#25Abril – Será isto Liberdade?

Todos os anos é a mesma conversa quando se aproxima o dia 25 de Abril. Certos sectores querem apoderar-se da data e deixar o resto da sociedade portuguesa de fora, como se o Dia da Liberdade fosse só deles.

Ora, como bem disse a JSD “Se a liberdade tivesse dono, era uma ditadura“. E por isso torna-se absolutamente incompreensível o facto de alguns dos actores da revolução quererem a exclusividade desta data.

Para além disso há outra coisa que não consigo compreender neste dia. O facto de tanta e tanta gente bradar pelas Liberdades (Liberdade individual, Liberdade de expressão, etc.) conquistada em 25 Abril 1974.

Mas qual Liberdade? Qual Liberdade? Qual Liberdade? De que Liberdade falam estas pessoas? 33 anos e meio depois de nascer, ainda não consegui perceber de que Liberdades falam? Ainda não as consegui encontrar!

Será Liberdade uma pessoa não poder ir sozinha ao Estádio da Luz com um cachecol do FC Porto (e vice-versa) para ver um jogo de futebol, sem ser insultada ou agredida?

Será Liberdade uma pessoa não poder saír à noite, em segurança, na sua própria cidade ou vila, sem correr o risco de ser assaltada, violada ou até mesmo assassinada?

Será Liberdade uma pessoa não poder discordar do patrão, do director ou de qualquer outro superior hierárquico na sua empresa, sem correr o risco de ser ostracizada ou despedida?

Será Liberdade uma pessoa não conseguir emprego e ser discriminada por causa da sua idade, do seu sexo, da sua cor de pele, da sua religião ou da sua deficiência?

Será Liberdade uma pessoa (doente ou acidentada) ir de Amarante ao Porto numa ambulância, em apenas 30 minutos e depois chegar ao Hospital São João e esperar horas numa maca, num corredor?

Será Liberdade um jovem não poder ambicionar uma vida melhor, e ter de desistir dos estudos, apenas porque teve o azar de não nascer em berço de ouro?

Será Liberdade dezenas de pessoas não conseguirem crédito no banco para criar o seu negócio, porque esse crédito foi gasto para o Joe Berardo brincar aos ricos?

Será Liberdade termos os meios de comunicação social (criados há séculos para fiscalizar os que detinham o poder) controlados por governos, partidos políticos e outros interesses?

Será Liberdade um homem matar (ou mandar matar) pessoas e não só ficar impune como, para além disso, ser condecorado e sustentado por aqueles que aterrorizou?

Será Liberdade uma pessoa pagar cada vez mais impostos, e ver esse dinheiro esbanjado por Isaltinos, Varas, e RP Soares ao invés de os ver investidos em Educação, Saúde, Justiça, Segurança?

Por fim transcrevo duas frases certeiras que dois amigos escreveram hoje nas redes sociais, a propósito deste dia:

Hoje não se trabalha, um dia em que se comemora (entre outras coisas mais nobres) a época de se ter direito a tudo, sem se fazer nada por isso“.

Num país em que não se celebra a conquista da independência (1128) e em que se deixou de celebrar a sua reconquista (1640), que sentido faz comemorar aquilo que foi “apenas” uma saudável mudança de regime?

Anúncios

6 Responses to #25Abril – Será isto Liberdade?

  1. Ricardo diz:

    Liberdade é escrever este texto sem ter a polícia a entrar pela casa a dentro por “subversão” ou acusações do género.
    Liberdade é não ser denunciado por um vizinho por ter ideias “do contra”.
    Liberdade é poder ler, entender, discordar sem vir mal ao mundo.

    Feliz 25 de Abril

    • Luis Melo diz:

      Lá está… é exactamente isso que eu digo. Vêem-me sempre com a liberdade de poder dizer o que quero. Eu pergunto: E o que me adianta isso? Contribui isso para a minha felicidade? De que adianta a um portugues pobre poder dizer o que quer, se não tem emprego? se não tem dinheiro? se não tem uma educacão decente? se não tem uma justica eficaz? se não tem um sistema de saude que o ajude em horas dificeis?… De que adianta poder dizer-se o que se quer se se é obrigado a pagar cada vez mais impostos, por imposição da Troika, por causa de meia-duzia (que na realidade sao uns milhares) terem andado a esbanjar dinheiro das nossas contibuições?… Adiamta-nos um grosso podermos dizer o que quisermos!!

      • jose Luis diz:

        É isso caro Luís,mas se você fizesse parte deste gang que se esconde na sombra deste Des-governo e que nada lhes falta e possivelmente têm muito dinheiro para esbanjar,não têm um pingo de vergonha para virem atirar areia para os olhos de quem quer trabalhar e não sabe onde,como e quando.mas eu pergunto: Isto até quando?

      • Vítor diz:

        Você pergunta, e bem: E o que me adianta isso? Contribui isso para a minha felicidade? De que adianta a um portugues pobre poder dizer o que quer, se não tem emprego? se não tem dinheiro? etc.

        Gostava de partilhar consigo este episódio bíblico para, se tiver tempo e vontade, fazer reflectir um pouco sobre o que acabou de dizer:

        Moisés conduziu seu povo pelo deserto durante quarenta anos, só que passados vinte anos, a pessoas começaram-se a queixar… disseram a Moisés que a vida no deserto era muito difícil, e que pelo menos no tempo em que eram escravos tinham alimentos, água e um abrigo para dormir. Os amigos de Moisés perguntaram-lhe então quanto tempo ele achava que durariam as queixas, ao que ele respondeu: “Até que a última pessoa nascida sob a escravidão tenha morrido”.

  2. Orlando diz:

    De salientar que a liberdade de expressão, de dizer o que se quer e não ter a policia a entrar pela casa dentro só foi conseguida após o 25 de …Novembro! Até lá, se bem se lembram, o otelo ameaçou meter e fuzilar quem se lhe opunha no campo pequeno. Esta é aliberdade dos capitães de abril: matar quem não pensa como nós.

  3. state83 diz:

    A confusão reside na instrumentalização da palavra liberdade. Penso que o que se atingiu no dia 25 de Abril foi democracia eleitoral, ou seja, o poder de o normal cidadão poder exercer livremente o seu poder de voto.

    Confesso que não percebo porque geralmente tende-se a reduzir o ganho de liberdade ao direito de expressão, é quase que mesquinho. A real liberdade foi o de dar aos Portugueses poder de decisão. As “liberdades” que se dizem estarem em causa deve-se ao facto que se terem feito escolhas erradas com o poder de decisão que nos foi concedido.

    No fundo celebramos falta de “liberdade” do pré-25 de Abril para esconder o problema de não termos sabido gerir o poder de decidir…

    Cumprimentos

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: