segurança das nações (sejam os EUA, a Rússia, a França ou Portugal). Sabemos que existem pessoas e organizações que apenas querem lançar o pânico e o mal (terroristas) e portanto para quê dar-lhes estas abébias? Para lhes ser mais fácil chacinar inocentes? (como fizeram em Nova York, em Madrid ou em Londres?)

3. Já outros documentos, como aqueles que denunciam corrupção política/económica, podem trazer proveitos ao ser publicados. A divulgação de escândalos que envolvem governantes tem a vantagem de dar a conhecer ao povo o verdadeiro carácter dos seus políticos. Tem a vantagem de abrir os olhos a alguns cegos que não querem ver. Com essa informação podem abrir-se investigações, processos e quiçá fazer-se justiça.

De qualquer modo, se houvesse alguma boa intenção no Wikileaks, a organização aproveitaria para revelar estes últimos documentos, mas nunca publicaria os primeiros (que não têm interesse absolutamente nenhum) ou os segundos (que podem provocar actos terroristas com consequências letais).


#Wikileaks também ataca no Natal

23/12/2010

Em plena época de festividades natalícias, o Wikileaks volta a lançar documentos que denunciam segredos muito bem guardados durante anos, décadas ou até séculos. Desta vez, os documentos publicados no site da organização de Julien Assange, provam que o Pai Natal não existe, que as Renas não voam (o FBI terá mesmo dado de beber Red-Bull e nem assim elas voaram) e que os Gnomos não passam de anões com orelhas feitas de silicone. Esta revelação pode por em causa todo o significado do Natal para a maioria das pessoas, nomeadamente para as crianças, que arriscam ter desiquilíbrios emocionais.


Mais revelações graves do #wikileaks

20/12/2010

Depois da revelação da identidade do “Super-homem” e do “Batman“, o Wikileaks volta a fazer mossa com a publicação de documentos secretos. Desta vez os documentos implicam “Bob O Construtor” em negócios menos lícitos com a construção dos estádios do Euro 2004.

Mas talvez mais grave do que isso, os documentos recentemente publicados no Wikileaks, desvendam também um dos segredos mais bem guardados de sempre: O paradeiro do “Wally“. Desconhece-se para já o impacto destas notícias a nível mundial.

No que concerne a Portugal, as últimas revelações dão conta do envolvimento do “Action Man” no negócio escuro da compra dos blindados para a PSP, que tinham como razão a segurança da Cimeira da Nato em Lisboa, mas que nem sequer chegaram a tempo.


A mais grave revelação do #wikileaks

17/12/2010

Depois de ter publicado documentos que embaraçaram Estados, Governos e Políticos… Depois de ter publicado documentos que colocam em causa a segurança de várias nações… O wikileaks lançou agora um documento que pode por em causa muito mais, e que pode mesmo ter consequências gravíssimas… o documento lançado identifica o Super-homem como sendo o jornalista Clark Kent, e o Batman com sendo o empresário Bruce Wayne.

Correm também rumores, em Portugal, que a organização de Julian Assange terá documentos em sua posse que revelam a verdadeira identidade da Leopoldina, da Popota e de outras figuras proeminentes da sociedade portuguesa. Desconhece-se para já a dimensão do impacto que estas revelações podem ter no nosso país, já assolado pela crise financeira, económica e social.


%d bloggers like this: